sábado, 30 de novembro de 2013

Visita anual

    
Walnize Carvalho
             Na manhã ensolarada do sábado,  dirigi-me ao Centro da cidade.
             De repente,  me  assustei com alguém postado na porta de uma loja.  
            Em seguida, me perguntei: - Por que do meu espanto se ele é uma figura afável, nada assustadora, carismática, tem ares de bonachão e carrega sempre um sorriso doce nos lábios?
            Na verdade, não contava que ele já estivesse de volta. - Mas,já?!...balbuciei.
            Deduzi que em tempos modernos, por certo, ele deve ter trocado seu tradicional meio de transporte (trenó) e prevendo o caos nos aeroportos ou engarrafamentos nas estradas, em dezembro, optou por precaver-se e contratou um jatinho particular e assim, antecipou sua visita anual.
            Sabem a quem estou me referindo? Ao Papai Noel solitário, que avistei na entrada de um estabelecimento comercial. Ele e a sua tradicional vestimenta vermelha, suas botas pretas, sua imensa barba branca, o saco de brinquedos nas costas, um sino dourado em uma das mãos (cobertas de luvas brancas) e a sua conhecida saudação: - Ho! Ho! Ho!...
            Segui murmurando repetidas palavras que trocamos com as pessoas, que encontramos no dia-a-dia: - Nossa!... Como o tempo passa depressa! O ano já está indo embora! De repente, já é Natal!...  
             Sorri, melancólica com a sensação  de que  hora virá,  que não teremos pernas para alcançar o Tempo e constatei que, ironicamente, a Natureza também demonstra ter pressa.
         Lembrei-me dos ipês que floresceram no Inverno; da Primavera com ares de Verão; do Outono generoso que cede lugar às outras estações...         
        A melodia natalina advinda de um carro de som, que passava na rua, me transportou à  natais distantes, onde “o sapatinho era colocado na janela do quintal e Papai Noel deixava o presente de Natal”...
            Fui despertada  e segui, impulsionada, pensando nas sábias palavras ditas pelo saudoso poeta, ator e compositor Mário Lago: “Eu não posso ficar sentado na calçada vendo a banda passar; eu tenho é que fazer parte dela”.
           E pensando em tempos atuais e apressados, indaguei com meus botões: - Quem sabe, na próxima saída matinal, estarei dando de cara com o Rei Momo?!



Palavras que ficam


"Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida."

Sêneca

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Curiosidade


Abaixo, estão relacionados alguns nomes estranhos de pessoas, registrados em cartórios de todo o Brasil. 
O objetivo não é de ridicularizar ninguém, mas sim de trazer uma pequena amostra da criatividade do povo brasileiro. 
Os nomes foram coletados a partir de listas públicas, como uma relação de segurados com nomes estranhos divulgada pelo extinto INPS na década de 80, e pesquisas em cartórios realizadas por autores de livros especializados. Vejamos os Nomes !
Abrilina Décima Nona Caçapavana Piratininga de Almeida
Acheropita Papazone
Adalgamir Marge
Adegesto Pataca
Adoração Arabites
Aeronauta Barata
Agrícola Beterraba Areia
Agrícola da Terra Fonseca
Alce Barbuda
Aldegunda Carames More
Aleluia Sarango
Alfredo Prazeirozo Texugueiro
Alma de Vera
Amado Amoroso
Amável Pinto
Amazonas Rio do Brasil Pimpão
América do Sul Brasil de Santana
Amin Amou Amado
Amor de Deus Rosales Brasil (feminino)
Anatalino Reguete
Antônio Americano do Brasil Mineiro
Antonio Buceta Agudim
Antonio Camisão
Antonio Dodói
Antonio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado
Antonio Melhorança
Antônio Morrendo das Dores
Antonio Noites e Dias
Antônio P. Testa
Antonio Pechincha
Antônio Querido Fracasso
Antonio Treze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete
Antônio Veado Prematuro
Apurinã da Floresta Brasileira
Araci do Precioso Sangue
Argentino Argenta
Aricléia Café Chá
Armando Nascimento de Jesus
Arquiteclínio Petrocoquínio de Andrade
Asteróide Silverio
Ava Gina (em homenagem a Ava Gardner e Gina Lolobrigida)
Bananéia Oliveira de Deus
Bandeirante do Brasil Paulistano
Barrigudinha Seleida
Bende Sande Branquinho Maracajá
Benedito Autor da Purificação
Benedito Camurça Aveludado
Benedito Frôscolo Jovino de Almeida Aimbaré Militão de Souza
Baruel de Itaparica Boré Fomi de Tucunduvá
Benigna Jarra
Benvindo Viola
Bispo de Paris
Bizarro Assada
Boaventura Torrada
Bom Filho Persegonha
Brandamente Brasil
Brasil Washington C. A. Júnior
Brígida de Samora Mora
Belderagas Piruégas de
Alfim Cerqueira Borges Cabral
Bucetildes (chamada, pelos familiares, de Dona Tide)
Cafiaspirina Cruz
Capote Valente e Marimbondo da Trindade
Caius Marcius Africanus
Carabino Tiro Certo
Carlos Alberto Santíssimo Sacramento
Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio
Carneiro de Souza e Faro
Caso Raro Yamada
Céu Azul do Sol Poente
Chananeco Vargas da Silva
Chevrolet da Silva Ford
Cincero do Nascimento
Cinconegue Washington Matos
Clarisbadeu Braz da Silva
Colapso Cardíaco da Silva
Comigo é Nove na Garrucha Trouxada
Confessoura Dornelles
Crisoprasso Compasso
Danúbio Tarada Duarte
Darcília Abraços
Carvalho Santinho
Deus Magda Silva
Deus É Infinitamente Misericordioso
Deusarina Venus de Milo
Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco
Dignatario da Ordem Imperial do Cruzeiro
Dilke de La Roque Pinho
Disney Chaplin Milhomem de Souza
Dolores Fuertes de Barriga
Dosolina Piroca Tazinasso
Drágica Broko
Ernesto Segundo da Família Lima
Esdras Esdron Eustaquio Obirapitanga
Esparadrapo Clemente de Sá
Espere em Deus Mateus
Estácio Ponta Fina Amolador
Éter Sulfúrico Amazonino Rios (socorro...)
Excelsa Teresinha do Menino Jesus da Costa e Silva
Faraó do Egito Sousa
Fedir Lenho
Felicidade do Lar Brasileiro
Finólila Piaubilina
Flávio Cavalcante Rei da Televisão
Francisco Notório Milhão
Francisco Zebedeu Sanguessuga
Francisoreia Doroteia Dorida
Fridundino Eulâmpio
Gigle Catabriga
Graciosa Rodela D'alho
Heubler Janota
Hidráulico Oliveira
Himineu Casamenticio das Dores Conjugais
Holofontina Fufucas
Homem Bom da Cunha Souto Maior
Horinando Pedroso Ramos
Hugo Madeira de Lei Aroeiro
Hypotenusa Pereira
Ilegível Inilegível
Inocêncio Coitadinho
Isabel Defensora de Jesus
Izabel Rainha de Portugal
Janeiro Fevereiro de Março Abril
João Bispo de Roma
João Cara de José
João Cólica
João da Mesma Data
João de Deus Fundador do Colto
João Meias de Golveias
João Pensa Bem
João Sem Sobrenome
Joaquim Pinto Molhadinho
José Amâncio e Seus Trinta e Nove
José Casou de Calças Curtas
José Catarrinho
José Machuca
José Maria Guardanapo
José Padre Nosso
José Teodoro Pinto Tapado
José Xixi
Jovelina Ó Rosa Cheirosa
Jotacá Dois Mil e Um Juana Mula
Júlio Santos Pé-Curto
Justiça Maria de Jesus
Lança Perfume Rodometálico de Andrade
Leão Rolando Pedreira
Leda Prazeres Amante
Letsgo Daqui (let's go)
Liberdade Igualdade
Fraternidade Nova York Rocha
Libertino Africano Nobre
Lindulfo Celidonio Calafange de Tefé
Lynildes Carapunfada Dores Fígado
Magnésia Bisurada do Patrocínio
Manganês Manganésfero Nacional
Manolo Porras y Porras
Manoel de Hora Pontual
Manoel Sovaco de Gambar
Manuel Sola de Sá Pato
Manuelina Terebentina
Capitulina de Jesus Amor Divino
Marciano Verdinho das Antenas Longas
Maria Constança Dores Pança
Maria Cristina do Pinto
Magro Maria da Cruz Rachadinho
Maria da Segunda Distração
Maria de Seu Pereira
Maria Felicidade
Maria Humilde
Maria Máquina
Maria Panela
Maria Passa Cantando
Maria Privada de Jesus
Maria Tributina Prostituta Cataerva
Maria-você-me-mata
Mário de Seu Pereira
Meirelaz Assunção
Mijardina Pinto
Mimaré Índio Brazileiro de Campos
Ministéio Salgado
Naida Navinda Navolta Pereira
Napoleão Estado do Pernambuco
Napoleão Sem Medo e Sem Mácula
Natal Carnaval
Natanael Gosmoguete de Souza
Necrotério Pereira da Silva
Novelo Fedelo
Oceano Atlântico Linhares
Olinda Barba de Jesus
Orlando Modesto Pinto
Orquerio Cassapietra
Otávio Bundasseca
Pacífico Armando Guerra
Padre Filho do Espírito Santo Amém
Pália Pélia Pólia Púlia dos Guimarães Peixoto
Paranahyba Pirapitinga Santana
Penha Pedrinha Bonitinha da Silva
Percilina Pretextata
Predileta Protestante
Peta Perpétua de Ceceta
Placenta Maricórnia da Letra Pi
Plácido e Seus Companheiros
Pombinha Guerreira Martins
Primeira Delícia Figueiredo Azevedo
Primavera Verão Outono Inverno
Produto do Amor Conjugal de Marichá e Maribel
Protestado Felix Correa
Radigunda Cercená Vicensi
Remédio Amargo
Renato Pordeus Furtado
Ressurgente Monte Santos
Restos Mortais de Catarina
Rita Marciana Arrotéia
Rocambole Simionato
Rolando Caio da Rocha
Rolando Escadabaixo
Rômulo Reme Remido Rodó
Safira Azul Esverdeada
Sansão Vagina
Sebastião Salgado Doce
Segundo Avelino Peito
Sete Chagas de Jesus e Salve Pátria
Simplício Simplório da Simplicidade Simples
Soraiadite das Duas a Primeira
Telesforo Veras
Tropicão de Almeida
Última Delícia do Casal Carvalho
Último Vaqueiro
Um Dois Três de Oliveira Quatro
Um Mesmo de Almeida
Universo Cândido
Valdir Tirado Grosso
Veneza Americana do Recife
Vicente Mais ou Menos de Souza
Vitória Carne e Osso
Vitimado José de Araújo
Vitor Hugo Tocagaita
Vivelinda Cabrita
Voltaire Rebelado de França
Wanslívia Heitor de Paula
so, Estrofe, Poesia e


'Black Friday'



Do:G1
A oportunidade de fazer as compras de Natal pela internet com a promessa de bons descontos aguça o impulso consumista dos brasileiros, mas uma boa dose de prudência é indispensável. A “Black Friday” – que acontece nesta sexta-feira (29), dia em que o comércio eletrônico promete descontos atrativos durante 24 horas – pode representar a chance de “garimpar” bons preços, mas é preciso tomar cuidado para não extrapolar o orçamento pessoal, nem embarcar em compras cujo valor não é tão vantajoso quanto parece.
No ano passado, o evento ganhou o apelido de “Black Fraude” e o slogan-piada "a metade do dobro" depois de suspeitas de que alguns varejistas teriam inflado os preços para forjar descontos maiores. Também houve relatos de vitrines virtuais fora do ar e dificuldades para finalizar compras.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Coisas desse mundão de Deus

Designer cria colete de espinhos para garantir seu espaço no metrô


O projeto foi apresentado em um seminário 

que solicitava aos participantes a invenção de soluções para problemas diários


Siew Ming Cheng, uma designer industrial, participou recentemente de um seminário promovido pelo designer de móveis Weirner Aisslinger. No evento, realizado em uma universidade de Cingapura, o alemão propôs que os participantes trouxessem soluções para problemas diários.
 A jovem, então, apresentou um inusitado projeto: O colete "Spike Away". Uma espécie de veste com pontas, semelhante a uma armadura, para ser usada no metrô. O produto teria como objetivo garantir ao usuário seu próprio espaço dentro do transporte público, principalmente nos horários de pico.
 Segundo a inventora, em Cingapura - semelhante a muitas cidades ao redor do mundo -, os metrôs ficam lotados, levando a população a se empurrar para conseguir adentrar o vagão. "A única solução é mesmo usar um colete cheio de espinhos", contou.
 A designer teve metade de um dia para reunir todos os materiais e cortar as peças para preparar sua proposta. Correu então para uma loja de ferragens e na seção de jardinagem encontrou sua ideia. Siew utilizou tiras verdes de material plástico flexível e com pontas, objeto normalmente utilizado para afastar aves e gatos das plantas.

Redação O POVO Online

Que chato falar de chato

Da:Superinreressante
Chatos existem porque existem, oras. Existem porque são chatos e são chatos porque existem. Se não existissem não seriam chatos.
Não há dúvidas: o texto aí em cima é chato! E o principal motivo é o fato de ele repetir quatro vezes as palavras “chato” e “existem”. “Qualquer situação repetitiva é difícil de suportar. A contramão da chatice é a criatividade”, diz o psicanalista Raymundo de Lima. Raymundo é um estudioso de Tratado Geral dos Chatos, escrito em 1962 por Guilherme Figueiredo. “O livro é uma referência sobre o assunto. Além de pioneiro, fugiu da linguagem acadêmica, que é muito chata”, diz.
Figueiredo classificou diversos tipos maçantes, dando a eles nomes e explicações pseudocientíficas. O que ele não imaginava era que, em apenas algumas décadas, seria possível apontar motivos biológicos para esse estado humano. “A razão mais comum para a chatice é a crise de mania, quando o sistema de recompensa – a área do cérebro responsável pelo prazer – fica superexcitado”, diz a neurocientista Suzana Herculano-Hozel, da UFRJ. Durante a crise, a pessoa sente prazer em fazer ou falar a mesma coisa. “Ela não sabe que está sendo desagradável pois o cérebro produz a sensação de que aquilo é legal”, diz Suzana.
Mas, antes de sair por aí dizendo “Ah! Então é por isso que (use o nome do seu conhecido mais chato) é assim!”, saiba que ninguém está imune à chatice aguda. “Essas crises são comuns, mas existem em várias gradações. Podem ser bem leves ou chegar ao delírio paranóico, quando a pessoa se sente Deus.” Se você se identificou, está em vantagem considerável em relação ao resto da humanidade. Afinal, de acordo com Figueiredo, “os chatos não se chateiam”.

Visão raio-xato

Aprenda a identificar ostipos mais comuns em festas
Galanchateador
Sutileza é uma palavra desconhecida para esse tipo. Ele é capaz de incomodar todo o contigente feminino de uma festa e sair de lá achando que arrasou. Quando não está exercendo seu poder de sedução, confidencia aos amigos. “Tá vendo aquela ali? Pois eu já...”
Folgado
Esse cara leva ao pé da letra expressões cordiais como “sinta-se em casa” ou “fique à vontade”. Tem uma relação tão íntima com a sua geladeira que reclama quando você compra uma nova marca de requeijão e avisa que a cerveja está acabando
Existenchatista
É chato porque existe. Segundo Guilherme Figueiredo, esse tipo está rodeado pelos “anéis de chaturnos”, fazendo com que sua chatura seja sentida à distância. É azarento e sem graça. Não tem amigos e mesmo os animais de estimação são avessos à sua companhia
Diabinho
Cinco minutos perto dessa criança são suficientes para você entender por que alguns casais optam por não ter filhos. Em geral, vem acompanhada de tias e outros familiares dispostos a fazer de tudo para agradá-la
Bebê chorão
“Toda criança é chata”, escreveu Guilherme Figueiredo. Algumas muito, outras mais ainda. E as choronas são as campeãs desse segundo grupo. Berros, grunhidos, choros e soluços compõem a trilha sonora de uma das espécies mais difíceis de suportar
O prestativo
Peca por excesso de boas intenções e falta de desconfiômetro. Acredita que está apto a consertar e aprimorar o funcionamento de todo e qualquer aparelho doméstico, inclusive daqueles que estão trabalhando perfeitamente
Telemaníaca
A versão feminina é mais comum, apesar de também existirem homens da espécie. Ela é capaz de passar horas ao telefone, sem perceber a insatisfação das pessoas ao redor. Pior do que esbarrar com uma durante a festa é deixar que ela descubra seu número de telefone
Cuspidor
O cara é bem informado e sempre fica sabendo das fofocas em primeira mão. Mas, se você quiser escutar o que ele tem a dizer, vai ter que agüentar uma boa dose de chuva salivar. Há duas variações para o tipo cuspidor: os que berram e os que sussurram. Difícil saber qual é o mais chato
A sem noção
Ela se preocupa com o que você come, bebe, fala, faz e pensa. Não desgruda de você um só minuto e não respeita a distância mínima que deve haver entre desconhecidos. Até que não seria tão mal, se ela não fosse velha ou feia. Afinal, “só as mulheres feias são chatas”, escreveu Guilherme Figueiredo, que morreu em 1997
Chatimbanco
É fã das pegadinhas: tira a cadeira quando você vai sentar, cola bilhetes engraçadinhos nas suas costas, pisa no pé de todo mundo que aparece de sapato novo. Enquanto você é obrigado a controlar sua vontade de enforcá-lo – pelo bem da festa – o chatimbanco se derrama em risos histéricos
Chato-etílico
Bastam algumas latinhas e todos estamos sujeitos a essa condição. Os chatos-etílicos têm trajetória decrescente: começam num estágio de melancolia dócil, reclamando da vida, passam por momentos de agressividade, quando qualquer coisa é motivo para briga, e terminam em derrocada total, vomitando na piscina da sua casa

Para saber mais

Na livraria:
Tratado Geral dos Chatos - Guilherme Figueiredo, Civilização Brasileira, 1993


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Cartões de Natal...Solidariedade...Natais distantes

A Campanha em prol do "Hospital Dr.João Viana" desperta em nós (além do objetivo maior da Solidariedade) uma visita  à Natais distantes,quando escolhíamos cartões com tempo e zelo; enfrentávamos, com boa vontade, filas intermináveis dos Correios, para enviá-los para amigos e parentes...
Que boa oportunidade de reeditarmos tais gestos fraternos!
Ou então, emoldurem tornando-os mini quadros (são telas pintadas pelos internos daquela Instituição) e enfeitem seus lares...   

Homenagem



A Câmara de Vereadores de Campos presta uma homenagem especial, hoje, dia 27 de novembro de 2013, quarta-feira, às 16h30, ao memorialista Dr. Wellington Paes,  pela excepcional colaboração dada na montagem da Biblioteca Virtual da Câmara, cedendo livros de autores campistas, já de domínio público, da sua biblioteca, para enriquecer o referido acervo e à Academia Campista de Letras, em forma de agradecimento pelas parcerias que a ACL tem firmado com a Câmara na idealização de homenagens a figuras importantes do cenário literário e artístico da cidade. Presente, como presidente da ACL, Hélio de Freitas Coelho será também homenageado.

Heloisa Crespo
(acadêmica da ACL)

“O solista no Cine Jornalismo AIC”



O último Cine Jornalismo do ano será neste sábado (30), na Associação de Imprensa Campista (AIC), com o filme “O solista” (EUA/Reino Unido - 2009). 
A exibição será às 16h, seguida de bate-papo com a jornalista Lohaynne Gregório, que trabalha na Rádio Band FM.
 Na trama, dirigida por Joe Wright, o colunista famoso do Los Angeles Times, Steve Lopez (Robert Downey Jr.), vive em busca de uma história incomum.

Em um dia como outro qualquer, não exatamente em sua busca por uma matéria, ele ouve na rua uma música e descobre Nathaniel, tocando muito bem num violino de apenas duas cordas. Seu nome é Nathaniel Ayers (Jamie Foxx), um dos milhares de sem teto das ruas de Los Angeles, ex-músico que sofre de esquizofrenia, sonha em tocar num grande concerto e é um eterno apaixonado por Beethoven.

Lopez prepara uma coluna sobre sua descoberta e recebe de um leitor, como doação, um instrumento para o músico. Surge, a partir daí, o começo de uma amizade que poderá mudar para sempre suas vidas.

O Cine Jornalismo é promovido pela AIC há cinco anos, em sua sede e com entrada franca.

 Este ano, várias produções foram exibidas desde março, tais como: “Bem-vindo a Sarajevo”, “A luz é para todos”, “Repórteres de Guerra”, “Um grito de liberdade”, “O Resgate de um campeão”.   
 

O Maravilhoso Grande Otelo

Do blog de Bemvindo Sequeira(*)

(*) É ator, autor, produtor e diretor de teatro, cinema e televisão.
Nascido em Carangola, MG e Cidadão de Salvador - Bahia

othelo O Maravilhoso Grande Otelo
Inesquecível como "Macunaíma"
Vinte anos sem a figura popular e brasileira de Grande Othelo, ao lado do Palhaço Benjamin o maior dos ícones negros da comedia nacional do século XX.
Tive a honra de trabalhar com ele por alguns anos na TV. Ficava eu lá, embevecido, observando aquele brasileiro baixinho,dono de uma voz gritante e aguda - lembram-se dele em "Macunaíma" ? - dando shows de interpretação.
Recordo-me de um fato contado por ele.Trabalhava ele no Cassino da Urca, na década de 40. Fazia um esquete. Naquela noite um sujeito mal educado e agressivo gritava para ele durante a  apreentação:
- "Palhaço!" e repetia isso a toda hora impedindo-o de expressar-se.
Aí ele parou e disse ao sujeito:
- " Sou palhaço sim, profissional, ganho pra isso.O amigo aí está sendo palhaço de graça.Pode deixar eu ganhar meu dinheiro ?"
Mineiro de Uberlândia vivia lá quando conheceu uma companhia de teatro mambembe e foi embora com eles para São Paulo. Ele voltou a fugir, foi para o Juizado de Menores, onde foi adotado pela família do político Antonio de Queiroz. Otelo estudou então no Liceu Coração de Jesus até a terceira série ginasial.
Participou na década de 1920 da Companhia Negra de Revistas, que tinha Pixinguinha como maestro.
Foi em 1932 que entrou para a Companhia Jardel Jércolis, um dos pioneiros do teatro de revista. Foi nessa época que ganhou o apelido de Grande Otelo, como ficou conhecido.
No cinema, participou em 1942 do filme It's All True, de Orson Welles. O intérprete e diretor estadunidense considerava Grande Otelo o maior ator brasileiro.
Otelo fez inúmeras parcerias no cinema, sendo a mais conhecida  com Oscarito.
Por ironia da vida este orgulho brasileiro faleceu na Europa, de enfarte fulminante assim que o avão em que viajava pousou em Paris, em 27 de novembro de 1993.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

SESI

GERALDO AZEVEDO censura_16GERALDO
O ARTISTA TRAZ SHOW COM SEUS GRANDES SUCESSOS
Com 50 anos de carreira e cada vez melhor, o artista pernambucano embala o público com vários sucessos, como “Moça Bonita” e “Táxi Lunar”.
29/11, às 20h | Ingressos: R$ 30,00
  

E vamos ao CHORO

E vamos de Choro!
Com um repertório para chorão nenhum colocar defeito, o projeto Choro & Cia. promete uma noite memorável em sua última apresentação do ano. O recital, que já tem público fiel, acontece na próxima terça-feira, 26, a partir das 20h, no foyer do Teatro Municipal Trianon.
O tradicional encontro promovido pela Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, em parceria com o Trianon e o Clube do Choro, reúne admiradores do chorinho, gênero reverenciado pelos músicos do tradicional Conjunto Regional Carinhoso.
No repertório, algumas obrigatórias como Carinhoso (João de Barro/Pixinguinha), Noites Cariocas e Assanhado (Jacob do Bandolim), além de pérolas de Chico Buarque, Juventino Maciel, Vinícius de Moraes, Benedicto Lacerda, só para citar alguns.O público confere também Sonho Meu, uma homenagem ao sambista campista Délcio Carvalho, falecido recentemente, e um pout pourri com canções do Rei Roberto Carlos.
No intervalo poético, Antonio Roberto Fernandes quem se apresenta é o poeta Manuel Junqueira. O Conjunto Regional, que pertencente ao Clube do Choro & Cia., patrimônio imaterial de Campos, é formado por Eumir Silva da Gama (violão sete cordas), João Ernesto Aldred Pinto Filho (bandolim), Mailton Gonçalves Ferreira (cavaquinho), José Maria Viana (violão seis cordas), Aderval Gomes - Valzinho (pandeiro), Vinícius Velasco (acordeon), Alba Valéria (voz e coordenação) e Katito (voz e direção musical).

--
Patrícia Bueno
Jornalista

'Lado a Lado' e Fernanda Montenegro vencem prêmio Emmy Internacional

Do G1, em São Paulo

A novela "Lado a Lado", da TV Globo, e a atriz Fernanda Montenegro venceram o 41º Emmy Internacional, considerado o Oscar da televisão mundial. A cerimônia de premiação ocorreu nesta segunda-feira (25) em Nova York, nos Estados Unidos.
"Lado a Lado" disputou o prêmio de melhor telenovela com a conterrânea "Avenida Brasil", com "Windeck", de Angola, e com a produção canadense "30 vies (30 lives)". De João Emanuel Carneiro, "Avenida Brasil' já foi vendida para mais de cem países, enquanto "Lado a lado", de João Ximenes Braga e Claudia Lage, chega ao mercado internacional em 2014.
A novela premiada conta a história de duas jovens à frente de seu tempo que lutam por amor e liberdade, em meio às transformações sociais do Rio de Janeiro do início do século XX.
Da direita para a esquerda, o ator Thiago Fragoso, os autores João Ximenes Braga e Claudia Lage, e o diretor Vinicius Coimbra (Foto: Neilson Barnard/Getty Images/AFP)Da direita para a esquerda, o ator Thiago Fragoso, os autores João Ximenes Braga e Claudia Lage, e o diretor Vinicius Coimbra. Na ponta esquerda, o ator Jeffrey Tambor, que entregou o prêmio.  (Foto: Neilson Barnard/Getty Images/AFP)
Fernanda Montenegro venceu na categoria melhor atriz por sua atuação no especial de fim de ano “Doce de Mãe”, da TV Globo, no qual interpreta Dona Picucha, uma viúva de 85 anos que anuncia para seus quatro filhos que quer se casar. Ela encara a vida com bom humor e sabe tirar proveito de todas as dificuldades que enfrenta.
Fernanda concorreu com a chinesa Li Sun, por "The Back Palace: Legend of Zhen Huan"; com a britânica Sheridan Smith, por "Mrs. Biggs"; e com Lotta Tejle, da Suécia, por "30 Degrees in February".
Fernanda Montenegro como Dona Picucha em 'Doce de Mãe' (Foto: Doce de Mãe/ TV Globo)Fernanda Montenegro como Dona Picucha em
'Doce de Mãe' (Foto: Doce de Mãe/ TV Globo)
Considerada um dos grandes nomes da teledramaturgia e do teatro no Brasil, Fernanda Montenegro foi a única brasileira já indicada ao Oscar de melhor atriz, pelo seu trabalho no filme "Central do Brasil" de 1999.
"Gostaria de dividir este Emmy com meus queridos diretores, Ana Luiza Azevedo e Jorge Furtado, e com todo o elenco, meus amigos, maravilhosos e estupendos atores do Brasil. Muito obrigado", disse a atriz visivelmente emocionada, usando um elegante vestido preto de veludo.

Em declarações à agência EFE, Fernanda Montenegro reconheceu que o segredo da personagem que interpretou, com grande satisfação, é que ela representa "uma lição de vida, sobre como envelhecer sem muito drama e com muito senso de humor".

"Não é boba, nem louca, é simplesmente uma mulher consciente de sua idade que continua achando graça da vida", concluiu.
Fernanda Montenegro (Foto: Neilson Barnard / Getty Images / AFP Photo)Fernanda Montenegro ao chegar para o Emmy
(Foto: Neilson Barnard / Getty Images / AFP Photo)
Fernanda Montenegro nasceu em 1929 no Rio de Janeiro. Começou a atuar nos anos 1940 adaptando obras de teatro para o rádio e, desde então, manteve uma trajetória artística no país, rejeitando todas as ofertas de Hollywood.
A respeito disso, ficou famosa pelas frases: "meu inglês não é bom, mas minha alma é melhor" e "no Brasil tenho uma carreira, nos Estados Unidos tenho um sotaque".
Além do Emmy Internacional, Fernanda já foi vencedora do Urso de Prata do Festival de Cinema de Berlim, da Concha de Prata do Festival de San Sebastián e do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, entre outros.
Fernanda Montenegro mostra prêmio Emmy Internacional (Foto: Neison Barnard/ Getty Images North America/ AFP)Fernanda Montenegro mostra prêmio Emmy Internacional (Foto: Neison Barnard/ Getty Images North America/ AFP)


Cinco indicações
A TV Globo concorreu em cinco das nove categorias do Emmy Internacional. “O brado retumbante" disputou melhor série dramática. O vencedor na categoria foi "Les Revenants", da França. “Como aproveitar o fim do mundo” concorreu ao prêmio de melhor comédia, vencido pela produção do Reino Unido “Moone Boy”.
Cauã Reymond no Emmy Internacional (Foto: Twitter @iemmys)Cauã Reymond no Emmy Internacional
(Foto: Twitter @iemmys)
O Brasil também concorreu à melhor atuação masculina pelo trabalho de Marcos Palmeira em "Mandrake", da HBO e Goritzia Filmes, categoria vencida por Sean Bean, por “Accused” (Acusado), do Reino Unido.

O ator Cauã Reymond apresentou a categoria “Programa sem roteiro pré-definido” junto com a atriz Amanda Righetti. O quesito teve como vencedora a produção da Austrália “Go Back to Where You Came From” (Volte de onde você veio).

Segundo a agência EFE, no total, 19 países foram indicados ao Emmy, entre eles Reino Unido, Alemanha, Canadá, África do Sul, Japão, Angola, Suécia, México, Bélgica, Uruguai, Colombia, China e Filipinas.

Veja abaixo em negrito os vencedores das nove categorias:

Melhor programa de arte (empate)

Hello?! Orchestra  - MBC / CEN Media – Coreia do Sul
Soundtrack  - Geronimo BVBA – Bélgica
Multiple Views - La Máquina Loca  - TV UNAM / El Caiman Films / Alebrije  - México
Freddie Mercury: The Great Pretender  – Reino Unido

Melhor performance masculina

Shinichi Tsutsumi - Yasu - A Single Father's Story  - NHK  - Japão
Sean Bean - Accused - RSJ Films – Reino Unido
Heino Ferch - Anatomy of Revenge  - Aichholzer Filmproduktion, Vienna / ORF - Alemanha
Marcos Palmeira - Mandrake Especial - HBO Latin America Originals / Goritzia Filmes – Brasil
Melhor performance feminina

Li Sun - The Back Palace: Legend of Zhen Huan - Film TV Culture Communication - China
Sheridan Smith - Mrs Biggs - ITV Studios / December Media – Reino Unido
Lotta Tejle - 30 Degrees in February - SVT / Fundament Film - Suécia
Fernanda Montenegro - Doce de mãe - TV Globo – Brasil
Comédia

Late Nite News with Loyiso Gola -  África do Sul
Moone Boy  - Reino Unido
Workingirls - França
Como aproveitar o fim do mundo – TV Globo – Brasil
Documentário

The Golden Hour  - Desert Road / TVNZ – Nova Zelândia
My Mother, Lady Bondong  - MBC – Coreia do Sul
5 Broken Cameras  - Alegria Productions / Guy DVD Films / Burnat Films Palestine / France Télévisions – França
5 de Mayo, Un Dia de Gloria - Discovery Channel Latin America / Cactus Films - México
Série de drama

Maalaala Mo Kaya  - ABS-CBN – Filipinas
Les Revenants (Rebound)  - Haut et Court TV / Canal+ Original Programming – França
O brado retumbante - TV Globo  - Brasil

Accused - RSJ Films – Reino Unido
Programa sem roteiro pré-definido

Go Back to Where You Came From - SBS Television Australia  - Austrália
MasterChef South Africa - Quizzical Pictures / Lucky Bean Media – África do Sul
Dear Neighbors Help Our Daughter Find Love  - Keshet Broadcasting / Keshet International / Fuchsia Productions  - Israel
Reto al Chef 2 - Foxtelecolombia – Colombia
Telenovela

Windeck  - Semba Comunicação - Angola
30 vies (30 lives) - Aetios Productions Inc. - Canadá
Avenida Brasil - TV Globo - Brasil
Lado a Lado  - TV Globo  - Brasil
Minissérie

DramaW Mini-Series: Heaven's Ark - WOWOW INC. / FINE Entertainment - Japão
Secret State  - Company Television / Newscope Films – Reino Unido
SOMOS - Cadáver se necesita - AGADU / Canal 10 - Uruguai
A Day for a Miracle - Rowboat Film / ZDF - Alemanha

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Vale a pena conferir


Empresárias de Curitiba criam 'Terapia de Bar' só para mulheres

Do:G1
Duas empresárias de Curitiba criaram um projeto exclusivo para as mulheres destressarem de uma maneira divertida. Elas organizam um encontro para as mulheres se desligarem da correria e da rotina do dia a dia. A idealizadora da "Terapia de Bar", Jennifer Schewtschik, conta que a ideia surgiu ao perceber, em conversar com as amigas, que a maioria dos problemas que as mulheres tinham estava relacionada à falta de tempo para elas mesmas – principalmente nos casos das casadas.
“Na experiência de ajudá-las, eu percebi que elas se perdiam [no casamento], não tinham mais amizades, não viam mais as velhas amigas, não conversavam. O homem faz ‘terapia’. Eles vão jogar futebol, vão pescar, vão jogar pôquer”, analisa a empresária.
Rosângela Serena apostou tanto no projeto de Jennifer, de quem é amiga, que largou o emprego que tinha como funcionária pública para colocar o “Terapia de Bar” em prática. “Acreditei muito no projeto. É para ajudar outras mulheres. E ver o resultado é realmente muito bacana”, relata.
Jennifer Schewtschik e Rosângela Serena são as idealizadoras do projeto (Foto: Hellen Albuquerque / Loja de Notícias / Divulgação)Jennifer Schewtschik e Rosângela Serena são as
idealizadoras do projeto (Foto: Hellen Albuquerque /
Loja de Notícias / Divulgação)
Inclusive Rosângela conta que ela não tinha o costume de guardar um tempo só para ela e que só saía acompanhada do marido. A mudança de vida fez bem não só para a vida profissional dela, mas também para o casamento. “Estava acomodada”, diz sobre o antigo trabalho. “Foi um grande passo para ela virar empreendedora. O esposo dela a olha de outra forma”, afirma Jennifer.
“A mulher abre mão de mais coisas. A mulher tem os filhos, tem o marido, tem o trabalho. Então a gente acaba realmente se privando um pouco. E é aquele negócio: ‘vamos marcar de sair com as amigas’, mas a gente não marca, vai adiando. Eu e a Jennifer constatamos de que essa falta de relaxamento, de as mulheres saírem e conversarem com as amigas, acaba prejudicando os relacionamentos”, pondera Rosângela.
O evento já teve três edições – uma em setembro, outra em outubro e a última ocorreu neste mês de novembro. Apesar da boa aceitação do público, Jennifer se lembra da apreensão que sentiu quando resolveu levar o projeto adiante. “Eu pensava se ia dar certo. Achava que era uma coisa muito nova, já que não existia no mercado. Eu fiz uma pesquisa. Uma coisa é você abrir uma coisa que já existe, como um salão de beleza, que todo mundo sabe que existe e que dá certo. Inovar criou uma expectativa muito grande, um medo, um receio: ‘será que o público vai gostar, será que vai aceitar?’”. 
Jantar, apresentações de dança e de stand-up comedy e massagens de relaxamento fazem parte da programação da noite das mulheres no bar.
Apresentação de stand up estava na programação da noite de mulheres (Foto: Carlos Henrique / Divulgação)Apresentação de stand-up comedy estava na programação da noite de mulheres (Foto: Carlos Henrique / Divulgação)
As sócias garantem que o retorno das mulheres que participaram do projeto foi positivo e que os relatos apontam que as relações das mulheres com os parceiros melhoram. “Eu tenho três amigas que melhoraram muito o relacionamento”, diz Rosângela.
'Descontrair sem homens'

Aposentados começam a receber 2ª parcela do 13º

Do:Campos24horas

No total mais de 26 milhões de benefícios têm direito ao 13º salário
aposentados 2013 capa

Aposentados e pensionistas do INSS começam a receber a segunda parcela do 13º salário a partir da nesta segunda-feira, dia 25.
O dinheiro será repassado junto com o pagamento da folha de novembro – que será creditada até o dia 6 de dezembro. No total mais de 26 milhões de benefícios têm direito ao 13º salário.
A Previdência Social disse que está investindo mais de R$ 13 bilhões no pagamento desta segunda parcela em todo o Brasil.
Por lei, os segurados que recebem benefícios Assistenciais (LOAS) não têm direito ao 13º salário, que corresponde a cerca de 4,1 milhão de benefícios. O governo confirmou ainda que, nesta parcela, haverá desconto de Imposto de Renda (IR). A primeira parcela foi paga antecipadamente entre 26 de agosto e 6 de setembro deste ano.
“Este dinheiro vai estar nas mãos destas pessoas, segurados, aposentados, e que irão, certamente, fazer o melhor uso disso junto ao comércio, junto às atividades de lazer e isso realmente vai incrementar a economia de cada município”, avaliou o ministro da Previdência, Garibaldi Alves.


Bancas de jornal querem aproveitar nova lei para reconquistar público perdido

O jornaleiro Paolo Pellegrini, 64, em frente à Banca República, uma das mais antigas da cidade

Da:Folha de São Paulo
LETÍCIA MORI
RICARDO SENRA

No início do século 20, elas se resumiam a pilhas improvisadas de caixas de madeira. Durante a ditadura, pegaram fogo (literalmente), incendiadas por vender material "subversivo" como "O Pasquim". No fim dos anos 1990, viraram pontos de encontro de jovens na madrugada --com paquera e cervejinha.
Hoje, as bancas de jornais tentam se reinventar para vencer a concorrência: em dez anos, padarias, lojas de conveniência e mercadinhos abocanharam 30% das vendas de periódicos e revistas.
A ideia é contra-atacar: uma lei municipal aprovada pelo prefeito Fernando Haddad na semana passada ampliou a lista de produtos e serviços que podem ser vendidos nas 3.500 bancas da capital.Agora elas podem oferecer bebidas não alcoólicas e alimentos industrializados como sorvetes, salgadinhos e doces (mas só até 200 g).

sábado, 23 de novembro de 2013

Apartamentos e gaiolas

   
   
  Walnize Carvalho
              
                  O dia amanhece.
              Saio de minha “gaiola”e ganho a rua.
              A primavera, com cara de verão, me traz  na pele clara, o ardor do sol matinal.
             Caminho e uma cena me chama à atenção: estacionamento de carros em  terreno quadrado  de parede caiada.
             Um homem assobia uma canção, enquanto lava uma camioneta ali deixada sob seus cuidados.
            Fixo o olhar na parede branca. Nela, apartamentos mirins e seus moradores a espiar a rua: gaiolas arrumadas em forma vertical,que dão idéia de um edifício residencial.
           Os pássaros entoam seus trinados contraponto a som alto do rádio do carro estacionado.
           Sigo em frente. Deixo o pensamento voar.

          Tento travar a lágrima teimosa e retorno ao meu apartamento.

Palavras que ficam


"Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol.
Ambos existem; cada um como é."

Fernando Pessoa

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

"OS PIANEIROS” EM CAMPOS:


Em recital promovido pelo Orfeão de Santa Cecília, o pianista e professor Luiz Eduardo Domingues, ex-diretor da Escola de Música Blue Sound, em nossa cidade, lança seu primeiro CD no Salão Nobre da Santa Casa neste sábado dia 23 de novembro. O repertório a ser mostrado vem do disco intitulado “Os pianeiros”, gravado pelo selo “A Casa Discos” com peças de alguns dos primeiros pianistas populares do Brasil, responsáveis pela inauguração do jeito brasileiro “gingado” de tocar piano. Produzido pelo compositor Sérgio Roberto de Oliveira (indicado ao Grammy latino em 2011), e lançado no Rio em julho deste ano, com excelente recepção de público e crítica, o projeto homenageia o sesquicentenário de nascimento de Ernesto Nazareth, um dos autores visitados, ao lado de Chiquinha Gonzaga, Misael Domingues e Joaquim Antonio Callado (considerado um dos pais do choro). O evento, que celebra o dia de Santa Cecília, padroeira da música, tem entrada franqueada ao público e acontece a partir das 20 horas.

A pedida é...