quarta-feira, 3 de abril de 2013

"Deu formiga na cama?"

Acordei mais cedo do que o costume.
 Como tenho um compromisso pela manhã "passei para abrir a casa".
 Chove muito!
 E aí,garimpei este ditos populares sobre...chuva:

“Chuva que troveja, não cai.”
“Chuva com pedra, telhado novo.”
“Chuva de sábado nunca se acaba.”
“Chuva e sol, casamento de espanhol.”
“Há chuva que seca e sol que refresca.”
“Chuva de agosto, apanhá-la com gosto.”
“Chuva e vento, casamento de ciumento.”
“Quem foi molhado de chuva, não tem medo de sereno.”
“Chuva miúda e névoa aturada são bom alimento de terra lavrada.”
“Quando Deus manda chuva, é para nós todos nos molharmos.”
“O que a chuva faz num dia, o sol não desmancha em dois.”
“Tanta chuva pelas candeias, tantas abelhas pelas colmeias.”
“A chuva falta nos meses mas nunca falta no ano.”
“Chuva de levante, não deixa coisa constante"
“Chuva de fevereiro vale por estrume.”
“Quem anda na chuva, é para se molhar.”
“Chuva civil não molha militares.”
“Fugiu da chuva e caiu no molhado.”
“Chuva e sol, casamento de espanhol.”
“Há chuva que seca e sol que rega.”
“A chuva miúda é chuva de tolos.”
“Chuva e maré nunca espera.”
“Chuva que troveja, não cai.”
“Chuva com pedra, telhado novo.”
“Chuva de sábado nunca se acaba.”
“Chuva e sol, casamento de espanhol.”
“Há chuva que seca e sol que refresca.”
“Chuva de agosto, apanhá-la com gosto.”
“Chuva e vento, casamento de ciumento.”
"Chuva de cachorro beber água em pé"

Nenhum comentário: