quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Recebi e repasso

Seminários da Officina de Estudos do Patrimônio Cultural.

Na próxima terça-feira, dia 05 de março, às 15h, na Sala Multimídia do CCH, teremos uma palestra com Simone Amorim, assessora da Secretaria de Estado de Cultura, intitulada "Sistema Estadual de Cultura do RJ - Debate sobre o Plano Estadual de Cultura".
Segundo a SEC, o Plano Estadual de Cultura "está sendo criado a partir do diálogo com gestores públicos dos 92 municípios do estado, representantes de entidades, agentes culturais, artistas, Comissão de Cultura da ALERJ e o MinC para apontar diretrizes para as políticas públicas no estado do Rio de Janeiro", daí ser fundamental nossa presença nesta oportunidade que teremos de discutir, em nossa casa (UENF), o Plano que se quer para o Estado para os proximos 10 anos.
Isto é, a nossa assistir à palestra e vir debater implica em nossa efetiva participaçao no Plano. Sugiro a todos que venham a participar deste debate, que leiam a minuta do Plano, para que possamos de fato enriquecer o debate.
 Para tanto acessem a pagina http://www.cultura.rj.gov.br/projeto/plano-estadual-de-cultura
Ali também, vocês podem encontrar alguns outros documentos que possam subsidiar o debate, como por exemplo o diagnóstico feito pela secretária.
A participação efetiva no Plano se dá apenas por via on line.
Mas a reflexão e o debate sobre a minuta, fortalece nossas contribuições.

Regra sobre ligação de celular refeita após queda de sinal entra em vigor

Anatel proíbe operadoras de cobrar por nova ligação após queda. Alteração prevê que ligação para mesmo número seja considerada uma só.
Fonte:G1

A Anatel informou que entrou em vigor nesta quarta-feira (27) a regra que estabelece que as chamadas sucessivas feitas de celular para um mesmo número sejam consideradas uma única ligação para efeitos de tarifação em caso de interrupção ou queda de sinal.
Para serem consideradas sucessivas, as chamadas deverão ser refeitas no intervalo máximo de 120 segundos entre os mesmos números de origem e de destino.
A regra foi aprovada em novembro do ano passado com o objetivo de evitar que o usuário sofra prejuízos com quedas de ligações.
"Caso uma ligação seja interrompida por qualquer razão e o usuário repeti-la em até 120 segundos, essa segunda chamada será considerada parte da primeira, como se a primeira não tivesse sido interrompida", informou a Anatel.
"Não haverá limites para a quantidade de ligações sucessivas. Se as chamadas forem interrompidas diversas vezes e forem refeitas no intervalo de até 120 segundos, entre os mesmos números de origem e destino, serão consideradas a mesma ligação", acrescenta a agência.
A alteração abrange apenas ligações feitas de telefones móveis, mas os números de destino poderão ser fixos ou móveis.
Ainda de acordo com a Anatel, a nova regra dserá aplicável a todos os planos de serviço oferecidos pelas prestadoras, tanto aqueles que realizam tarifação por tempo quanto por chamada.
  "No caso de quem paga a ligação por tempo, haverá a soma dos segundos e minutos de todas as chamadas sucessivas.
No caso de quem paga por ligação, as chamadas sucessivas serão consideradas uma só para efeito de cobrança e não poderão ser cobradas do consumidor como ligações diferentes", explicou a Anatel.
A regra antiga estabelecia que, se houver queda até 30 segundos após o início da chamada, e em até 2 minutos a pessoa voltar a ligar para o mesmo número, a operadora só poderia cobrar por uma ligação.

Fim de férias:Hora de faxinar gavetas


Saiba por quanto tempo é preciso guardar as contas de água, luz, telefone e condomínio
Lívia Alves, iG São Paulo
 
Quem nunca reclamou de ter que guardar milhares de contas dentro de casa?
 O acúmulo de papéis pode ser perturbador e contribuir para a bagunça da casa, mas arquivar documentos é muito importante e Getty Imagesnecessário.
 Afinal, só com eles você pode justificar que uma conta já foi paga, reclamar de um produto adquirido que está com defeito ou ainda comprovar propriedade ou posse de um bem.
  - Quanto tempo guardar?
- Contas pagas pela internet
- Como organizar as contas ?
Para diminuir a quantidade de documentos e facilitar a organização, em 2009, foi aprovada uma lei (12.007) que obriga as prestadoras de serviços público ou privado a encaminhar ao consumidor uma declaração de quitação anual de débitos, que deve ser enviada até o mês de maio do ano seguinte.
De acordo com a legislação, somente terão direito a este documento aqueles que estiverem em dia com todas as parcelas ou mensalidades do ano anterior.
Entretanto, é importante frisar que o consumidor só poderá se desfazer dos recibos pagos mensalmente no momento em que receber o documento de quitação anual.
 É preciso ficar alerta se na declaração de quitação tem contido a informação de que a mesma substitui as quitações dos faturamentos mensais.
Mundo digital
No caso de pagamentos feitos pela internet, é importante imprimir ou salvar uma cópia do comprovante assim que a conta for quitada.
 
Prazos
 
Segundo a Fundação Procon-SP, o período para conservação das declarações anuais e também de outros documentos varia conforme a situação.
  Veja alguns prazos para se livrar da papelada: - Tributos - Água, energia, telefone e demais contas de serviços essenciais - Condomínio - Consórcio - Seguro - Convênio médico - Mensalidade escolar/ cursos livres - Cartão de crédito - Aluguel - Compra de imóvel - Notas fiscais e certificados de garantia - Contratos - Contracheque - Notas de serviço - Carnê do INSS - Cheques
- Tributos:
- os comprovantes de pagamentos de IPTU, IPVA e a declaração de Imposto de Renda devem ser mantidos por cinco anos.
- Água, energia, telefone e demais contas de serviços essenciais: declarações devem ser conservadas por cinco anos.
- Condomínio: declarações de quitação do pagamento do condomínio devem ser guardadas durante todo o período em que o morador estiver no imóvel. Após a saída, conservá-los por 10 anos (prazo prescricional estipulado pelo Código Civil).
  - Consórcio: declarações devem ser guardadas até o encerramento das operações financeiras do grupo.
- Seguro: proposta, apólice e as declarações de pagamento devem ser guardadas por mais um ano após o fim da vigência.
- Convênio médico: proposta e contrato devem ser guardadas por todo o período em que estiver como conveniado. Recibos dos 12 meses anteriores ao último reajuste devem ser guardados por todo o período de contratação.
 Importante ressaltar que contrato de seguro saúde segue as regras dos seguros em geral, ou seja, qualquer reclamação ou ação judicial (do consumidor ao seguro ou do seguro ao consumidor) deve ser feita no prazo de um ano.
  - Mensalidade escolar/ cursos livres: declarações e contrato devem ser guardados pelo período de cinco anos.
  - Cartão de crédito: declarações e contrato devem ser guardados pelo período de cinco anos.
- Aluguel: o locatário deve guardar o contrato e as declarações de pagamento por até três anos após a desocupação do imóvel e o recebimento do termo de entrega de chaves.
- Compra de imóvel: a proposta, o contrato e todos os comprovantes de pagamento devem ser conservados pelo comprador até a lavratura e registro imobiliário da escritura.
  - Notas fiscais e certificados de garantia: as notas fiscais de compra de produtos e serviços duráveis e certificados de garantia devem ser guardados pelo prazo da vida útil do produto/serviço, a contar da aquisição do bem, uma vez que, mesmo após o término da garantia contratual, ainda há possibilidade de aparecerem vícios ocultos.
- Contratos: contratos em geral precisam ser conservados até que o vínculo entre as partes seja desfeito e, em se tratando de financiamento, até que todas as parcelas estejam quitadas e o bem desalienado.
- Contracheque : Devem ser guardados por cinco anos.
  - Notas de serviço: Devem ser guardados por cinco anos.
- Carnê do INSS: deve ser mantido até a aposentadoria e a retirada do benefício.
  - Cheques: mantenha-os de 30 a 60 dias após a emissão. Sua compensação deve acontecer no prazo máximo de um mês, a partir da emissão do cheque, se for da mesma praça; e de dois meses, se for de outra praça. A prescrição de um cheque pode ser feita em um prazo máximo de seis meses contados da apresentação. O canhoto de cheque não tem valor legal, só vale para conferência.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Olhar sobre o cotidiano


Foto:walnize carvalho

Será que o espaço de serestas não seria:AL DI LÁ - referência a música italiana,sucesso dos idos de 60?

Charge do dia- Amarildo


Sobre o e-mail recebido pelos advogados


Vi há pouco no blog de Claudio Andrade que o mesmo entrou em contato por telefone com o vice-presidente da OAB de Campos, Dr. Reynaldo Tavares, que informou que desconhece a questão, mas mesmo assim repassará os dados para Dr. Carlos Fernando Monteiro da Silva, Presidente da 12ª subseção.
Melhor assim.  Na postagem sobre o assunto, não afirmei que eram todos os advogados que receberam o mencionado e-mail propagando as realizações do atual governo municipal. Até porque seria uma irresponsabilidade de minha parte. O que se busca, tão somente, é um esclarecimento para o fato. 
Que ele venha agora.

Atualização às 14:20:
No blog do advogado Claudio Andrade, o vice-presidente da OAB, Dr. Reynaldo Pessanha, posicionou-se sobre a questão. Agradeço a ambos.

"Prezado Neto Cordeiro.

 
Soube dos fatos denunciados em seu blog através do companheiro Dr. Claudio Andrade, no dia de hoje(27/02.
 
Na qualidade de vice presidente da nossa estimada e independente OAB 12ª Subseção posse garantir ao companheiro, que assim como diversos colegas, e nesse rol eu me incluo, NÃO RECEBI o mencionado email, mas não obstante, posso afiançar ao companheiro que em momento algum a 12ª subseção disponibilizou email's dos advogados nela inscritos e não autorizou a quem quer que seja, se assim ocorreu, a usar o nome de nossa entidade.

Já está sendo convocada uma reunião com funcionários para se seber e apurar se esses email's foi por algum funcionário disponibilizado sem o conhecimento e consentimento meu ou do presidente Dr. Carlos Fernando,e sendo comprovado, medidas administrativas serão aplicadas.
 
Peço ainda ao companheiro se possuir essa fonte que passou os email's dos companheiros advogados, que me informe.
estou a sua disposição e de quem precisar na nossa sede, TODOS os dias à partir das 16:30 será um prazer recebe-los para um café pois A CASA DOS ADVOGADOS é NOSSA.
 
Despeço-me com as mais cordiais saudações de estima e apreço.
 
Dr. Reynaldo Pessanha"

Compro cabelos

Na meca gaúcha do negócio capilar, não tem cabeleira ruim

por Alexandre Rodrigues
Revista Piauí/77

Conduzindo a filha Michele, 12 anos, pelo braço, Gisela Braga atravessa, ainda desconfiada, a porta de entrada de uma sala do Esqueleto, edifício do Centro de Porto Alegre conhecido por sua aparência inacabada – está para ser terminado desde 1959. Ambas ostentam uma longa e densa cabeleira preta solta sobre os ombros e são levadas por um agenciador, Eliseu Soares Jr., que é quase completamente careca. Era uma manhã de dezembro quando as duas saíram de casa em Cachoeirinha, na região metropolitana, rumo à capital gaúcha, com uma ideia na cabeça: vender os cabelos.
A negociação é rápida. Renan de Fraga Moreira, o gerente de mechas curtas e espetadas, examina as madeixas de Michele, prendendo-as numa trança. Após constatar que medem 50 centímetros, faz uma oferta: 500 reais. Negócio fechado. A adolescente tem os cabelos lavados numa pia na sala ao lado. A mãe, que observa tudo, revela: “Também já vendi o cabelo. Três anos atrás.” A filha escolhe em um catálogo o novo visual, igual a um usado pela atriz Mariana Ximenes. Tem então a melena cortada e depositada sobre uma toalha branca. Em poucos minutos, ganha um corte curtíssimo. É a vez de a mãe anunciar: “Vou cortar também.”
O estabelecimento fica na meca do comércio de cabelos em Porto Alegre. No 2º andar do Esqueleto, acima de uma galeria de lojas especializadas em câmeras, relógios e bugigangas eletrônicas importadas, funcionam nove salas, todas com o mesmo anúncio na porta: “Compro cabelo.” A maior delas é a Central do Cabelo, um salão no fundo do corredor com as paredes cobertas por um mostruário de centenas de rabos de cavalo. São cabelos pretos, louros, ruivos, castanhos e grisalhos, de textura lisa, cacheada e ondulada, nos comprimentos curto, médio e longo.
Vera Regina Abreu de Fraga, proprietária do negócio, tem madeixas castanhas e avolumadas. Começou como cabeleireira no mesmo andar, e, dez anos atrás, vendo que os apliques tinham chegado para ficar, decidiu mudar de ramo. “As pessoas me perguntavam: ‘Compra cabelo?’ Resolvi comprar.” Hoje é a principal fornecedora dos salões da cidade que oferecem o megahair, técnica que cola fios novos aos originais com silicone, proporcionando um cabelame a quem não quer, ou não pode, esperar o próprio crescer. Há cinco anos, ganhou a companhia do filho, Renan Moreira, que trocou a carreira de cabo do Exército pela gerência da loja.
No mundo da compra e venda de cabelos, espessura e volume são tão importantes quanto o comprimento, ensina Vera. Fios grisalhos são comprados porque aceitam melhor a tintura; cabelos masculinos são melhores para apliques porque passaram por menos tratamentos químicos. Melhor ainda, ressalta ela, se for cabelo infantil – por isso Moreira corre à porta quando entra outra mulher trazendo pela mão uma garota pequena. A criança tem os cabelos compridos e pretos como os da mãe. Depois de uma breve conversa, as duas vão embora. “A guria queria vender, mas sem cortar rente, só aparar”, explica ele. “Pena. Cabelo infantil vale mais por ser mais fino.”
Entra a seguir Cristiane Machado, que, com os cabelos presos, não dá impressão de ter muito a vender. Mas, quando solta o elástico, revela o maior rabo de cavalo do dia. Com 60 centímetros, a oferta é a mesma para os cabelos 10 centímetros menores: 500 reais.
S ó madeixas louras e compridas, como as da modelo Gisele Bünd-chen, alcançam um valor maior, entre 700 e mil reais. São, explica Moreira, o Santo Graal do ramo. “O cabelo da Gisele é o que mais tem procura. Quando aparece igual, tem comprador no mesmo dia.” Nos salões, um aplique com a melena igual à da top brasileira, nas versões lisa ou ondulada, custa até 3 mil reais.
Cristiane aceita os 500 reais. Enquanto tem os cabelos tosados, comenta a surpresa que o marido terá – é a primeira vez que os corta desde que se casou, há um ano. Com alguns ajustes na frente, surge o novo corte, um penteado puxado pa-ra o lado, também inspirado em Mariana Ximenes. “É quem elas mais escolhem”, diz Sérgio Matoso, cabeleireiro e marido de Vera. No catálogo, havia a opção de Cristiane ficar parecida com Xuxa, Ana Maria Braga e a atriz Samara Felippo. “Até pensamos em trocar, mas esses cortes ainda são os preferidos, então vamos deixando.”
Quem também fica satisfeita é Graciela Aguiar da Silva, de cabelos espetados e descoloridos nas pontas, que descobriu Cristiane na rua e, por tê-la levado até a Central do Cabelo, ganha uma comissão de 50 reais. Com uma placa pendurada no peito, “Compro cabelos”, Graciela vive há treze anos de encontrar quem queira vendê-los. A concorrência é dura. “Não dá para dar mole. Se vejo um cabelo bonito, não tenho vergonha. Vou e pergunto: ‘Quer vender?’” Além dela, há cerca de sessenta outros “olheiros” diariamente nas redondezas fazendo o mesmo.
O negócio segue a sazonalidade. Em fevereiro, a procura maior dos salões é por cabelos crespos, que serão usados no Carnaval. Os compridos são mais procurados no inverno. No final do ano, com a proximidade do Natal e a chegada do verão, aumentam as interessadas em vender suas melenas, e os preços caem. No meio do corte, algumas choram. Outras desistem e vão embora.
         O gerente Moreira não revela qual o lucro do estabelecimento na venda. Mas garante que todo mundo pode ganhar alguma coisa. “Este é um negócio em que não há cabelo ruim.” Mesmo os curtos têm um preço, de 10 reais, diz. Curiosamente, os muito longos é que sofrem o maior preconceito. “A partir de certo comprimento ninguém quer usar. As pessoas pensam que cabelo grande demais é promessa.”

Coisa de novela...

Na Capadócia de "Salve Jorge" Morena acessa a internet num piscar de olhos! E olha que é na caverna de Zyah...

Artista cria 'loja' dedicada ao 'Álbum Branco' dos Beatles

DA BBC BRASIL
O artista americano Rutherford Chang criou uma loja de discos que tem apenas um vinil - o White Album dos Beatles.
  Mas, ao invés de vender os álbuns, Chang compra os exemplares de qualquer pessoa que queira vender um original, sem se importar com as condições do disco.
Até o momento, Chang conseguiu juntar 650 cópias da primeira edição do White Album.
  Chang considera a primeira edição do vinil dos Beatles o item de colecionador mais valioso que poderia conseguir e espera juntar o maior número possível de cópias

Advogados em Campos recebem e-mail com propaganda da Prefeitura



Um fato incomum está incomodando alguns advogados em nossa cidade, como pode se constatar em relatos no Facebook ou em conversas que tive com alguns deles.
Há dias, começaram a receber e-mails com propaganda das realizações da prefeitura de Campos.
Quando cursei Direito, uma das primeiras coisas que aprendi é que a OAB é uma entidade independente. Sabe-se que cada pessoa pode fazer campanha ou votar em quem bem entender. Mas misturar as estações desta forma é, no mínimo, esquisito.
O blog abre espaço para qualquer explicação por parte da atual gestão da OAB local.

Atualização às 10:57 para melhor compreensão do texto.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Reggae invade o Sana

Integrar a comunidade e visitantes é um dos objetivos do Sana Reggae Festival que acontece de sexta-feira (1º de março) a domingo (3 de março), na região serrana de Macaé. O evento está em sua terceira edição e conta com apoio do governo municipal, por meio da Fundação de Esporte e Turismo (Fesportur).

A ideia é também ampliar o ecoturismo da região e, ainda, evidenciar a importância da preservação do meio ambiente. Todas as atividades, culturais e esportivas, são gratuitas e acontecem na Tenda Cultural, localizada ao lado do campo de futebol.

O festival busca mobilizar crianças, jovens e adultos com vasta programação. Na sexta-feira, é possível prestigiar a atração MUV, a partir das 19h. Em seguida, entra no palco, às 21h, Vell Rangel. Às 22h30, é a vez de Via Jah e, logo após, Jr. China.

No sábado (2), o festival começa às 21h. As apresentações são: Raízes que Tocam, Dom Luiz – Naturalmente Sana, às 23h30, com participações de Da Ghama (ex Cidade Negra), José Rodrigues (Unidade Punho Forte), Tainã Rocha, Vitória da Glória, Tcheco (Nova Semente).

As atividades, no último dia do evento, domingo (3), iniciam, às 8h, com corrida ecológica e downhill, além de oficinas, exibição de vídeos sobre educação ambiental e, ainda, programação infantil. Às 17h, tem Circo a Céu Aberto. Às 20h, é a vez de Monte Zion e, em seguida, às 22h, Planta e Raiz.

Todos os dias, na Tenda Cultural, será promovida cultura reggae e hip hop, e nos intervalos apresentações de break dance, Mcs e Grafite ao vivo.

Convite

Leque


De volta à cidade e a rotina do dia a dia, ontem fui ao Centro com um leque na mão.
Para abrandar o calor? Não! O leque a que me refiro é de contas a pagar, que no início do ano "vem de com força"!
Na verdade suava frio!rs...

Irã 'tira' decote de foto de Michelle na cerimônia do Oscar


Da:Folha de São Paulo
DE WASHINGTON

O decote e os braços desnudos da primeira-dama americana, Michelle Obama, para anunciar o vencedor do Oscar de melhor filme na noite de anteontem, "Argo", aparentemente não agradaram os censores iranianos.
  A agência de notícias iraniana Fars, segundo fotos que circularam ontem na internet, usou o Photoshop para acrescentar mangas e mais tecido no colo ao longo prateado da estilista indiano-americana Naeem Khan, que Michelle usou para fazer o anúncio por meio de link ao vivo da Casa Branca.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Receita libera hoje programa para declaração do IR 2013

Do:Uol
A Receita Federal liberou nesta segunda-feira (25), a partir das 8h, o programa para o preenchimento da declaração do Imposto de Renda 2013 (ano-base 2012).
O download estará disponível aqui no UOL, e também na página da Receita na internet. A entrega da declaração começa em 1º de março e termina em 30 de abril. A expectativa é receber mais de 26 milhões de declarações, segundo o supervisor nacional do IR, Joaquim Adir.

Veja a lista de vencedores do Oscar 2013





MELHOR FILME

"Argo" (VENCEDOR)

MELHOR DIREÇÃO

Ang Lee – "As Aventuras de Pi" (VENCEDOR)
 
MELHOR ATOR
Daniel Day Lewis - "Lincoln" (VENCEDOR)

MELHOR ATRIZ

Jennifer Lawrence – "O Lado Bom da Vida" (VENCEDOR)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Christoph Waltz - "Django Livre" (VENCEDOR)
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Anne Hathaway – "Os Miseráveis" (VENCEDOR)


MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

"Django Livre" – Quentin Tarantino (VENCEDOR)
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
"Argo" – Chris Terrio (VENCEDOR)
MELHOR FILME ESTRANGEIRO
"Amor" (VENCEDOR)


MELHOR ANIMAÇÃO
"Valente", de Mark Andrews e Brenda Chapman (VENCEDOR)

MELHOR FIGURINO
"Anna Karenina" – Jacqueline Durran (VENCEDOR)


MELHOR DOCUMENTÁRIO
"
"Searching for Sugar Man" (VENCEDOR)

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM
"Inocente" – Sean Fine e Andrea Nix Fine (VENCEDOR)


MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO
"Paperman" – John Kahrs (VENCEDOR)

MELHOR CURTA-METRAGEM

"Curfew" – Shawn Christensen (VENCEDOR)
MELHOR MAQUIAGEM E CABELO

"Os Miseráveis" – Lisa Westcott e Julie Dartnell (VENCEDOR)

MELHOR EDIÇÃO
"Argo" – William Goldenberg (VENCEDOR)
"

MELHOR FOTOGRAFIA

"As Aventuras de Pi" – Claudio Miranda (VENCEDOR)


MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

"Skyfall" (de "007 - Operação Skyfall") – Música e letra de Adele Adkins e Paul Epworth  (VENCEDOR)

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

"As Aventuras de Pi" – Mychael Danna  (VENCEDOR)


DIREÇÃO DE ARTE

"Lincoln" – Rick Carter (design de produção) e Jim Erickson (decoração do set) (VENCEDOR)

EDIÇÃO DE SOM

"007 - Operação Skyfall" – Per Hallberg e Karen Baker Landers (VENCEDOR)


MIXAGEM DE SOM

"Os Miseráveis" – Andy Nelson, Mark Paterson e Simon Hayes (VENCEDOR)


EFEITOS VISUAIS

"As Aventuras de Pi" – Bill Westenhofer, Guillaume Rocheron, Erik-Jan De Boer e Donald R.Elliott (VENCEDOR)


domingo, 24 de fevereiro de 2013

Filhos de presos torturados carregam a dor do passado


Janaína não esquece o sofrimento dos pais no Doi-Codi; com 5 anos, ela e o irmão Edson, de 4, foram presos Foto: Eliaria Andrade / Agência O Globo
Janaína não esquece o sofrimento dos pais no Doi-Codi; com 5 anos, ela e o irmão Edson, de 4, foram presosELIARIA ANDRADE / AGÊNCIA O GLOBO

SÃO PAULO - “Mãe, por que você está azul e o pai está verde?”, perguntou Janaína Teles à mãe Maria Amélia ao visitá-la na carceragem do Doi-Codi, órgão da repressão subordinado ao Exército, em São Paulo. Tinha apenas 5 anos e ficou presa junto com o irmão Edson, de 4, em uma sala trancada, de onde saíam apenas para ir ao banheiro, sob o comando do general Brilhante Ustra. Ernesto Nascimento, filho de Manoel Dias e Jovelina, já tinha sido entregue à adoção pelos agentes do regime quando os pais foram libertados para serem trocados pelo embaixador alemão.

Telma e Denise Lucena não se esquecem da imagem do pai sendo morto na porta de casa. Gino Guilardini foi torturado aos 8 anos de idade para dizer onde o pai estava. Violência semelhante à que foi submetido Carlos Alexandre Azevedo, quando tinha apenas 1 ano e 8 meses de idade. Ele foi agredido por militares que queriam pressionar seus familiares a fornecer detalhes das organizações contra o regime. Suicidou-se na última semana, após 39 anos de sofrimento e muita dor causada pelos traumas da infância.
A morte de Carlos Alexandre gerou uma rede de solidariedade em torno da família do rapaz nesta semana e motivou a inclusão de um novo tema para resgate pelas comissões da verdade que investigam a história da repressão no país, tanto em âmbitos estaduais (São Paulo e Pernambuco) quanto nacional. As três comissões planejam rever a história de crianças que sofreram em silêncio a violência e o impacto da ditadura militar.
— Meu filho foi suicidado, assim como ocorreu com Vladimir Herzog. Viveu um longo processo até chegar ao limite da sua angústia. Sempre demonstrou, desde criança, o impacto (da repressão e da prisão dos pais) na sua vida, e na medida em que foi tomando consciência do que havia se passado, passou a entender que tinha sido vítima de um processo político — disse ao GLOBO o pai de Carlos Alexandre, Dermi Azevedo, que lançou no último mês um livro de memórias sobre o período em que foi militante político.
A luz acesa na cozinha da casa perto do Doi-Codi onde dormia no período em que os pais estavam presos não sai da cabeça de Janaína Teles, presa aos 5 anos, um dia depois dos pais, militantes políticos.
— Eu tinha costume de abraçar e beijar muito os meus pais. Quando cheguei na cela, fui dar um beijo neles e eles não conseguiam se mexer. Eu estranhei. Falavam pra mim que eles estavam doentes, que ali era um hospital — recordou-se a menina, que também não conseguia dormir por causa da lembrança dos gritos e do que tinha visto durante o dia na unidade da repressão.
Militares perguntavam a ela informações sobre as atividades dos pais. A resposta padrão era “não sei”. Até que um dia o interrogando se irritou: “Não sabe ou não quer dizer?”
— Não sei e não quero dizer.
Janaína ficou pelo menos seis meses sem ter notícias dos pais. Aos 12 anos, encontrou uma mensagem na caixa dos correios da sua casa. Endereçada aos pais, dizia que “os filhos” deveriam tomar cuidado na hora de ir e voltar da escola. Assinado: Comando de Caça aos Comunistas (CCC).
Brincadeira de pau de arara
Uma das brincadeiras preferidas do irmão, Edson Teles, que também foi preso com a família quando tinha 4 anos, era simular o pau de arara com uma boneca de pano que tinha. A campainha do Doi-Codi e gritos variados nunca foram esquecidos por Edson.
— Quando a gente já estava em casa e a campainha tocava, ele se trancava no banheiro, de medo. Até hoje meus filhos sofrem consequências do que ocorreu. Eles saíram de lá (do Doi-Codi) de um jeito que só eu sei — disse Maria Amélia, que frequentou e também levou os filhos a sessões com psicólogos para lidar com os traumas vividos durante o regime.
Hoje integrante da Comissão da Verdade de São Paulo, Maria Amélia atribuiu ao general Carlos Brilhante Ustra a responsabilidade pelas torturas que passou e também a prisão de seus filhos. Em seus livros, o general classifica a violência no cárcere como “invencionice”, mas admite a presença das crianças no Doi-Codi. Argumenta que desejava evitar que eles fossem entregues ao Juizado de Menores, o que Maria Amélia considera “um absurdo”.
— Tiveram coragem de levar meus filhos na sala de tortura. Eu toda vomitada, urinada, suada, suja. Lembro do Edson perguntando para mim: “Mãe, agora você é bandida?”

Matéria do jornal "O Globo" de hoje.


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Matéria sobre CAPS no JN repercute na cidade


Recebi em meu e-mail pessoal a mensagem abaixo enviada por Dr. Flávio Mussa Tavares acerca da comentada matéria que foi ao ar ontem no Jornal Nacional (clique aqui caso ainda não tenha visto) sobre o caos no CAPS III de nossa cidade. Independentemente de não ter votado na prefeita, considero importante que tenhamos conhecimento de outros argumentos, e sendo assim, publico as considerações de Dr. Flávio aqui no blog. 
De qualquer forma, como a maioria das pessoas, fiquei estarrecido com a reportagem e mais ainda com a entrevista do secretário de Saúde de nossa cidade, que vai esperar até segunda-feira para fazer algo. Não sou especialista no assunto, mas ainda acho que as condições mostradas não são as ideais. Muito longe disso. E com todo respeito que merece Dr. Flávio Mussa, amigo de minha família há muito tempo, não consigo, depois de ver a matéria 3 vezes, defender algo assim.
Por fim, o amigo Ricardo André, em seu espaço "Eu penso que..", relatou há pouco que o prefeito, digo, o marido da prefeita, deputado Anthony Garotinho foi para seu programa de rádio hoje dizer que a denúncia apresentada pela Rede Globo, é mais uma tentativa de chantagem, já que "esta semana teria denunciado privilégios das emissoras de televisão e rádio numa MP que está em tramitação no Congresso e que a matéria de ontem seria uma forma de tentar intimidá-lo."
Poupe-nos, deputado!!!!
Ah... o mesmo Garotinho ainda afirmou que a situação é "insustentável" e garantiu que a prefeita vai "punir os culpados". Um pouco contraditório, não é mesmo??
Abaixo, para reflexão e conhecimento de nossos leitores, o e-mail de Dr. Flávio Mussa:


"Sou médico do CAPS III. É para mim uma alegria lidar com a clientela sofrida que faz parte de nossa rotina. Os CAPS foram instituidos no Brasil em 2001, na chamada Reforma Psiquiátrica que extinguiu os manicômios.

Nossa clientela é a maioria oriunda desse sistema. São chamados clientes "institucionalizados", que pode ser traduzido como um paciente que não sabe viver sem a instituição.
O CAPS III Romeo Casarsa, que foi protagonista de uma matéria veiculada no Jornal Nacional de hoje foi inaugurado em 2009.
Temos mais de 300 pacientes, dos quais atendemos mais de 80 ao dia.
Nenhum de nossos pacientes é acamado. Aliás, uma regra da instituição psiquiátrica é que o paciente esteja com o nível de consciência alerta e podendo andar. Caso sua consciência esteja apagada ou não consiga andar, configura uma caso clínico e não psiquiátrico. Nosso paciente é vertical. O paciente clínico é horizontal.
Essa demanda é externa, isto é, não dorme na instituição.
Mas temos sempre cerca de 6 pacientes internados, que geralmente permanecem lá em períodos de crise que não ultrapassam 7 dias.
Essa clientela, que vivia em hospitais, vive hoje uma realidade que concordamos é pobre, mas não há indignidade. Nossa clientela recebe quatro refeições por dia (desjejum, almoço, lanche e janta),  tem atendimento médico, psicológico, terapia ocupacional, música, fazem bijuterias e tem até uma grife: "Loucas por Acessórios".
Essa clientela usa medicação sedativa. Eles passam o dia na instituição. Eles tem sono e deitam de dia.
Nós não temos leitos para 20 ou 30 pessoas que não estão propriamente "dormindo", mas sim descansando, tirando uma soneca de dia.
A forma como foram veiculadas as imagens sugerem que são pacientes internos que vivem amontoados ou que são acamados e estão sendo humilhados.
Reconheço que não temos o espaço físico adequado, entretanto, o que se viu foi uma hora de descanso em que muita gente deitou em colchonetes no mesmo horário. Detalhe: o horário é diurno!
Todos estes que estão ali repousando voltam para casa entre as 17 e 18 horas, após receber uma quentinha do jantar.
O clima ali só é agitado quando alguns pacientes apresentam crises de agitação ou agressividade. Nesses momentos, o corpo de enfermagem contém fisicamente até que seja feita a medicação tranquilizante.
Nunca vi ninguém ser humilhado, maltratado ou ignorado no Caps III.
Faria mesmo um desafio. Gostaria que os repórteres da Globo entrevistassem os nossos pacientes.
Seria uma forma sadia e madura de avaliar a instituição.
De qualquer forma, eu me sinto honrado em fazer parte do corpo técnico do CAPS III, que no meu entender é de primeira qualidade e supera as dificuldades materiais, supera as dificuldades de lidar com o paciente mais marginalizado de nossa sociedade e supera as dificuldades de lidar com a intriga, a calúnia e a ingratidão."


 
-- 
Flávio Mussa Tavares
Médico Psiquiatra

Entre parênteses, aspas e exclamações

  •  
  • Entre parênteses, aspas e exclamações
  •  
  •  Walnize Carvalho
  •  
  • O exercício da escrita muito mais do que passar para o texto (seja crônica, poesia ou artigo) a ideia, implica autenticidade, expressividade e verdade –principalmente – verdade consigo mesma.
  • Não importa que se esteja escrevendo sobre fatos observados no dia a dia; sobre algo inusitado; sobre reminiscências; sobre ponto de vista ou sobre sentimentos.
  • Há de se ter a clareza no que será lido pelo seu leitor –e por que não dizer seu “cúmplice”. É preciso “puxá-lo pra perto”, fisgá-lo já na primeira linha para que,ao fim da “pescaria” ele se sinta satisfeito...e você também!
  •  E para que esta ponte de ligação não venha a se desmoronar é necessário se valer de certos cuidados e critérios.
  • Tenho por hábito usar em meus escritos alguns “anjos da guarda” com a intenção de que eles dêem o máximo de ênfase às minhas palavras.
  • São eles: parênteses, aspas, exclamações, sem falar nas reticências e interjeições.
  • Confesso que não lhes dou sossego e explico: gosto de fazer ressalvas, citações e analogias; extravasar humor, brincadeiras e ironias; dar leveza às palavras; acentuar alegrias e expurgar tristezas.
  •  Como disse, requisito sempre esses fiéis escudeiros - "meus anjos da guarda para fins literários" e eles, de tão solícitos já estão acostumados aos meus chamamentos.
  • Não me imagino escrevendo sem “explicar muito bem explicadinho”(aí entram os parênteses) nem tão pouco deixar de revelar a admiração pelo que me cerca (aí me valho das exclamações). E quando me pego reproduzindo as gírias faladas pelas netas? ( são as aspas que me salvam). Que seria de mim sem as reticências quando resolvo deixar um suspense no ar?
  •  Quão pobre estariam meus textos sem os : Oh! Ah! Alô! Ufa! Opa! Uau! Arre! Viva! Ai! Ui! sem as interjeições ,que exprimem meus estados emocionais?
  • Diante de tanta generosidade, só me resta agradecer: para vocês ( ) ( ) ( ) “ “ “ ” “ ” ! ! ! ! ! e ... ... ... todo o me carinho e afeto.

E não é?


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Abastecimento de água interrompido amanhã em Campos

Do site Ururau:

O abastecimento de água na cidade de Campos será provisoriamente interrompido por dez horas neste sábado (22/02), das 14h às 00h, para realização de manutenção preventiva na Estação de Tratamento de Água da Coroa (ETA 1).
O gerente de Operações da concessionária Águas do Paraíba, engenheiro Silas Almeida informou que a operação é de rotina e acrescentou que, como a ETA 1 vai funcionar normalmente até o início da interrupção, a maioria dos moradores da cidade pode não perceber ou ter consequências com a suspensão provisória do abastecimento.
A Estação de Tratamento de Água da Coroa é a maior do município e abastece a todos os bairros da cidade nas margens esquerda e direita do Rio Paraíba do Sul, fornecendo água para aproximadamente 350 mil pessoas.
O abastecimento será normal em todas as demais áreas do município, porque dispõem de estações de tratamento independentes. Assim, não será afetada a distribuição de água a partir de Donana, até o Farol de São Tome, ou seja, toda a Baixada Campista, e nenhum distrito da região Norte.
A concessionária Águas do Paraíba recomenda aos clientes que não desperdice água durante esse período. Embora a paralisação seja apenas no sábado, das 14h às 24 horas, pode haver reflexos nos bairros mais afastados do Centro da cidade. Isso porque o reabastecimento será retomado gradativamente, em "rampa",  para evitar rompimentos de redes de distribuição de água pelos bairros da cidade.
A empresa está preparada para atender demandas pontuais e emergenciais, inclusive, com suprimento alternativo de água através de caminhões pipa. Quem necessitar do serviço, mesmo sendo fim de semana, deverá solicitar através do telefone Ligue Água. O número é 115.
A concessionária pede desculpas por eventuais transtornos. Mas, informa que a intervenção na ETA 1, mesmo tendo o caráter preventivo, é necessária e ocorre, roteiramente, algumas vezes do ano, como em qualquer outra cidade.

França em Nova Brasília

O melhor da Bossa Nova, no estilo luau. Este é o perfil do show que o cantor França vai apresentar nesta sexta-feira (22 de fevereiro), às 20h, na Praça do Parque Nova Brasília. O show faz parte do projeto “O espetáculo bem mais perto de você”, da Fundação Trianon.
Vale a conferida!

Filé com Letras

O açougueiro que se tornou agitador cultural em Brasília
Revista:Piauí
edição:77/fev
por Clara Becker
Aproximava-se de uma da madrugada quando ligou a mulher de um amigo do açougueiro Luiz Amorim. O marido atendeu, foi logo se desculpando e inventou que estava com amigos em um restaurante. Amorim, sem entender a necessidade da mentira, perguntou: “Por que você não disse que está aqui com a gente?” Ao que o amigo retrucou: “E você acha que minha mulher vai acreditar se eu disser que estou num açougue a uma hora dessas?”
Outra convidada deu razão ao rapaz. O filho não quis acreditar ao vê-la sair de casa toda perequeté para ir ao açougue. Ela tentou explicar que se tratava do lançamento de um livro, um evento cultural. Palavras em vão. O menino, cético, achou mais provável que a mãe estivesse de caso com o açougueiro.
Era o ano de 1996 e Amorim promovia a primeira Noite Cultural em seu açougue na Asa Norte, no Plano Piloto de Brasília. O falecido escritor Fafão de Azevedo lançava o livro Mesa de Bar. “No início as pessoas chegavam ao açougue e estranhavam porque tinha livros”, contou Amorim. “Agora é o contrário, levam um susto ao ver o balcão de carnes. Acham que Açougue Cultural T-Bone é só o nome de um espaço, não uma casa de carnes de verdade.”
Do lado de fora do estabelecimento, há uma estante repleta de livros onde é possível encontrar as obras completas de Machado de Assis, volumes de Camilo Castelo Branco, Artur Azevedo e Lima Barreto, além de Goethe, Balzac, Flaubert e outros clássicos da literatura. “Esse é o único açougue que vegetarianos frequentam”, brincou o dono.
Do lado de dentro, opções de cortes que vão das tradicionais fraldinha e chã aos argentinos ancho e chorizo, além de produtos semiprontos e temperados. No cardápio com os preços, entre a costela de acém e o peitinho, ambos a 15,90 reais o quilo, está escrito: “Livro grátis.” Por mês, Amorim vende 1 tonelada de carne e diz que empresta até 2 mil livros. “O cliente pede um bife e eu pergunto: ‘Não quer levar um Machado de Assis também?’”
Luiz Amorim dos Santos corta carnes das 8 às 18 horas, todo dia útil, há 35 anos, trajando habitualmente jaleco branco, calça jeans e sandálias Crocs. Nascido na Bahia, foi para a capital federal aos 12. Chegou a trabalhar como engraxate e vigia antes de ser contratado por um açougue na 312 Norte. Alfabetizou-se aos 16 anos. A partir daí, desenvolveu compulsão pela leitura. Como morava nos fundos da loja, assim que fechava o açougue punha-se a ler para passar o tempo.
A estreia de Amorim foi com um volume de filosofia em quadrinhos. “Não entendi nada, mas fiquei intrigado”, disse. Aquele virou o assunto preferido das leituras do açougueiro. A ponto de ele citar Platão para explicar por que não tem um corte preferido: “É como na República: cada carne tem a sua finalidade e todo corte é importante, só depende do que você vai fazer. O rosbife tem que ser com filé-mignon. Nada melhor do que uma costela num cozido.”
Em 1994, os donos do açougue venderam-lhe o ponto. Ele mudou o nome do estabelecimento e pôs na porta uma estante de livros para emprestar. O acervo foi crescendo com doações e novas aquisições. Chegou a ter mais de 10 mil livros, quando a vigilância sanitária interditou o Açougue Cultural T-Bone. “Eles não acharam higiênico ter livros e carnes no mesmo ambiente”, lamentou. “Não entenderam a mais pura expressão da antropofagia.” O caso ganhou repercussão e a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou uma lei regulamentando atividades culturais em estabelecimentos comerciais: os livros nas estantes do T-Bone agora estão legalizados.
O açougue de Amorim virou um point literário. O espaço sedia uma bienal de poesia e promove encontros com escritores, músicos e críticos. A Noite Cultural criada por ele atrai milhares de pessoas todo ano e entrou para o calendário oficial de eventos do Distrito Federal, poupando mentiras e constrangimentos a quem passa a madrugada no açougue. Artistas como Lenine, Chico César, Zé Ramalho e até a Orquestra Sinfônica de Viena já usaram o T-Bone como camarim.
Quando os livros foram proibidos no açougue, Amorim montou uma biblioteca comunitária com atividades culturais e um acervo com mais de 45 mil volumes – na maioria doações e também livros comprados por ele de segunda mão. Em 2008, lançou o projeto de bibliotecas nos pontos de ônibus de Brasília, com patrocínio da Petrobras e da Fundação Banco do Brasil. Na W3 Norte, movimentada avenida que corta a Asa Norte, já são 37 paradas de ônibus com acervo de 600 livros que ele abastece diariamente. Não é preciso qualquer tipo de cadastro: basta pegar o exemplar desejado e devolver depois. “Ninguém jamais vandalizou uma estante”, contou o açougueiro. “As pessoas que não devolvem não chegam a 10% do total.” O projeto ganhou um prêmio da Unesco de incentivo à leitura e foi copiado em outros países.
O açougueiro acredita que suas ações culturais não são motivadas por marketing, e sim por convicção. “Como diz Marx, não interessa interpretar o mundo, mas transformá-lo. As pessoas têm que participar da construção do coletivo.” Ele afirma ter lido as “obras completas” do filósofo alemão, mas não se considera marxista. É lacônico ao explicar sua relação com o autor de O Capital. “Não vejo na teoria marxista uma fórmula a ser seguida, mas uma ferramenta para se pensar e questionar a sociedade”, disse.
Em relação a seus empregados, Amorim adota técnicas de reforço cultural: cada um recebe um bônus mensal de 200 reais se ler um livro e entregar um resumo por escrito. O açougueiro não julga a qualidade da obra escolhida. “O importante é que leiam e manuseiem livros, não só carnes”, disse.
O funcionário Joel Mendes da Silva, de 27 anos, contou que nunca havia lido um livro antes de trabalhar no T-Bone. Em um ano e meio, já leu quinze – e embolsou 3 mil reais. Mas frisou que não é só pelo estímulo do patrão. “No início lia pelo bônus, agora leio porque gosto.”
 O último foi uma biografia de Zico. “Agora estou lendo a história do goleiro Marcos. O próximo vai ser um sobre bebês, porque minha mulher está grávida.”

Coisas desse mundão de Deus

Do:Uol
Cansado da sua vida, você já pensou em ir morar em um trailer e passar um tempo viajando?
Um escritório chinês de arquitetura faz uma proposta mais sustentável: levar uma casa puxada por bicicleta. A Tricycle House tem tudo o que você precisa: cama, banheira, mesa e até plantas.

Recebi e repasso:

Se roubarem seu Celular, surpreenda o ladrão!

Ótima informação!! Se roubarem seu Celular...
A DICA É MUITO INTERESSANTE, ATÉ PORQUE POUCA GENTE TEM O HÁBITO DE LER MANUAIS.
Agora, com esta história do 'Chip', o interesse dos ladrões por aparelhos celulares aumentou.
É só ele comprar um novo chip por um preço médio de R$30,00 em uma operadora e o instalar no aparelho roubado.
Por isso, está generalizado o roubo de aparelhos celulares.
  Segue, então, uma informação útil que os comerciantes de celulares não divulgam.
Uma espécie de vingança para quando roubarem celulares.
Para obter o número de série do seu telefone celular (GSM), digite *#06# Aparecerá no visor um código de algarismos.. Este código é único!!! Anote e guarde-o com cuidado!!!
Se roubarem seu celular, telefone para sua operadora e informe este código.
 O seu telefone poderá então ser completamente bloqueado, mesmo que o ladrão mude o 'Chip'. Provavelmente, você não recuperará o aparelho, mas quem quer que o tenha roubado não poderá mais utilizá-lo. Se todos tomarem esta precaução, imagine, o roubo de celulares se tornará inútil.
 Envie isto a todos e não esqueça de anotar o número de série do seu celular!!! AMIGOS DIVULGUEM ESTA MENSAGEM. "LEMBREM-SE DE QUE A FORÇA É O PRODUTO DA UNIÃO".

Corinthians jogará sem torcida restante da Libertadores



Do site da ESPN Brasil:

"Depois da tragédia em Oruro, na Bolívia, na noite de quarta-feira, onde torcedores do Corinthians foram presos suspeitos de estarem envolvidos na morte do jovem Kevin Espada, de apenas 14 anos, a Conmebol resolveu agir. A entidade que rege o futebol sul-americano decretou que a equipe de Parque São Jorge jogará o resto da Copa Libertadores da América com os portões fechados nas partidas em que for mandante, até que o caso seja julgado pelo tribunal.

 O clube paulista tem até três dias para entrar com recurso contra essa medida cautelar. Além de não poder ter torcida nos jogos em que for mandante, o Corinthians não terá sua massa nos compromissos fora de casa também. 

"As partidas do Corinthians como mandante serão disputadas de portões fechados. Nos jogos que o clube disputará como visitante, seus torcedores não terão acesso a ingressos", declarou o porta-voz da Conmebol, Nestor Benítez.

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, ficou sabendo da punição apenas quando foi contactado pela reportagem dos canais ESPN, mas decidiu não se pronunciar sobre o caso ainda.

A medida da Conmebol vem cerca de 24 horas depois da morte do adolescente. Durante o primeiro tempo do que seria o empate de 1 a 1 entre Corinthians e San Jose, um sinalizador atirado onde estava a torcida visitante atingiu o olho do garoto boliviano, que acabou morrendo. 

A polícia local levou 12 membros da torcida do Corinthians para a cadeia ainda na quarta-feira. Os torcedores supostamente envolvidos no caso permanecem na Bolívia depois do ocorrido. Eles foram indiciados pelo crime de homicídio.

Nos últimos dias, o Corinthians anunciou que restavam poucos ingressos para os seus primeiros compromissos em casa na Copa Libertadores. Diante do Millonarios, na quarta-feira que vem, sobravam apenas lugares nas cadeiras laranja, a R$ 200, na numerada, a R$ 300 e no setor VIP, a R$ 500. Contra o Tijuana, no dia 13 de março e contra o San José, em 10 de abril, já tinham sido comprados cerca de 55 mil ingressos. O clube deve dar uma posição oficial nesta sexta-feira, comunicando, inclusive, como ficará a situação envolvendo o programa de sócio-torcedor."

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Veríssimo na manhã ensolarada

Bilhar
  Luis Fernando Verissimo
- O Estado de S.Paulo

Da série Poesia numa Hora Dessas?!

"E essa agora?
Se o que explodiu sobre a Rússia
mostrou alguma coisa
foi que meteoro não tem hora."

O mais assustador do meteoro que cruzou o céu da Sibéria e explodiu no ar como várias bombas atômicas é que ele chegou sem ser anunciado.
 Com todas as atenções voltadas para o outro asteroide, o que passou de raspão, o asteroide da Sibéria entrou pela porta dos fundos sem ser detectado.
A desculpa é que era pequeno demais para chamar a atenção e por isso os alarmes não funcionaram. Nossa ilusão, até agora, era que qualquer detrito espacial que se aproximasse de nós seria identificado e rotulado, e sua trajetória calculada até o último milímetro com grande antecedência, o que nos daria tempo para preparar o espírito - ou usar nossos cartões de crédito até o limite - no caso da colisão com a Terra ser inevitável.
Agora sabemos que qualquer coisa menor do que meio campo de futebol pode chegar de surpresa e explodir sobre nossas cabeças.
Só nos faltava essa.
Imagino que tenha gente pensando em como evitar a catástrofe, no caso de um asteroide gigante vir em nossa direção.
O cinema já previu algumas soluções, como a de mandar um foguete com ogiva nuclear desintegrar o bólido antes que ele nos atinja.
O problema é o asteroide grande se desintegrar em vários asteroides pequenos, como o que assustou a Sibéria, o que não seria vantagem.
 Outra dúvida é como nos comportaríamos se nenhum plano de defesa se mostrasse viável e nosso destino fosse, fatalmente, o dos dinossauros, que desapareceram depois que o choque de um asteroide mudou o clima da Terra.
 Como a perspectiva de uma morte coletiva, que não distinguisse classes, ricos e pobres, virtuosos e pecadores afetaria as relações humanas, nos nossos últimos dias de existência?
 Não tenho nenhuma vontade de descobrir.
Se bem que a situação até daria uma boa crônica.
Corpos celestes se chocando no espaço lembram o que disse o Einstein sobre a aparente desorganização do Universo.
Ele negou que fosse tudo aleatório e não seguisse nenhum plano.
 Deus, afirmou Einstein numa frase que ficou famosa, não joga dados com o Universo. Tinha razão. Não joga dados, joga bilhar.

Tecnologia tem disso: traição descoberta pelo Google Maps


Marina Voinova, de 24 anos, descobriu acidentalmente que o noivo a traíra quando ela consultava o Yandex Maps, um serviço russo semelhante ao Google Maps, para conseguiu um endereço.
A jovem, moradora de Perm (Rússia), não teve dúvida de que se tratava do noivo na imagem do programa, ao notar o gesso no braço direito, que Alexandre colocara após uma fratura. Ao ver a cena no computador de Marina, o noivo ruborizou e confessou a traição.

Mas Marina não quis mais saber de Alexandre e terminou o noivado, de acordo com a TV LifeNess.

Fonte: Page Not Found

Morte em jogo do Corinthians na Libertadores



Do site da ESPN Brasil:

"A polícia boliviana confirmou no início da madrugada desta quinta-feira a morte de um torcedor do San Jose, chamado Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, durante a estreia do Corinthians na Copa Libertadores, na altitude de Oruro. De acordo com o coronel Hector Fabio Rios, a vítima foi atingida por um artefato lançado pela torcida corintiana. O técnico Tite e o gerente de futebol Edu Gaspar se emocionaram com o incidente.
"Primeiramente, organizamos a segurança. Fizemos isso desde a manhã de hoje [quarta-feira]. Lamentavelmente tivemos esse incidente. Alguns torcedores do Corinthians atiraram um objeto cilíndrico tubular e impactou lamentavelmente, causando a morte do torcedor. Os torcedores do Corinthians foram identificados por profissionais da inteligência da polícia e foram detidos", disse Rios, em entrevista ao canal "Fox Sports".

O coronel afirmou que o garoto morreu ainda no estádo. "Ele foi atingido no rosto e faleceu quando recebia os primeiros socorros. A situação era muito grave", falou a autoridade, desmentindo que um outro torcedor estava ferido. "De maneira oficial, posso dizer que ele foi a única vítima."

Segundo Rios, os torcedores corintianos detidos ficarão à disposição das autoridades locais. "Eles passarão por uma audiência cautelar, que vai determinar a responsabilidade desse crime". O coronel negou qualquer possibilidade de deportação. "Todo estrangeiro que comete um delito em território boliviano está submetido às leis do país."
Antes do coronel, o técnico Tite e o gerente de futebol Edu Gaspar, mesmo sem falar, já indicavam que os torcedores corintianos foram responsáveis pela tragédia. Ambos, ao falarem com a imprensa, demonstraram muita emoção. 

"Tenho um filho que vai ver as partidas do Corinthians no Pacaembu e se senta ao lado da torcida rival. É como se eu sentisse na pele isso", disse o gerente de futebol do Corinthians, Edu Gaspar, em entrevista coletiva após a partida. Emocionado, o dirigente chegou a chorar ao falar com a imprensa.
 
 Ainda no primeiro tempo, as câmeras de TV mostraram integrantes da comissão técnica do Corinthians sendo retirada da área destinada a ela no estádio. Edu explicou o motivo. "As pessoas vieram contra a gente nos pressionando e xingando. Não conseguimos nem ver o segundo tempo, tivemos que sair. Infelizmente, soubemos dessa fatalidade. A partida de hoje perdeu completamente o sentido. Nossa volta para casa será dura, pensando nessa fatalidade. Não tem muito mais o que dizer a não ser lamentar. É impossível falar sobre futebol depois disso."

De acordo com as rádios "Globo" e "CBN", por volta de 0h15, os jornalistas brasileiros foram impedidos de deixar o estádio e ficaram em uma zona de isolamento. Fora do local, o clima continuava tenso, já que torcedores bolivianos faziam muito barulho e ameaçavam jornalistas e torcedores brasileiros. A grande maioria dos corintianos que assistiram ao jogo permanecia nas arquibancadas.

A situação só se acalmou pouco depois de 1h, quando os torcedores locais começaram a deixar os arredores do estádio. Assim, com tranquilidade, os brasileiros conseguiram deixar o local.

”A maturidade da torcida até nos impressionou. Mesmo com a raiva de alguns torcedores, a saída foi tranquila. Estamos contentes com a maneira como esse dia triste terminou", disse o coronel.

A tragédia acontece meses depois da Conmebol ter criado um comitê para punir atos extracampo de violência das torcidas depois do incidente ocorrido na final da Copa Sul-Americana do último ano, no Morumbi, entre São Paulo e Tigre.

Pela novo regulamento da Conmebol, um clube que tiver a culpa comprovada em qualquer evento extracampo corre o risco até de ser eliminado da competição."




quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

RJ TV noticia meteoros no céu de Campos

O RJ TV informou há cerca de dez minutos, que dois meteoros foram vistos, por volta de 11 horas no céu de nossa cidade. Ainda não há maiores informações sobre o assunto. Nem mesmo imagens foram mostradas na matéria. Fica o registro no site G1:

"Após relatos de moradores de várias cidades do interior do Rio, o Clube da Astronomia de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, confirmou a passagem de um meteoro pelo céu da cidade. Segundo o professor e astrônomo Marcelo de Oliveira, do Clube da Astronomia de Campos, as chances do meteorito ter caído em Campos são grandes. O meteoro também foi visto no estado do Espírito Santo.
“Nós temos registros de 11h e 11h40, mas como o sol estava muito forte as imagens não são boas. Ainda estou checando para saber o que temos, mas o certo é que é sim um rastro de meteoro no céu da nossa cidade. Ele ficou visível por alguns segundos”, disse o professor.
Ainda segundo Marcelo de Oliveira, um grupo de pesquisadores internacionais, do qual ele é integrante, já havia feito um alerta sobre a possibilidade de rastros no céu após a queda de um meteorito na Rússia. Segundo ele, o mesmo grupo registrou imagens de objetos nos céus de outros países. Agora, o objetivo é identificar e localizar o meteorito.
"Nós ainda não sabemos se foi o mesmo meteoro que passou no Espírito Santo e na Região dos Lagos. Pode ser um grande meteoro ou mais de um com pequenas dimensões. Vamos começar a investigar e ouvir relatos de pessoas para identificar o local exato. Isso é algo muito raro de acontecer, sabemos que alguma coisa de incomum está acontecendo mas ainda não sabemos o que é˜, disse o astrônomo."

Clique aqui e veja a matéria que foi ao ar no telejornal local. 

Todos na torcida por "Rosinha"

Essa campanha é do facebook do Campista Cabrunco:


Rosinha (tchau, né) se encontra em estado grave!
Durval Alves, nossa lenda viva de Campos e mais conhecido como ROSINHA, foi atropelado no último final de semana e está internado no Hospital Ferreira Machado desde sábado, em estado grave, com traumatismo craniano.


FORÇA, FIIDASUNHA!

Se alguém daqui da página trabalhar no HFM, e puder falar com ele em algum momento, pode falar que tem uma cabruncada maneira pra caiau desejando melhoras pra ele! Rosinha agora tem que falar TCHAU, NÉ pro hospital, com os bilhetes de loteria na mão e cantando os sucessos de Roberto Carlos, como sempre foi!