terça-feira, 12 de junho de 2012

Enlou-cresça


Carlos Drummond de Andrade


Enfeite-se com margaridas e ternuras,

e escove a alma com leves fricções de esperança.

De alma escovada, e coração estouvado,

saia do quintal de si mesmo

e descubra o próprio jardim.

Acorde com gosto de caqui

e sorria lírios

para quem passe debaixo da janela.

Ponha intenções de quermesse em seus olhos

e beba licor de contos de fada.
Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta

e do céu descesse uma névoa de borboletas,

cada qual trazendo uma pérola falante

a dizer frases sutis e palavras de galanteira:

Se você não tem namorado

é porque ainda não enlouqueceu

aquele pouquinho necessário

pra fazer a vida parar

e de repente parecer que faz sentido.

Enlou-cresça.

Nenhum comentário: