terça-feira, 25 de junho de 2013

Há 130 anos, Campos tornava-se a pioneira em luz elétrica na América


A cidade de Campos, maior produtora de Petróleo do país, responsável por 80% da produção nacional, foi a primeira cidade da América Latina a ter iluminação pública elétrica, isso há exatos 130 anos, exatamente no dia 24 de junho de 1883, o que foi possível através de uma termelétrica a vapor acionadora de três dínamos com potência de 52 KW, fornecendo energia para 39 lâmpadas de 2000 velas cada. O serviço foi inaugurado pelo próprio Imperador Dom Pedro II e a placa só colocada dois dias depois.

Sua Majestade hospedou-se no solar do Visconde de Santa Rita, na rua 7 de setembro. A neta do visconde, Anita, casou-se com o jovem deputado Nilo Peçanha, mais tarde Presidente da República. Nilo, “mestiço de Morro do Coco”, era filho de um padeiro. A família da noiva se opôs ao casamento e, graças à determinação da jovem Anita – que fugiu de casa – os dois puderam se casar na Igreja de São João Batista da Lagoa, no Rio.
O casamento foi realizado pelo ilustre Padre Pelinca, que fora vigário da Paróquia de São Salvador - atual catedral - e que a esta altura já havia sido expulso da cidade.
HISTÓRIA
Em 1879, Thomas Edison inventou a primeira lâmpada incandescente prática, barata e capaz de competir com a iluminação a gás.


Três anos depois, em 1882, ele inaugurou, em Nova Iorque, a primeira central americana de serviço público de geração e distribuição de eletricidade: a Pearl Street Central Station.
Nesse mesmo período, no Brasil, a Câmara Municipal da cidade de Campos dos Goytacazes, no estado do Rio de Janeiro, aprovava, em 1881, a substituição da iluminação pública a gás pela iluminação a energia elétrica.
Dois anos depois, em junho de 1883, nessa mesma cidade, era inaugurado o primeiro serviço público de iluminação elétrica da América do Sul, na presença do imperador D. Pedro II.
Em 1889, seis anos após a experiência pioneira no norte fluminense, a primeira hidroelétrica da América do Sul era inaugurada; tratava-se da Usina de Marmelos, idealizada pelo industrial mineiro Bernardo Mascarenhas para abastecer a sua fábrica de tecidos e prover a cidade de Juiz de Fora de iluminação elétrica.
Frase da placa: "Em 1883 Campos era a primeira cidade da América Latina e a terceira do mundo a receber luz elétrica, este poste remanescente daquela época, é simbolo da grandeza da nossa história, perpetuada pelo tempo".




Postado por: GRANGER

Fonte: URURAU



Um comentário:

walnize carvalho disse...

Obrigada,aos "meninos" editores do blog por terem arrumado de maneira adequada minha postagem!
Abraços saudosos