sábado, 15 de fevereiro de 2014

Travessura



Walnize Carvalho

                                                                                                                                               
A menina travessa
 sorrateiramente
entrou no porão da  velha casa.

Seus olhos
correram os cantos.

Encontrou mofo e teias de aranha.

Remexeu baús.
Viu
 fotos antigas,
quinquilharias
e papéis de carta.

De repente,
 em seu olhar
 uma inusitada chama.
 algo encantador:
uma caixa redonda:
 Caixa de Pandora?...

Abriu a tampa.
Dela saltou,
para susto e alegria,
um boneco de molas
 a lhe sorrir.

Correspondeu ao sorriso,
afagou-lhe a face ,
 brincou com ele.
Tirou a poeira dos seus sentimentos.

A menina travessa
cansou da novidade.
Resolveu ir embora.

Tentou fechar
 a tampa da caixa colorida.
Não teve êxito.
O brinquedo semi-liberto
não conseguia voltar para o seu mundinho anterior .

A menina travessa
 movida por pressa e tédio
 jogou a um canto,a distração.

Dos olhos do palhacinho
 duas lágrimas mágicas caíram...



Nenhum comentário: