terça-feira, 22 de maio de 2012

Algumas do Curitibano

— O amor é como uma corruíra no jardim — de repente ela canta e muda toda a paisagem.



— Ele manda e desmanda no vento. Ralha com a chuva. Castiga o raio. Silencia o protesto do trovão. Só pela velha não é obedecido.

— O vaga-lume risca um fósforo outro mais outro sem acertar a chave na porta.


— Cinqüenta metros quadrados de verde por pessoa de que te servem se uma em duas vale por três chatos?


— Corta essa cara. De que serve fazer bem uma gaiola se nenhum passarinho quer entrar?



— Chorando baixinho, o velho disca todas as combinações possíveis. Mas não acerta o número da própria casa.




Mini-históriasde Dalton Trevisan extraídas do livro "Ah, é?", Distribuidora Record de Serviços de Imprensa - Rio de Janeiro, 1994, pág. 05 e seguintes.

Nenhum comentário: