domingo, 1 de setembro de 2013

Rapidinhas do dia




*** A cúpula do PMDB foi avisada de que o governador do Rio, Sérgio Cabral, vai deixar o cargo dia 31 de Dezembro.
Nem tão cedo para conotar que tenha cedido à pressão dos manifestantes, nem tão tarde para acionar seu plano: colocar na vitrine o vice, Luiz Fernando Pezão, seu candidato à sucessão.
De acordo com interlocutores, a transmissão do cargo será dia 1º de Janeiro. Com a caneta na mão, Pezão vai rodar o estado para ficar conhecido e aparecer mais na televisão.
Um dos cotados para disputar o governo, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), continuará na prefeitura. Por dois motivos, segundo aliados. Seria risco deixar o cargo para o vice do PT, que usaria a máquina para apoiar o eventual adversário do PMDB, Lindbergh Farias (PT). E porque Paes quer ser ‘o prefeito dos Jogos Olímpicos’.
Cabral pretende concorrer ao Senado. A assessoria do governador preferiu não se pronunciar. (Blog Coluna Esplanada)

*** Cauby Peixoto vai ganhar uma bolada de indenização do banco Itaú. A decisão é do STJ.
O banco incluiu o nome do cantor, sem razão, na lista de maus pagadores do Serasa e do SPC, e demorou para retirar, mesmo com ordem judicial. (Ancelmo Gois-O Globo)

*** Três pessoas foram baleadas, sendo dois homens e uma mulher na noite de sábado (31/08) na Avenida Sérgio Viana, em Goitacazes. Amaro Carlos de Almeida Veloso, 28 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Ferreira Machado.
Segundo a Polícia Militar, uma mulher, F.M.V., de 27 anos que seguia pela estrada de Tocos, em uma moto, foi baleada nos dois braços e na perna esquerda. Os outros dois homens C.A.G. e Amaro Carlos estavam em um gol cinza.
Ainda de acordo com a polícia, a mulher baleada foi levada para o Hospital São José e assim que deu entrada eles foram informados que mais dois homens também haviam sido levados para o hospital vítimas de tiros e já haviam sido encaminhados para o HFM.
Os sobreviventes foram encaminhados para 134 ª Delegacia Legal (Centro), mas não quiseram prestar depoimento. Os veículos ficaram apreendidos. (Ururau)

***"Mãe, o que você acha de Carlos David?", pergunta Laura, 25, com uma barriga redonda em um vestido florido, a Ana, uma médica de 49 anos que deixará Havana rumo ao Brasil no dia 10.
"Gosto muito", diz a médica, que diz que o terceiro neto nasce em novembro. "Com o primeiro foi o mesmo. Eu estava na Venezuela, mas pude vir para o parto. Foi bom. Agora não sei como vai ser."
Não só Ana, funcionária de um hospital de Havana, mas também seu marido, em missão técnica pelo governo de Cuba num país africano, podem perder o nascimento.
A médica não tem dúvida, no entanto, de que valerá a pena ser um dos 4.000 profissionais recrutados por Cuba para o Mais Médicos.
Ela diz não saber quanto ganhará no Brasil. Ouviu que serão US$ 1.000 (R$ 2.380) dos US$ 4.201 (R$ 10 mil) que o governo brasileiro pagará ao cubano por médico, mas isso não lhe importa.
"Por pior que seja o país, vale a pena. Sempre o salário vai ser maior do que aqui. E o que ganhamos vale muito aqui em Cuba. Além do mais, é uma coisa que não é fácil de entender. Nós somos formados desde pequenos com outra ideia de medicina, gostamos de servir", diz Ana.
Sem os sete anos em que ela e o marido passaram na Venezuela, em missão similar a que cumprirá no Brasil, ela jamais compraria a casa própria subsidiada pelo Estado no valor de US$ 4.000.
Em Cuba, há duas moedas vigentes. O peso cubano, da maioria dos salários e de alguns produtos básicos, e o CUC, equivalente ao dólar, que compra tudo o mais.
A médica, com mestrado em emergências médicas e professora, ganha algo como US$ 26 mensais --ou R$ 62. (Folha de São Paulo)

Um comentário:

Paulo Freire disse...

è uma pena que nao teremos mais o Cabral como governador, vai deixar saudades... a esperança é que ele vire senador, para continuar melhorando o RJ