sexta-feira, 19 de outubro de 2012

"Saudosas Pelejas - A história centenária do Campos Athletic Association"






Neste domingo, às 3 da tarde, meu companheiro de blog "Estrela Solitária no Coração", o amigo, jornalista e alvinegro apaixonado, Wesley Machado fará o pré-lançamento do seu 1º livro próprio "Saudosas Pelejas - A história centenária do Campos Athletic Association".


O evento será na sede do Campos Atlético Associação, localizada na Avenida Alberto Torres, nº 714, Parque Leopoldina. O livro é o resultado da pesquisa que Wesley fez para o Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo da Faculdade de Filosofia de Campos no ano de 2008. 

Pegando carona nas informações dadas no blog de Fernando Leite, descobri que "a pesquisa foi realizada no antigo acervo do Jornal Monitor Campista, no Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, no Palácio da Cultura e na Liga Campista de Desportos."
 "Saudosas Pelejas" tem orelha de Afonsinho, primeiro jogador a obter o passe livre, craque da década de 70, principalmente usando a camisa do Fogão e que, durante um amistoso contra o Palmeiras em 1974, vestiu a camisa do "Roxinho", como também é conhecido o Campos, com direito a um gol. O prefácio do livro de Wesley foi escrito pelo craque das letras, Péris Ribeiro.

Mais informações colhidas do blog de Fernando: "Com capa de Fernando Luiz e diagramação e arte de Enockes Cavalar, "Saudosas Pelejas", tem 160 páginas de textos e fotos históricas, como a do fundador do clube, Ângelo de Carvalho. Nos anexos, textos de escritores, jornalistas e torcedores que escreveram sobre o "Antigo Leão da Coroa", tais como Waldir de Carvalho, Oswaldo Lima, Hugo de Campos, Roberto Findlay, Orávio de Campos, Carlos Alberto Redondo e Márcio de Aquino.

Wesley Machado jogou no time mirim do "Roxinho", que se sagrou bi-campeão da Copa Jornal "A Cidade" nos anos de 1990 e 1991. Apesar de destro, Wesley jogava improvisado de lateral esquerdo, guardadas as devidas proporções como Nilton Santos e Júnior. Ele foi levado para o clube pelo avô materno, Egenildo Barbosa. O avô paterno do autor, Fernando Machado, também foi jogador do "Roxinho" na década de 1950."

Fica a dica.

Um comentário:

Vindo dos Pampas disse...

Tri legal saber que o "Roxinho" esta agora também eternizado num livro.
Quando fui para Campos pela primeira vez e fui escolher qual time torcer, fiquei em dúvida entre o Goytacaz (nome da rua que nasci em Porto Alegre) e o Campos (nome da cidade que tão bem me acolheu). Optei pelo Campos. Acho que fui 'pé quente' pois, logo depois em 1976 ele foi campeão campista. Mas, logo depois encerrou as atividades.
Parabéns ao jornalista Wesley Machado pela brilhante iniciativa.
Abs.