quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Sobre Néstor Kirchner



No dia 24 de marco de 2004 – aniversário do início da mais cruel ditadura militar da história Argentina – o ex-presidente Nestor Kirchner foi protagonista de um ato histórico.
No Colégio Militar da Nação, ordenou ao tenente general Roberto Bendini que subisse em um banquinho e retirasse da parede os quadros dos ditadores Jorge Videla e Roberto Bignone, que impuseram o terrorismo de Estado no país entre 1976 e 1983.
Nas primeiras filas, 27 generais e cinco coronéis. Desnorteados.
O ato durou segundos, mas foi extremamente simbólico. Tanto que o vídeo desta cena foi um dos mais vistos ontem na Argentina, após o anúncio da morte de Kirchner.
Denunciava uma concordância silenciosa de que, independentemente de sua figura controversa, apenas por esse gesto Kirchner merecia ser respeitado – e recordado.

Do blog Aquí me quedo.

2 comentários:

Neto disse...

AQui no Brasil ninguém teve culhão para fazer o mesmo.
Pq será???

Claudio Kezen disse...

Brasiuiuiuiuiuuuuuuuuuuuuuuuuuuu !!!!!!!!!!