terça-feira, 10 de setembro de 2013

Curiosidade

Mulheres e seus sapatos

Do:Blog do curioso

Não é de hoje que as mulheres são obcecadas por sapatos. As sandálias foram inventadas pelos egípcios há cinco mil anos. Na China Antiga, as mães de meninas amarravam seus dedinhos uns aos outros desde cedo para que os pés crescessem finos e coubessem nas apertadas sandálias trançadas. O costume milenar só foi proibido no início do século 20. No Renascimento, as mulheres da alta sociedade usavam sapatos tão altos que não conseguiam sair do lugar. Assim elas provavam que eram tão ricas que não precisavam nem se mexer. E quem se lembra do conto de fadas da Cinderela (popularizado no século 17) sabe que um dos personagens-chave da história é um pomposo sapatinho de cristal.
Salto alto
A corte real francesa do século 17 foi a primeira a popularizar o salto alto. O sapato foi inventado pelos estilistas da corte do rei Luís 14 – o “Rei Sol”. O objetivo da elevação nos calcanhares era realçar e deixar mais delgadas as pernas do monarca. O salto mantinha o pé relativamente a salvo da lama. Além disso, criava uma elevação física correspondente à elevação social dos nobres, e exagerava seu andar afetado. Justamente por ser tão precário, o salto indicava que a pessoa não tinha medo de cair no chão. Na verdade, no século 17, os que usavam salto alto, tanto homens como mulheres, com frequência tinham de ser transportados em cadeirinhas carregadas por criados, pois não conseguiam caminhar no calçamento de pedras. Naquela época, o salto às vezes era uma grande plataforma inteiriça, e para caminhar sobre essas coisas era necessário o apoio constante de dois criados, que seguravam o aristocrata pelos braços, um de cada lado. O salto agulha surgiu na Itália durante a década de 1950. Era feito de náilon e plástico, que recobriam seu interior de metal.
Sapatos no cinema
Os icônicos sapatos vermelhos usados por Judy Garland no filme “O Mágico de Oz” (1939) marcaram uma geração de cinéfilos. É o par de sapatos mais famoso do mundo! Para as filmagens, foram fabricados oito pares (tamanho 35) do valioso sapatinho de rubi. As peças originais, no entanto, não são cobertas por rubis verdadeiros. Quem assume o papel da pedra preciosa são pequenas pedrinhas de strass costuradas à mão por figurinistas da MGM. O último par foi leiloado por 165 mil dólares.
MelissaO primeiro modelo Melissa, lançado pela fabricante brasileira Grendene em 1979, foi inspirado em uma sandália usada por pescadores franceses para caminhar sobre as pedras sem escorregar. Ele se chamava Aranha e era comercializado apenas na cor preta. As melissinhas ganharam fama durante a exibição da novela Dancing Days pela Rede Globo. As sandálias faziam parte do guarda-roupa da personagem Júlia Matos, interpretada pela atriz Sônia Braga. Júlia as usava com meias de lurex. No aniversário de 25 anos da marca, em 2004, já haviam sido lançados 500 modelos do sapato. Entre eles figuram coleções desenhadas pelos estilistas Marcelo Sommer e Alexandre Herchcovitch, e pelos designers irmãos Campana. Alexandre Herchcovitch exibiu uma das coleções que criou – a Sugar – durante a Semana de Moda de Nova York (EUA), em setembro de 2004. Os irmãos Campana demoraram um ano para criar os dois modelos lançados com sua assinatura. Eles fizeram inúmeras visitas à fábrica e construíram maquetes em estúdio. As sandálias Melissa são distribuídas em 50 países, entre eles EUA, México e Argentina. Só no Brasil, a marca vende um milhão de pares todos os anos.
Manolo Blahnik
O estilista Manolo Blahnik nasceu nas Ilhas Canárias, na Espanha, em 1942, e cresceu em uma plantação de bananas. Ele estudou línguas e arte na Suíça antes de se mudar para Paris para tentar a sorte no mercado da moda. Começou em uma fábrica de jeans e abriu sua primeira loja de sapatos em Londres, na Inglaterra, em 1968. Seis anos depois, criou a expressão “salto agulha” para denominar o que até então era chamado de “salto stiletto”. Atualmente, a Manolo Blahnik é uma das marcas de sapato mais caras do mundo – o preço médio do par é de 1 500 euros (mais de 4 500 reais). Foi popularizada pela personagem Carrie Bradshaw, do seriado Sex and the City. A atriz Sarah Jessica Parker, que interpreta Carrie, também é fanática pelos valiosos sapatos. Ela já acumula uma centena de exemplares da marca no armário. Como forma de gratidão à fama que ela ajudou a trazer à sua marca, Manolo Blahnik confeccionou um modelo em homenagem a Sarah Jessica Parker. O modelo, mostrado na foto acima, foi batizado de SJP.

  •  

Nenhum comentário: