domingo, 9 de junho de 2013

Na manhã de domingo...

A LEI DOS BARCOS

Faltaram a vela inflada
E a sina dos ventos
Que levam ao milagre dos peixes.
Faltou a cantiga
Do pescador solitário,
Enquanto a quilha abre
veredas d’água.
Faltou o último levante do sol,
Um bando de gaivotas de porcelana,
no primeiro vôo de vidro da manhã.
Faltou que se cumprisse
A lei das embarcações:
Do barco não mais voltar ao porto
Na viagem derradeira.
Perder-se no azul sem fim.
Faltou o mar,
Que um dia,
Pensei que houvesse
Em mim.


FernandoLeiteFernandes

Um comentário:

Fernando Leite disse...

Obrigado Walnize pela gentileza de postar esse poema.
abraços
Fernando