segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Doador de esperma vai pagar pensão para “filhas” que ele mal conhece

Da série Mundo Estranho:

O britânico Mark Langridge nunca desejou ter filhos, mas um casal de amigas lésbicas sim. Para ajudá-las, ele resolveu doar seu esperma, há treze anos, e realizar o sonho das amigas. Ele não sabia o problemão que isso iria lhe causar.

Passados treze anos após sua “gentileza”, Langridge viu sua vida virar de pernas para o ar: ele recebeu uma carta do governo inglês que o obrigava a ajudar financeiramente as duas crianças que ele ajudou a colocar no mundo — mas que ele mal conhecia. As informações são do tabloide britânico Daily Mail.

O homem de 47 anos, que desde 2004 não tem mais contato com as amigas, não é mencionado na certidão de nascimento nem teve responsabilidade na educação das duas meninas, mas está sendo obrigado pela Agência de Apoio à Criança a pagar 26 libras por semana (cerca de R$ 85), para ajudar nas despesas.

Langridge diz que não tem condições financeiras de ajudar as pequenas. Até elas se tornarem adultas, diz ele, o montante vai chegar a R$ 26 mil.

O britânico, natural de Essex, é casado há 17 anos com Shaun Keeble e disse que nunca pensou em ter filhos.

— Eu e Shaun nunca tivemos vontade de ter filhos. Quando a ideia [de doar o esperma] surgiu, nós pensamos que isso seria uma coisa adorável de se fazer. Os últimos meses, no entanto, têm sido um pesadelo.

Langridge diz se sentir em meio a uma chantagem patrocinada pelo Estado.

— Eu não pedi que nada fosse documentado legalmente. Talvez devesse ter feito isso.

Meninas nasceram em 1998 e 2000
Langridge conheceu o casal de amigas lésbicas em 1997, e logo se tornaram bons amigos. Quando uma delas disse que estava desesperada para ter filhos, ele resolveu ajudar.

Após o nascimento da primeira criança, logo no ano seguinte, em 1998, o casal resolveu pedir ajuda novamente. A segunda menina nasceu, então, no ano 2000.

Quando as crianças eram pequenas, o britânico manteve contato com as amigas, encontrando as pequenas em eventos sociais.

Um dia, segundo diz, ele foi apresentado às pequenas como sendo o pai delas. Surpreso, ele sugeriu que as meninas perguntassem a suas mães como tinha ocorrido o nascimento delas.

Desde 2004, no entanto, as duas famílias perderam contato, salvo algumas cartas trocadas.

Nesse meio tempo, o casal de lésbicas se separou, e as crianças acabaram ficando com a mãe biológica.

Sem condições financeiras, ela começou a pedir ajuda ao governo.

Foi assim que, em junho, Langridge recebeu uma carta da Agência de Apoio às Crianças (CSA, na sigla em inglês).

Langrige protestou a ação e disse que, antes de doar o esperma, se certificou que o casal de lésbicas teria condições de criar as crianças.

Segundo a CSA, se o britânico tivesse usado um centro oficial de doação de esperma, ele não estaria no meio de imbróglio. Mas como o procedimento foi feito de maneira privada, ele não está protegido por garantias legais.

A única maneira de Langridge sair da questão seria exigir uma revisão judicial. A medida, no entanto, custaria ao menos R$ 195 mil na região.

Fonte: http://noticias.r7.com/internacional/doador-de-esperma-vai-pagar-pensao-para-filhas-que-ele-mal-conhece-29102012

Nenhum comentário: