quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Coisas desse mundão de Deus

Em busca de boas imagens, fotógrafo do surfe diz que encarou até tubarões

Do:Uol
  • Alberto de Abreu Sodré/Divulgação
    Imagem de pôr do sol na praia a partir da areia com lentes teleobjetivas criando perspectivas de cores e nuances em trabalho de característica própria do fotógrafo
    Imagem de pôr do sol na praia a partir da areia com lentes teleobjetivas criando perspectivas de cores e nuances em trabalho de característica própria do fotógrafo

    "Uma lente na praia no meio do público não conta nenhuma novidade, apenas registra a visão que todos tem do local. Por isso eu entrei na água, para aumentar a emoção do esporte", revela o fotógrafo submarino Alberto de Abreu Sodré, o Beto Cação, de 53 anos, um dos pioneiros em fotos de surfe dentro do mar. Ele inaugurou nesta segunda-feira a exposição Photo Grafias na Mercearia São Roque, nos Jardins, em São Paulo.
    Alberto foi um dos precursores da utilização de um equipamento indispensável para fotos submarinas, as caixas estanque (caixas acrílicas transparentes vedadas para uso fotográfico), e revolucionou a utilização dessa técnica em busca de imagens de alto impacto. Por isso, ganhou um dos seus apelidos: A Lenda.
    Lendário ou não, Alberto tem muitas histórias para contar, sendo várias delas emocionantes e arriscadas, como quando tomou uma série (de ondas) na cabeça na baía de Waimea no Havaí, ou quando saltou de helicóptero para mergulhar de pernas cruzadas no mar e sentiu na pele (e nos ossos) o impacto de cair na água de uma altura tão grande.
    Toda essa audácia, e o resultado final dos seus trabalhos lhe garantiu espaço como para registrar seus feitos em revistas como Fluir, Hardcore, Alma Surf, Náutica, Veja e as estrangeiras Surfer, Surfing e Life Japan.
    A importância do mar na vida de Alberto é tamanha que ele mesmo chama o local de "lar". E não é para menos. Sua forma de captar imagens debaixo dágua em grande velocidade ao redor dos surfistas lhe valeu o apelido carinhoso de Beto Cação, por aparentar um tubarão antes de atacar sua presa.
    Esses vorazes predadores marinhos também já foram encarados olho a olho, ou olho a lente por Cação, que já teve a presença de tubarões em muitas situações.
    A qualidade das suas imagens é tão relevante que foi eternizada nos livros Aremiti Ombak Nalu – O Desafio Máximo de Um Surfista, e ainda lhe garantiu o prêmios Best Print Magazine da Associação dos Surfistas Profissionais por suas imagens de alto impacto.
    • Alberto de Abreu Sodré/Divulgação

    Nenhum comentário: