quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Fátima Bernardes de saída do Jornal Nacional




Segundo a versão on-line do jornal "Folha de São Paulo",a apresentadora Fátima Bernardes deve anunciar em breve sua saída da bancada do "Jornal Nacional". O motivo apresentado pela jornalista, segundo o periódico, é o cansaço na função.
Procurado pela "Folha", o diretor da Central Globo de Jornalismo, Ali Kamel, disse em um primeiro momento que não estava ouvindo direito a ligação.
Em seguida, sua secretária ligou para a reportagem. Disse que ele estava numa reunião com a cúpula da empresa e que, por isso, não poderia conversar.
O diretor da Central Globo de Comunicação, Luiz Erlanger, também não retornou os telefonemas. Seu secretário disse que ele esta num compromisso importante e por isso, incomunicável.

Na Globo desde 1987, Fátima assumiu, junto com o marido William Bonner, a bancada do telejornal mais visto do país em 1998.

Aguardemos os próximos capítulos.

Mundo Estranho 60



A crise econômica está afetando muita gente. Mas a americana Minerva McGonagall (nome fictício), de 23 anos, decidiu que não ia mudar seu estilo de vida por causa disso. Ela não mudou para um apartamento mais barato, não deixou de comprar o que gosta nem deixou de comer bem. Para manter seu padrão de vida, Minerva encontrou uma solução no mínimo inusitada: cadastrou-se num site de namoro, o Match.com, e marca cinco encontros por semana. Como querem impressionar, os homens sempre acabam pagando a conta do jantar – e, com isso, segundo cálculos da Business Insider, ela acaba economizando cerca de US$ 1200 por mês.

Minerva conta que aprendeu o truque com uma amiga que ganhava pouco como ela, mas saía para jantares sofisticados quase toda noite. Descobriu o segredo do site de encontros e decidiu fazer o mesmo, mas estabeleceu suas regras: nunca sair mais de cinco vezes com o mesmo homem, sempre encontrar o pretendente em um lugar público e deixar uma amiga avisada do destino.

Seu único gasto é a mensalidade do site de namoro, de US$ 50. Parece um negócio e tanto, não? Sim. Tirando que Minerva tinha que se arrumar todo dia para um encontro. E tinha que repetir, toda noite, o mesmo papinho “quem sou, o que faço, de onde venho, do que gosto”. E, pior, tinha que aguentar a companhia de homens pelos quais ela não estava interessada em troco de um bom bife com risoto e de uma taça de champanhe. Vale mesmo a pena?

Minerva diz que cansou de jogar o jogo e deixou de pagar seus jantares com encontros – ela agora tem um namorado (será que ele paga a conta sempre?) –, mas a reportagem sobre a prática gerou comentários revoltados na internet. Muitos a compararam a uma prostituta. Mas fato é que ela não vendia o próprio corpo nem ganhava dinheiro – a rigor, ela só o economizava. E nenhuma mulher é obrigada a sair, de fato, com alguém com quem teve um encontro e pagou sua conta. Isso, porém, não torna louvável a sua prática.


Com informações do site da revista Época

Goytacaz com novo presidente


Com a renúncia de José Luiz Dutra, que alegou problemas de saúde para deixar o cargo, a partir desta quarta-feira (30/11) o novo presidente do Goytacaz é o médico Marcelo Ramalho Gomes (foto). Com mais de trinta anos dedicados ao clube, Dr. Marcelo, como é carinhosamente conhecido na Rua do Gás, assume o clube as vésperas de estrear na Série B do estadual (4 de fevereiro).

Boa sorte ao boa-praça, Dr. Marcelo!!!

Confissões de amadurescente


Sei não!...Hoje pela manhã, enquanto me dirigia ao centro da cidade, me senti a própria atleta olímpica saltando poças d'agua, desviando de buracos, de cocôs de cachorros e de lixo nas calçadas...
Lembrei-me que meu pai repetia sempre a frase filosófica:“Se todos varressem a sua calçada, logo a rua inteira estaria limpa”.
E ela me faz refletir, que pouco se vê , atualmente, os donos das próprias casas efetuando esta função e que a mesma ficou a cargo do(a) varredor(a) de rua...
Tempos atrás, escrevi uma crônica:"A orquestra da vassouras" onde relato o encontro matinal e a saudação aos vizinhos.
Sei que os tempos mudaram!As pessoas já saem de casa apressadas,muitas de dentro de seus carros.
Mas,de vez enquando poderíamos olhar para o chão e verificar ,que as nossas calçadas precisam de reparo.
Vai. que em meio o cimento concretado e rachado, nasceu uma flor...

Lembrando Pessoa


Fernando Pessoa
Poeta e escritor português.
Considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa que nesta data em 1935
veio a falecer.








Poema em linha reta

Fernando Pessoa
(Álvaro de Campos)

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.
E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.
Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...
Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,
Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?
Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?
Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

Detalhes

Bois destroem veículos e invadem loja em Socorro, SP

Do G1 SP
30/11/2011
07h11

Bois que estavam em um caminhão que tombou em uma estrada em Socorro, no interior de São Paulo, destruíram veículos e invadiram uma loja. Os animais escaparam depois do acidente – quatro motos e dois carros foram danificados.

Um dos animais chegou a entrar em uma loja de roupas. Um rapaz puxou o boi por uma corda, com a ajuda de outras pessoas. Depois, amarrou o animal no poste.

Todos os animais foram capturados por policiais militares e levados para o curral da Prefeitura de Socorro.

Notícias matinais

Do:G1 Plantão


Quarta-feira será de chuvas fortes em boa parte do País.



Partido islamista lidera apuração em eleição no Egito.



Ambientalistas protestam contra projeto do Código Florestal.



Bois destroem veículos e invadem loja em Socorro, SP.



Rolls-Royce ganha contratos da Petrobras de até US$650 milhões.



Trabalhadores abusam do seguro-desemprego para embolsar benefício.



Morre aos 74 anos o cientista Ricardo Renzo Brentani.

Pro dia nascer feliz


"Tenho em mim todos os sonhos do mundo"

Fernando Pessoa

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Amigos, amigos, negócios...

Você, incauto leitor, compraria um carro, um imóvel, seria avalista, sócio, parceiro comercial ou eleitor deste homem?


E pelo Boulevard...


O vídeo feito do celular, mostra uma cena até comum em Campos. Acompanhei bem. O cidadão caminhava pelo Boulevard quando de repente, sobe em um dos bancos e começa seu 'discurso' pra lá de confuso. Fala de política, políticos, crimes e até de teorias conspiratórias diversas. Os transeuntes, já acostumados com cenários assim, seguiam o rumo sem dar muita atenção ao sujeito, que lá permaneceu por pouco mais de 15 minutos. Depois de dar o 'recado', desceu do banco e no meio dos demais seguiu rumo a Praça São Salvador. Fica o registro.

Fluminense é campeão

Se no Campeonato Brasileiro o título será disputado entre Vasco e Corinthians, pelo menos no quesito beleza o meu fluzão foi campeão com a belíssima Bianca Leão, nova Musa do Brasileirão, concurso promovido pelo programa Caldeirão do Hulk da Rede Globo. Bianca tem 22 anos, é estudante e nasceu em São Gonçalo-RJ. Para meu desespero, a beldade está noiva. Sujeito de sorte esse cueca. Bem, vamos ao que interessa. Abaixo, fotos da nova Musa do Brasileirão.





Uma quente na tarde fria

Vazou! Amy Winehouse canta 'Garota de Ipanema'

Jornal do Brasil


Ao invés de deixar que o CD póstumo de Amy Winehouse, Lioness: Hidden Treasures caísse na internet, a rádio BBC fez questão de tocar todas as faixas do álbum, inclusive a tão aguardada versão do nosso clássico Garota de Ipanema.
As já conhecidas Our day will come e Like smoke também foram tocadas para os ouvintes de rádio, que, certamente, já estão na fila pra comprar o disco, que chega às lojas dos Estados Unidos no próximo dia 6.

Convite

Depois do sucesso do livro A FLOR DE GIRAMUNDO
Isabel Assad e a Editora Livre Expressão convidam para o lançamento de:
"A Menina dos Sapatos BRANCOS"

Uma história sobre Anjos e Liberdade


Noite de autógrafos, trinta de novembro de dois mil e onze, às vinte horas na Academia Campista de Letras - pátio interno do Jardim São Benedito - Campos dos Goytacazes.

UOL crava Ronaldo no comando do Comitê da Copa de 2014


Do que eles estão rindo??

De acordo com o UOL Esporte, o ex-jogador Ronaldo aceitou o convite de Don Ricardo Teixeira e irá comandar o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. Como está cada vez mais "queimado" , o poderoso chefão do futebol brasileiro viu em Ronaldo uma maneira de sair por cima nesta estória. A informação não é oficial. Na semana passada, em duas ocasiões, o Fenômeno desconversou ao falar sobre o tema, mas tinha sinalizado positivamente.
Uma das dúvidas que tenho é como o ex-jogador fará em relação aos seus patrocínios, alguns totalmente ligados à competição.
E é uma pena que enquanto Romário se posiciona contra a CBF, Ronaldo faça o oposto.

Atualização às 15:27:

Do blog de Lauro Jardim sobre o assunto:

"Ronaldo Fenômeno já está quase com os dois pés no Comitê Organizador Local da Copa, mas isso não significa que Ricardo Teixeira deixará nem de fato nem de direito o COL.

Em princípio, Ronaldo será “a cara e a voz” do comitê, segundo palavras que quem está acompanhando de muito perto o assunto, mas o afastamento de Teixeira não é líquido e certo – embora, não reste dúvida que Teixeira deixará a linha de frente, para se preservar.

A primeira conversa entre Teixeira e Ronaldo sobre o COL aconteceu há três meses, nos EUA. Na ocasião, Teixeira ainda negociava com Henrique Meirelles. O objetivo inicial era juntar os dois no comitê. As conversas com Meirelles, porém, não prosperaram.

Teixeira está hoje em Zurique, segue para Londres amanhã e somente na quinta-feira desembarcará no Rio de Janeiro para a reunião final com Ronaldo. Devem, então, acertar os detalhes finais da atuação de Ronaldo e anunciar oficialmente a sua ida para o COL.

Por Lauro Jardim"


REDAÇÃO DE ALUNA UFPE

Redação feita por uma aluna do curso de Letras, da UFPE Universidade Federal de Pernambuco - (Recife), que venceu um concurso interno promovidopelo professor titular da cadeira de Gramática Portuguesa:


Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador.
Um substantivo masculino, com um aspecto plural, com alguns anos bem
vividos pelas preposições da vida.
E o artigo era bem definido, feminino, singular: era ainda novinha,
mas com um maravilhoso predicado nominal.
Era ingênua, silábica, um pouco átona, até ao contrário dele: um sujeito
oculto, com todos os vícios de linguagem, fanáticos por leituras e filmes
ortográficos. O substantivo gostou dessa situação: os dois sozinhos, num lugar
sem ninguém ver e ouvir. E sem perder essa oportunidade, começou a se insinuar,
a perguntar, a conversar.
O artigo feminino deixou as reticências de lado, e permitiu esse pequeno
índice. De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro: ótimo, pensou
o substantivo, mais um bom motivo para provocar alguns sinônimos. Pouco tempo
depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeça a se
movimentar: só que em vez de descer, sobe e pára justamente no andar do substantivo.
Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela em seu aposto.
Ligou o fonema, e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma
fonética clássica, bem suave e gostosa. Prepararam uma sintaxe dupla para
ele e um hiato com gelo para ela. Ficaram conversando, sentados num vocativo,
quando ele começou outra vez a se insinuar.
Ela foi deixando, ele foi usando seu forte adjunto adverbial, e
rapidamente chegaram a um imperativo, todos os vocábulos diziam que iriam
terminar num transitivo direto.
Começaram a se aproximar, ela tremendo de vocabulário, e ele
sentindo seu ditongo crescente: se abraçaram, numa pontuação tão minúscula,
que nem um período simples passaria entre os dois.
Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula; ele
não perdeu o ritmo e sugeriu uma ou outra soletrada em seu apóstrofo.
É claro que ela se deixou levar por essas palavras, estava
totalmente oxítona às vontades dele, e foram para o comum de dois gêneros.
Ela totalmente voz passiva, ele voz ativa. Entre beijos, carícias,
parônimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais: ficaram uns minutos
nessa próclise, e ele, com todo o seu predicativo do objeto, ia tomando conta.
Estavam na posição de primeira e segunda pessoa do singular, ela era
um perfeito agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do
seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular. Nisso a porta
abriu repentinamente. Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido
tudo, e entrou dando conjunções e adjetivos nos dois, que se encolheram gramaticalmente,cheios de preposições, locuções e exclamativas. Mas ao ver aquele corpo jovem,numa acentuação tônica, ou melhor, subtônica, o verbo auxiliar diminuiu seus advérbios e declarou o seu particípio na história.
Os dois se olharam, e viram que isso era melhor do que uma metáfora por todo o edifício.
O verbo auxiliar se entusiasmou e mostrou o seu adjunto adnominal.
Que loucura, minha gente. Aquilo não era nem comparativo: era um superlativo absoluto.
Foi se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele
predicativo do sujeito apontado para seus objetos. Foi chegando cada vez
mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo, propondo
claramente uma mesóclise-a-trois. Só que as condições eram estas: enquanto
abusava de um ditongo nasal, penetraria ao gerúndio do substantivo, e culminaria
com um complemento verbal no artigo feminino.
O substantivo, vendo que poderia se transformar num artigo indefinido depois dessa, pensando em seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história: agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, jogou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa,com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva.

Detalhes

Cientistas criam 'robô contorcionista' feito de material elástico

Do:BBC Brasil
29/11/2011
07h35


Um robô capaz de se contorcer, ondular e se espremer foi desenvolvido por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Inspirado em seres desprovidos de esqueleto interno - como estrelas-do-mar, lulas e vermes -, a invenção tem como objetivo chegar a recantos que robôs rígidos não podem alcançar.

Em um artigo na revista científica americana "Proceedings of the National Academy of Sciences", os pesquisadores explicam que o robô é feito de material elástico, como polímeros, e impulsionado por ar comprimido. O autômato possui uma "locomoção sofisticada" e pode adotar "movimentos fluidos e múltiplos galopes", eles descrevem.

Em testes para verificar o alcance da máquina, os pesquisadores criaram um obstáculos que consistia em uma placa de vidro elevada a apenas 2 cm do chão. O robô-estrela-do-mar venceu a prova em menos de um minuto, executando uma combinação de movimentos coordenados.

Em seu artigo, os pesquisadores explicam que robôs feitos de material macio são mais resistentes que os rígidos a incidentes que podem ocorrer no mundo real, como quedas, batidas e arranhões.

Entretanto, eles admitem, esses objetos são mais susceptíveis a outros tipos de dano, como furos por vidro quebrado ou espinhos .

Notícias matinais

DO:Uol Notícias


Morre a escritora assamesa Indira Goswami.



Militantes no Líbano lançam foguetes contra norte de Israel.



Ex-atletas(Joe Kapp e Angelo Mosca ídolos do futebol canadense) saem no tapa em almoço de homenagem.



Cientistas criam 'robô contorcionista' feito de material elástico.



Greve dos servidores do Judiciário pode impedir Semana da Conciliação em São Paulo.



Motoboy deverá usar moto branca e colete em SP.



STF avalia nesta terça-feira possibilidade do menino Sean Goldman voltar ao Brasil.

Pro dia nascer feliz


"O amigo é para o seu amigo um escudo."

Abu Shakur

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Teoria da relatividade

Sua casa vista por você...


Pelo comprador...



Pelo banco...




Pelo avaliador...



Pelo IPTU...

Bullying religioso!

Téta Barbosa é jornalista, publicitária e mora no Recife.

Moro num condomínio com 62 casas. Para manter a ordem e o sossego, o síndico é do tipo chato e a convenção com as regras para a boa convivência entre vizinhos tem nada menos que 282 páginas.
Vivemos obedientes e relativamente felizes.
É o preço que se paga por viver em sociedade.
Das 62 famílias que residem neste agradável lugar, apenas uma desobedece sistematicamente a lei de ordem e progresso instaurada pela nossa pequena comunidade.
Não, não é minha família.
Apesar de ser meio rebelde e de ter filho adolescente roqueiro, sou do tipo que acho que regras são para serem seguidas já que, teoricamente, objetivam o bem e felicidade geral da nação.
A família “desordeira” em questão pertence a um pastor da Igreja Universal do Reino de Deus que insiste em realizar, dentro da casa dele (ou seja, dentro do meu condomínio r-e-s-i-d-e-n-c-i-a-l) , cultos aos domingos.
Não, não é permitido.
Mas, como ele colou um adesivo no carro que diz “foi Deus que me deu”, acredito que Deus também deve ter dado ao cidadão o privilégio de convidar mais de 100 fieis nos domingos e realizar o culto, que dura quase duas horas, em ALTO e bom som.
O pastor paga multa todo santo mês, mas não se importa. Podem processar, ele diz.
O moço é dono do mundo. Ou filho dele, como afirmam os adesivos nos carros dos fieis.
Como divido minha felicidade e minhas desgraças com os amigos, descobri que não sou a única que sofre bullying religioso.
Vários colegas que moram perto, quase perto, e até mesmo longe de templos da igreja em questão, passam pela mesma via crucis dominical.
Aí, vejam como é a vida, hoje nosso prefeito desaparecido , apareceu para apresentar um projeto de lei que promete “facilitar” as coisas para os homens de fé. Ele sugere aumentar o limite de sonoridade dos recintos religiosos estipulado por lei.
Não, vocês não leram errado, a palavra é AUMENTAR mesmo. Agora, os fieis não precisam manter seus cultos entre 50 e 65 decibéis. Podem fazer até 70 decibéis de barulho.
Não entendo porra nenhuma de decibéis, mas entendi a parte que diz “agora pode ser MAIS alto”.
Oi?
Tudo bem que o prefeito está desesperado por apoios em véspera de ano eleitoral e até soltou um “espero que a compensação seja boa” (afinal 30% dos eleitores são evangélicos), mas alguém tem que avisar que, além de desesperado, ele está louco.
Além de bullying religioso, vou sofrer bullying político?
* Prometi a mim mesmo que não ia fazer outro texto falando mal do prefeito. Mas ele não me deixou escolha!

Essa é velha, mas é boa.

Clique para ampliar.


Tum!Tum!Tum! bate coração...


No melhor estilo vó coruja e com o coração saindo pela boca, faço o registro da chegada dos 6 aninhos hoje da minha neta Valentina:meu jardim secreto.

Detalhes

Americana leva multa de US$ 167 por usar aspirador de pó de madrugada.

Do:G1 São Paulo
28/11/2011
07h00


A norte-americana Shelly Lea Armstrong, de 42 anos, foi multada em US$ 167 (cerca de R$ 315) por usar o aspirador de pó durante a madrugada em Oklahoma City, nos EUA. Ela foi notificada por conta do barulho excessivo, segundo a emissora de TV "Koco".

Shelly foi multada depois que seu vizinho Joe Wayne Green, de 74 anos, chamou a polícia no dia 15 de novembro para informar que ela estava usando o aspirador de pó por volta da 1h.

Segundo o relatório policial, ela não estava mais usando o equipamento quando os agentes chegaram. Ela não foi presa.

Notícias matinais

Do:G1 Plantão



Egípcios fazem fila para votar na primeira eleição pós-Mubarak.




Começa conferência da ONU sobre mudanças climáticas




Em Piedade, SP, granizo destrói cultivo de hortaliças e alcachofra.




Americana leva multa de US$ 167 por usar aspirador de pó de madrugada.




Anac divulga itens proibidos em voo e regras de inspeção de passageiros.




Trem com resíduos radioativos, procedentes da França, chega ao destino na Alemanha.




Com a crise, avós espanhóis sofrem estresse por excesso de responsabilidade com netos.

Pro dia nascer feliz


"Só as crianças e os velhos conhecem a volúpia de viver dia-a-dia, hora a hora, e suas esperas e desejos nunca se estendem além de cinco minutos..."
Mario Quintana

domingo, 27 de novembro de 2011

Retribuição

As relações entre patrões e empregados nem sempre são amistosas.
De um lado, os empregados reclamam que os patrões exigem muito e não pagam salários compensadores.
De outro, os patrões falam de empregados que se mostram desonestos, que depois de trabalharem muitos anos, alimentando-se dos salários pagos por eles, de forma correta, fazem reclamações trabalhistas injustas.
Uns e outros reclamam de comportamentos indevidos, de horas extras não pagas, de trabalhos mal feitos, de irresponsabilidades, etc.
Por isso mesmo, o caso de Bob Thompson é muito interessante de ser conhecido.
Durante quarenta anos, Bob Thompson trabalhou de abril a dezembro, antes da geada, fazendo estradas junto com sua equipe.
Tudo iniciou com a quantia de três mil e quinhentos dólares que a esposa de Thompson havia conseguido economizar trabalhando como professora substituta e que lhe permitiram abrir a empresa.
Durante os primeiros cinco anos, tudo foi muito difícil. Ele não retirava nem seu salário. Depois, os negócios prosperaram e ele ficou muito rico. Graças, naturalmente, ao seu grande esforço e de sua equipe.
Um dia, o Sr. Thompson retribuiu o favor. Ele vendeu sua empresa de pavimentação e deu a seus quinhentos e cinquenta empregados, entre atuais e aposentados, nada menos do que a quantia de cento e vinte e oito milhões de dólares.
Até mesmo as viúvas de seus ex-empregados receberam cheques. Noventa deles se tornaram ricos num instante.
Quando os cheques foram entregues, Thompson fez questão de não estar por perto. Eu não queria estar lá, disse, as coisas se tornam muito emocionais.
Perguntado a respeito do porquê de tal atitude, respondeu: Você se dá conta de que as pessoas ao seu redor sofreram junto com você. E eu queria retribuir. Tenho certeza que era a coisa correta a ser feita.
Um de seus empregados, por trinta e três anos, disse: Ele não pedia a ninguém para fazer alguma coisa que ele mesmo pudesse fazer.
Mesmo que estivesse de terno e precisasse ajudar, ele estava sempre pronto.
Patrões e empregados dessa qualidade dão exemplo de que se nos comportarmos como cristãos, respeitando-nos, e cada qual reconhecendo o valor do outro, o relacionamento entre ambos, com certeza, será bem melhor.
Sempre oportuno lembrar que, como seres humanos, dependemos uns dos outros. E que Deus, em Sua misericórdia, nos permite ora ocuparmos uma posição, ora outra.
Como superiores somos responsáveis pelos nossos subalternos.
Na condição de subalternos, temos a obrigação de cumprir bem o nosso dever, fazendo jus ao salário que recebemos.
* * *
O gerente é aquela pessoa que se responsabiliza pelo trabalho da equipe.
Quem administra precisa da colaboração de quem obedece. Aquele que obedece necessita prestar atenção e respeito a quem administra. Esse, por sua vez, precisa usar de bondade e compreensão para quem obedece, a fim de que as engrenagens do serviço funcionem com segurança.
Quem não respeita a tarefa que lhe honra a vida, desrespeita a si mesmo.
Servir além do próprio dever não é bajular e sim conquistar apoio e experiência, simpatia e cooperação.
Redação do Momento Espírita, com base em artigo de Seleções Reader's Digest, traduzido do original inglês por Shou Wen Allegretti e nos caps. 16 e 17 do livro Sinal verde, pelo Espírito André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Cec.
Em 26.11.2011.

Dá-lhe Goyta!

De minha casa ,ouço fogos advindos do estádio Ary de Oliveira e Souza.
Durante a semana "os meninos" aqui do nosso blog postaram (com entusiasmo)matérias sobre o querido clube, bem como sobre a partida de hoje à tarde.
Reproduzo uma curiosidade do livro"Campos Depois do Centenário II"(Waldir Carvalho):" a primeira sede fôra instalada à Rua 21 de abril, residência de Oto Nogueira, seu primeiro Tesoureiro.Todavia,seu primeiro campo ou praça de esportes ficava em terrenos junto à igreja de Santo Antonio no distrito de Guarulhos(mais tarde Guarus).A seguir,depois de se transferir para a Praça da República e para uma área onde foi edificado o palacete'Vila Maria' mudou-se então o Goytacaz para a Rua do Gás num espaço físico nas proximidades do rio Paraíba.
Mais tarde veio se instalar no "Estádio Ari de Oliveira e Souza"..."

Senhoras e Senhores, "The reverend" Al Green

E na padaria...

As armadilhas da língua


Recebi de uma amiga e repasso:

Tautologia é o termo usado para definir um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma idéia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido. O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como você pode ver na lista a seguir:
- elo de ligação
- acabamento final
- certeza absoluta
- quantia exata
- nos dias 8, 9 e 10, inclusive
- juntamente com
- expressamente proibido
- em duas metades iguais
- sintomas indicativos
- há anos atrás
- vereador da cidade
- outra alternativa
- detalhes minuciosos
- a razão é porque
- anexo junto à carta
- de sua livre escolha
- superávit positivo
- todos foram unânimes
- conviver junto
- fato real
- encarar de frente
- multidão de pessoas
- amanhecer o dia
- criação nova
- retornar de novo
- empréstimo temporário
- surpresa inesperada
- escolha opcional
- planejar antecipadamente
- abertura inaugural
- continua a permanecer
- a última versão definitiva
- possivelmente poderá ocorrer
- comparecer em pessoa
- gritar bem alto
- propriedade característica
- demasiadamente excessivo
- a seu critério pessoal
- exceder em muito
- surpresa inesperada















Pro dia nascer feliz


"A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos."

Sigmund Freud

sábado, 26 de novembro de 2011

Como as coisas mudam- Parte IV

Do Facebook

Crônica de sábado


Brevidade


Walnize Carvalho

Quem haveria de imaginar, que dentro daquele pacotinho plástico a mim entregue com tanto carinho, iria encontrar algo que iria adocicar o meu dia, aguçar meu paladar e - mais do que tudo – encher meu coração e mente de tão doces lembranças?...
Quem diria que aquele bolinho (arrumado em fôrma de papel) feito de açúcar, ovos, margarina e polvilho, iria me inspirar para esta singela crônica?...
Sem querer prolongar a expectativa e dissipando a curiosidade do leitor esclareço que, a guloseima a que me refiro, tem o nome sugestivo de: Brevidade.
De repente, minha saudosa memória, visualiza a vovó Mocinha, arrumando a mesa do lanche da tarde com toalha bordada, xícaras e bules de porcelana (com chá e café), biscoito de araruta, pãezinhos em formato de trança e... brevidades!
E também, repentinamente, me dou conta da efemeridade do tempo!
Num gesto de rapidez, levanto-me e vou buscar na estante de livros da sala, um que bem ilustra esta minha reflexão matinal. A referida obra intitula-se: “Sobre a brevidade da vida” do filósofo romano, Sêneca. E , manuseando, acabo de me inteirar, que se trata de “um dos textos mais conhecidos de toda a Antiguidade latina”.
No livro, o sábio se vale de cartas enviadas por ele, nas quais discorre sobre “a natureza finita da vida humana”.No correr das páginas, vão sendo apresentadas “maneiras de prolongar a vida e livrá-la de mil futilidades que a perturbam sem, no entanto, enriquecê-la”.Escritas há quase dois mil anos, estas cartas compõem “uma leitura inspiradora para todos os homens, a quem ajudam a avaliar o que é uma vida plenamente vivida”...
Reponho o livro na estante, retomo a escrita e enquanto penso em palavras breves para finalizar a crônica, a doce figura da grande poeta goiana (Cora Coralina) que “se achava mais doceira do que escritora”, vem em meu socorro. Ela deixou patenteada esta afirmativa: “Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.”...
Palavras dignas de saborear.

A mim, só resta degustar a última brevidade do pacote, que ao se desmanchar na boca deixou o gosto “ de quero mais” e a certeza de que, os prazeres da vida não duram uma eternidade.

Como as coisas mudam- Parte III

Aliás...


...estive presente ao "Show Causos e Canções" no Teatro Municipal de Niterói(2000), onde Mário Lago contava "causos" e o cantor Chamon interpretava suas canções.
Ao término, fui ao camarim e ele,solícito, autografou o seu livro"16 linhas cravadas" de onde fiz na postagem anterior: "O dono da bola".

E dele...


...O dono da bola

Quando o Juca concordava
A garotada tomava
Conta da rua e armava
O campo de futebol.
Juca era o dono da bola.
Juca era o dono do jogo
Fazia
O que bem entendia
E quando alguém discutia...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brincava com o Juca
Juca era o dono da bola.
Na hora de escolher o time
Era o Juca quem primeiro dizia
Os meninos que queria
Pro time dele.
Se o capitão do outro time
Discordava,
O jogo nem começava.
O Juca guardava a bola.
Ninguém brincava com o Juca
Juca era o dono da bola.
A garotada corria
De um lado para o outro.
Dribla daqui, chuta pra lá,
Passa para ali, cabeceia prá cá...
Juca ficava sentado
O tempo todo. Mas na hora
De fazer gol se mexia.
Corria e gritava: “Passa
que quem faz gol sou eu”.
Esse o outro não passava.
Ou se chutava e marcava
O gol que o Juca esperava...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca
Juca era o dono da bola.
Todo gol que o outro time
Fazia era anulado.
Ou tinha sido com a mão
Ou impedido. Anulado.
O Juca dava rasteira,
Canelada, cabeçada,
Aleijava a garotada
E o juiz não marcava nada.
O tranco mais delicado
Dado no Juca era pênalti
E quando alguém discordava...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca.
Juca era o dono da bola
Um dia o Alfredinho achou
Que aquilo era desaforo.
Driblou o primeiro, driblou o segundo,
Driblou o terceiro, o quarto...
O Juca xingou a mãe dele.
Ele meteu a mão no Juca
(A garotada ficou espantada).
O Juca avançou pra ele,
Ele tornou a dar no Juca
(A garotada ficou animada)
O Juca avançou outra vez.
Ele então
Jogou o Juca no chão
(A garotada foi toda em cima do Juca)

Quando Alfredinho voltou pra casa
O pai estava se queixando
Que o dinheiro que ganhava
Não chegava
pra alugar outra casa
ao menos com mais um quarto
pra botar seus nove filhos;
para comprar mais comida,
feijão pra seus nove filhos;
para comprar umas roupas
pra vestir seus nove filhos;

-Papai , por que o dinheiro
Que você ganha não chega?
- É pouco.
- Porque é pouco?
- porque o patrão paga pouco.
- Papai porque vocês
Não pedem mais ao patrão?
- o patrão despede a gente,
A gente fica sem pão.

Porque que o patrão despede?
Porque ele é o dono das fábricas,
Porque ele é dono das máquinas.
Papai,
Por que vocês
Não fazem com ele
O mesmo que nós fizemos com o Juca?
- Quem é o Juca?
_ Juca era o dono da bola.
_Que foi que vocês fizeram?
_ Tomamos a bola dele
Quando o Juca concordava
A garotada tomava
Conta da rua e armava
O campo de futebol.
Juca era o dono da bola.
Juca era o dono do jogo
Fazia
O que bem entendia
E quando alguém discutia...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brincava com o Juca
Juca era o dono da bola.
Na hora de escolher o time
Era o Juca quem primeiro dizia
Os meninos que queria
Pro time dele.
Se o capitão do outro time
Discordava,
O jogo nem começava.
O Juca guardava a bola.
Ninguém brincava com o Juca
Juca era o dono da bola.
A garotada corria
De um lado para o outro.
Dribla daqui, chuta pra lá,
Passa para ali, cabeceia prá cá...
Juca ficava sentado
O tempo todo. Mas na hora
De fazer gol se mexia.
Corria e gritava: “Passa
que quem faz gol sou eu”.
Esse o outro não passava.
Ou se chutava e marcava
O gol que o Juca esperava...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca
Juca era o dono da bola.
Todo gol que o outro time
Fazia era anulado.
Ou tinha sido com a mão
Ou impedido. Anulado.
O Juca dava rasteira,
Canelada, cabeçada,
Aleijava a garotada
E o juiz não marcava nada.
O tranco mais delicado
Dado no Juca era pênalti
E quando alguém discordava...
O Juca guardava a bola.
Ninguém brigava com o Juca.
Juca era o dono da bola
Um dia o Alfredinho achou
Que aquilo era desaforo.
Driblou o primeiro, driblou o segundo,
Driblou o terceiro, o quarto...
O Juca xingou a mãe dele.
Ele meteu a mão no Juca
(A garotada ficou espantada).
O Juca avançou pra ele,
Ele tornou a dar no Juca
(A garotada ficou animada)
O Juca avançou outra vez.
Ele então
Jogou o Juca no chão
(A garotada foi toda em cima do Juca)

Quando Alfredinho voltou pra casa
O pai estava se queixando
Que o dinheiro que ganhava
Não chegava
pra alugar outra casa
ao menos com mais um quarto
pra botar seus nove filhos;
para comprar mais comida,
feijão pra seus nove filhos;
para comprar umas roupas
pra vestir seus nove filhos;

-Papai , por que o dinheiro
Que você ganha não chega?
- É pouco.
- Porque é pouco?
- porque o patrão paga pouco.
- Papai porque vocês
Não pedem mais ao patrão?
- o patrão despede a gente,
A gente fica sem pão.

Porque que o patrão despede?
Porque ele é o dono das fábricas,
Porque ele é dono das máquinas.
Papai,
Por que vocês
Não fazem com ele
O mesmo que nós fizemos com o Juca?
- Quem é o Juca?
_ Juca era o dono da bola.
_Que foi que vocês fizeram?
_ Tomamos a bola dele.

Mário lago

A notícia do dia


O centenário de Mário Lago

Do:estadão.com.br


Mário Lago nasceu no bairro da Lapa, berço da boemia carioca, no dia 26 de novembro de 1911. Viveu a época de ouro do samba e do florescimento da cultura popular brasileira no início do século XX. Foi ator, escritor, jornalista, compositor, dramaturgo, poeta e militante político. Um homem de vários atos.

Teatro e Televisão

Ao mesmo tempo em que se dedicava à música e ao rádio, Mário Lago também assumiu sua vocação de artista popular ao escrever para o teatro de revista. De acordo com a historiadora Monica Velloso, as peças de Mário eram consideradas "popularescas" e de "baixo nível" por causa do seu conteúdo cômico e improvisado, em uma época em que a rígida crítica teatral distinguia o teatro "sério e erudito" do teatro "baixo e popular". Mário escreveu cerca de 40 peças entre os anos 1930 e 1970. Na década de 1960, ele levou suas experiências no teatro e no rádio para a televisão.

Sua estreia ocorreu em 1963, na série "Nuvem de Fogo" em 1966, Mário Lago fez sua primeira novela, "Sheik de Agadir" da Rede Globo. Entre novelas, séries e minisséries, Mário participou de mais de 90 produções para TV. Sua última atuação foi na novela "O Clone", da TV Globo em 2001.

Música

Oriundo de uma família de músicos, Mário Lago teve contato com a música ainda na infância, durante as aulas de piano com Lucília Villa-Lobos. Mas na adolescência, abandonou os instrumentos clássicos para se dedicar ao samba. Assim como Noel Rosa, Ari Barroso e João de Barro, Mário faria parte de um grupo de jovens de classe média do Rio de Janeiro a formar parcerias com músicos populares. Entre as décadas de 1920 e 1930, passou a compor sambas e marchinhas de carnaval, como "Aurora" e "Ai, que saudades da Amélia", famosas até hoje.

Segundo Monica Velloso, autora da biografia "Mário Lago: boemia e política", Mário costumava dizer que se inspirava na vida, na boemia e na sua amizade com as prostitutas, verdadeiras contadoras de histórias. As prostitutas representavam a arte "de saber viver a vida". A partir da década de 1940, o jovem músico começou a trabalhar como ator e produtor de rádio. Foi roteirista da radionovela "Presídio de Mulheres", sucesso de audiência da Rádio Nacional na década de 1950.

Cinema

Além do rádio, do teatro e da TV, Mário Lago também se aventurou no cinema, atuando e escrevendo em várias produções entre as décadas de 190 e 1980. Apesar do currículo extenso nas telonas, o cinema não era uma das suas áreas preferidas. Conta a historiadora Monica Velloso: "Em uma de nossas entrevistas para a biografia, Mário disse certa vez que gostava mais de fazer TV, pois cinema tinha ritmo muito lento. Além de atuar, outra grande paixão dele era a música."

Mário Lago atuou em filmes como "Terra em Transe", de Glauber Rocha (1967), "O Padre e a Moça", de Joaquim Pedro de Andrade (1966) e "São Bernardo", de Leon Hirszman (1972).

Literatura

Mário Lago gostava de dedicar parte do seu tempo à literatura. O primeiro livro, "O Povo Escreve a História nas Paredes", de 1948, reunia poemas de cunho político e histórico. Durante a vida, Mário escreveria outros 11 livros, a maioria como tema principal a memória. "O Mário não se limitava a contar as próprias lembranças. Ele gostava de escrever sobre as memórias do seu país e da sua cidade, o Rio de Janeiro". revela Monica Velloso.

Atuação Política

Além da arte, Mário Lago vivia em intensa atividade política. Durante a época da faculdade, na década de 1930 (ele se formou em Direito, mas nunca exerceu a profissão) aproximou-se do Partido Comunista.

Em 1957, chegou a viajar para a União Soviética a convite da Rádio Moscou. No entanto, esse vínculo lhe rendeu algumas prisões durante o governo de Getúlio Vargas e na ditadura militar.

Segundo Monica Velloso, Mário "sobreviveu" a duas ditaduras porque ele 'interpretava' o tempo todo. "Ele contava que, graças as suas habilidades artísticas, era bem sucedido nos interrogatórios promovidos pelos militares. Foi o seu talento de ator e sua rapidez ao responder as perguntas que o salvaram dos momentos difíceis", revela a historiadora. Mário Lago atuou em várias campanhas políticas, como as Diretas Já. Com a volta da democracia no fim da década de 1980, passou a apoiar o PT nas eleições.


Pro dia nascer feliz


"Fiz o que quis e fiz com paixão. Se a paixão estava errada, paciência. Não tenho frustrações, porque vivi como em um espetáculo. Não fiquei vendo a vida passar, sempre acompanhei o desfile."

Mário Lago

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Beneficência Portuguesa começa processo de acreditação

Consultora Maria Aparecida na primeira aula da acreditação



Uma chancela de qualidade, que ateste a excelência no cuidado ao paciente baseada em padrões internacionais. Com este propósito, a Sociedade Portuguesa de Beneficência de Campos (SPBC) realizou nos dias 17 e 18 de novembro o primeiro encontro dos funcionários da instituição com a consultoria de acreditação, selo de qualidade emitido pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA).
O corpo funcional do hospital será preparado para o trato com os pacientes, de acordo com os padrões de qualidade da Joint Comission International (JCI), principal referência quando o assunto é qualidade em instituições de saúde.
Nesse primeiro encontro, os funcionários tiveram a oportunidade de conhecer a metodologia que será implantanda durante o período de treinamento. Estão programados dois encontros por mês e o próximo acontece já no mês de dezembro.
A intenção no trabalho, inovador para a região Norte e Noroeste do Estado, é redesenhar os processos, a definição das políticas, de planos, padrões, protocolos e procedimentos de cada setor da Beneficência Portuguesa.
— A acreditação vai nortear a melhoria contínua de nossos serviços para a segurança do paciente e do profissional da área médica do hospital. Todos os setores do hospital estarão envolvidos e formando grupos de trabalhos direcionados a cada um deles — explica Ana Paula Câncio, gerente de Recursos Humanos e coordenadora da acreditação da SPBC.
O primeiro encontro realizado no auditório da instituição, foi comandado pela consultora Maria Aparecida de Almeida, representante do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA). Ela avaliou como muito positivo os dois dias de curso.
— Fiquei muito feliz com essa primeira abordagem aqui na Beneficência Portugesa. Os funcionários foram muito receptivos e todos estão motivados para os trabalhos que ainda estão por vir — ressalta a consultora.
O que é acreditação hospitalar? O processo de acreditação, ainda recente no Brasil, é sistêmico e avalia o hospital desde a lavanderia até o centro cirúrgico. Entre as vantagens de se introduzir essa nova metodologia estão a melhoria tanto do gerenciamento da unidade quanto da qualidade da assistência ao paciente, que será feita com mais segurança e eficiência.
Para ser acreditado, o estabelecimento de saúde passa por uma avaliação feita por uma organização independente, a instituição acreditadora. Ultrapassada todas as etapas, a instituição recebe uma espécie de selo de qualidade internacional.

Por falar em Goytacaz...

A dica esportiva é ir conferir a decisão do estadual de juniores, onde o 'azul do povo' pega o Serrano de Petrópolis no 'Aryzão' em Campos neste domingo (27/11) a partir das 15h30. O Goyta precisa vencer por dois gols de diferença, já que na partida de ida o time perdeu por 1 a 0. A entrada é franca e a promessa é de casa cheia. Para quem gosta de futebol, é uma bela pedida! Todos lá !!!

Como as coisas mudam- Parte II

Meu Jogo Inesquecível: o dia em que Goyta de Tonico Pereira virou Seleção



Na verdade quem deveria fazer esta postagem é meu amigo Guga, também conhecido como Gustavo Rangel. Mas vai como uma homenagem a ele e todos torcedores do Goyta. A matéria é do Globo Esporte.com:

"Até onde vai a imaginação de uma criança? A resposta, que já tende ao infinito se levado em conta o mundo encantado de uma mente infantil, voa ainda mais longe quando toda criatividade é somada à paixão pelo futebol. E foi exatamente isso que aconteceu com o ator Tonico Pereira em meados de 1958, quando viveu seu momento inesquecível no futebol. Do radinho de pilha da sala de sua casa em Campos, interior do Rio de Janeiro, o Mendonça do seriado “A grande família”, da Rede Globo, se preparou, torceu e comemorou muito o título mundial conquistado pelo seu Goytacaz em Estocolmo, na Suécia. Pelo menos esse é o fruto de sua imaginação

A história é confusa, sim, mas o ator garante ter nexo. Apaixonado pelo Alvianil da Rua do Gás, como é chamado o time de Campos, Tonico Pereira aponta como o momento mais marcante de sua relação com o futebol a vitória por 5 a 2 da Seleção Brasileira sobre a Suécia, na final da Copa do Mundo de 58. A recordação, no entanto, não vem pela conquista nacional. Para ele, o mais importante foi saber que seu conterrâneo Valdir Pereira, o Didi, que defendeu o Goytacaz no início da carreira, fazia parte da lista dos primeiros brasileiros campeões mundiais. Mais do que isso, no papel de protagonista. Sobre a relação entre o clube de Campos, a equipe nacional e a tarde de 29 de junho daquele ano, o próprio ator fez questão de explicar em longo relato.

"Não vou mentir. Os jogos do Goytacaz contra o Americano sempre foram muito marcantes para mim, sendo que a nossa vantagem nesses encontros foi quase de 80%. Mas o Goytacaz revelou um jogador para o mundo, que chamava-se Didi “Folha Seca”. Ele me proporcionou o jogo mais marcante da vida, e não foi com a camisa do Goytacaz. Foi na final da Copa do Mundo de 58. Eu ouvia pelo rádio, com 10 anos, e me lembro que o Brasil sofreu o primeiro gol. Era uma tensão, todo mundo em volta do rádio, toda aquela precariedade da época. A Suécia abriu o placar e o Brasil, estigmatizado até por problemas raciais, era um time de vira-latas, como dizia Nelson Rodrigues. Tonico Pereira lembra o gesto do inventor da folha seca - como era conhecido o chute mortal de Didi, que mudava com efeito o curso da bola." - fundamental para a virada brasileira

Clique aqui e leia a matéria completa. Por sinal, ficou bem legal.

Mundo Estranho 57


 Jovem aplica mais de 100 injeções de silicone para aumentar os lábios

Uma jovem russa, de São Petersburgo, Kristina Rei, 22, sempre sonhou ter os lábios da personagem da Jessica Rabbit. Realizou seu desejo, mas de forma exagerada. A russa se submeteu a mais de 100 injeções de silicone, gastando mais de R$ 10 mil.

“Eu acho que meus lábios ficaram fantásticos e isso me faz feliz. Às vezes gritam nomes estranhos para mim na rua, mas eu não me importo”, contou Kristina ao Daily Mail. Ela admite ser viciada nisso e que planeja aplicar mais injeções de silicone nos lábios. Cada uma delas custa cerca de R$ 120 e é “extremamente dolorosa”, segundo as palavras da própria.


Para Kristina, seus lábios sempre foram “finos e feios” e por isso submeteu ao tratamento. “Minha irmã mais velha tem lábios carnudos, lindos, eu sempre amei a boca de Jessica Rabbit. Ela era a minha inspiração da mulher perfeita”, contou a jovem.


Segundo ela, o desejo de ter lábios maiores existe desde que tinha 4 anos de idade e foi acentuado pelas brincadeiras dos colegas de escola. “Meus colegas me chamavam de “feia”. Eles não me provocavam por causa de meus lábios especificamente – mas eu sempre acreditei que se eles fossem maiores, isso me faria ficar mais bonita”.


A primeira injeção de botox venho aos 17 anos. E não parou mais. “A primeira foi extremamente dolorosa, mas eu amei o resultado. Eu sabia que ia tomar mais injeções antes de ter os lábios que eu queria”.


A jovem se considera mais afirma bela e diz que recebeu todo o apoio da família. “Meus lábios grandes têm ajudado a aumentar a minha confiança. Mesmo os meus pais estão felizes por mim. Eles realmente não se importam com minha aparência. Alguns dos meus amigos me disseram que eu não deveria aumentá-los, mas eu não estou satisfeito ainda”.


Como se não bastasse o tamanho dos lábios, Kristina ainda quer passar por mais algumas intervenções cirurgicas. “Quando eu puder, quero aumentar meus seios, mudar o formato do meu nariz e fazer com que minha fiquem orelhas pontudas como um elfo. É bom ser diferente. “

Estranho. Muito estranho...

Do jornal Folha de São Paulo:


"O presidente do Corinthians, Andres Sanchez, já terá um trabalho remunerado depois de deixar o comando do clube paulista em 15 de dezembro próximo.
O dirigente recebeu um convite do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, para ser diretor de seleções da entidade e aceitou.
Na prática, Andres será o responsável por definir a programação, contratar treinadores para todas as categorias e coordenar as equipes.
Este cargo é novo. Antes da Copa do Mundo de 2010, o responsável pela área era Américo Faria, que atuava como supervisor. O último diretor foi Jorge Salgado, nos anos 90.
No Mundial da África do Sul, Andres já havia sido o chefe da delegação da seleção, que foi eliminada nas quartas de final diante da Holanda.
O presidente corintiano nunca escondeu que tem um ótimo relacionamento com Teixeira.
O anúncio sobre o novo cargo de Andres acontece às vésperas da penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. O Corinthians lidera o campeonato com 67 pontos, dois a mais do que o vice-líder Vasco. O clube paulista pode ser campeão neste domingo caso vença o Figueirense e veja o Vasco não derrotar o Fluminense."

Essa família é muito unida....

Do blog de Ancelmo Gois:

Não é piada
A família Bolsonaro não falha. Ontem (na verdade, anteontem), a Assembleia do Rio aprovou o programa Renda Melhor, por 54 votos a um.
O único voto contra foi do deputado Flávio Bolsonaro, que queria excluir do programa os pobres homossexuais.

Calma, santa

Do deputado Jair Bolsonaro, reincidente, ontem, em discurso na Câmara, ao condenar programas federais voltados para gays, que chamou de "boiolas":

- Dilma, se o seu negócio é um amor com homossexual, assuma! Assuma, Dilma!

Parece falta de decoro. E é.

Como as coisas mudam...

Campistada faz bonito na terra do Tio Sam

Galerinha do Centro de Cultura Musical nos enche de orgulho com a apresentação da orquestra jovem nos EUA. É só clicar abaixo e acompanhar a matéria reproduzida em rede nacional pela Record. Parabéns para a rapaziada!!!

Classificados

Detalhes

Por dentro do navio petroleiro de Eike Batista
iG Rio
Mariana Sant'Anna
25/11/2011
7:00h

O carioca que passa pelo porto do Rio observa um grande navio novo em folha ancorado na Baía de Guanabara. Não é bonito nem tem o brilho dos transatlânticos que começam a chegar ao Rio nesta temporada de quase verão. O gigante de 271 metros de comprimento que chama a atenção é o OSX-1, primeira embarcação fabricada pelo estaleiro do grupo EBX, que será responsável pela produção inicial de petróleo da OGX, também do empresário Eike Batista.

A produção deve começar na última semana de dezembro deste ano no campo de Waimea, na Bacia de Campos (RJ), segundo Carlos Bellot, diretor da OSX.
Entrar nesse gigante não é tarefa simples, mesmo para uma simples visita. Para começar, a reportagem do iG teve que teve que encarar uma longa escadaria. A alternativa era pior: ser suspenso por um guindaste a bordo de uma cesta ao sabor do vento nem sempre hospitaleiro. Dentro do OSX-1, é obrigatório o uso de equipamentos de segurança: capacete, óculos de proteção, luvas. O calçado não pode ter cadarço, deve ser fechado e ter solado de borracha. Também são obrigatórias a calça comprida e camisas ou camisetas de mangas compridas. Durante a operação do navio, o protetor auricular também é exigido. A entrada com telefones celulares e computadores também é proibida. As medidas de segurança devem ser seguidas por trabalhadores e visitantes, sem distinção.
Os números do OSX-1 impressionam. O navio custou US$ 610 milhões, cerca de R$ 1 bilhão. É do tipo FPSO - Floating production, storage, and offloading, ou unidade flutuante que produz, armazena e descarrega óleo, também conhecido como navio-plataforma. A capacidade de produção diária é de 60 mil barris de óleo por dia, e a de armazenamento é de 900 mil barris.
A unidade foi montada em Cingapura e viajou por 45 dias para chegar ao Rio, depois de passar 12 meses sendo customizada para operar na Bacia de Campos. Antes de seguir para o campo de Waimea, chegou a ser interditado pelo Ministério do Trabalho, por não atender a normas de segurança para os trabalhadores, mas os problemas serão facilmente superados, segundo executivos da OSX.
Nos primeiros meses, o OSX-1 fará parte de um Teste de Longa Duração (TLD). Durante este período, o navio deve produzir entre 15 e 20 mil barris de óleo por dia. Este período de testes tem o objetivo de dar mais informações sobre as características do campo à empresa.
Dentro do navio também é processado o gás retirado junto do petróleo. No caso do campo de Waimea, como a quantidade de gás é pequena, serve apenas para gerar energia elétrica para o funcionamento do próprio navio. Um módulo trata o gás e outro produz eletricidade a partir dele.
O FPSO também tem uma área chamada de casario, onde ficam asáreas de controle, refeitórios, dormitórios, bibliotecas técnicas e áreas de lazer, entre outras, e um heliponto. Tem capacidade para até 80 pessoas, mas vai trabalhar com 63.
Os funcionários são todos experientes, oriundos de outras empresas de petróleo, especialmente a Petrobras. Para o primeiro navio da frota, a OSX optou por preencher seus quadros apenas com profissionais que já conhecem bem os mares que navegarão. Mas para as próximas unidades, OSX-2 e OSX-3, que deverão ser entregues em 2013, a empresa buscará também profissionais sem experiência no mercado. A seleção começa em janeiro do ano que vem, para os interessados em trabalhar em gigantes como este.
O OSX-1 está ancorado no porto do Rio de Janeiro antes de seguir para a Bacia de Campos, de onde vai extrair petróleo.