terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Falando nisso, a ESPN Brasil só cai..


Quem me conhece ou acompanha o blog há algum tempo, sabe que sou um maníaco pela ESPN Brasil. A forma com que abordam o esporte em geral, dando ênfase à informação e à opinião sem rabo preso com a CBF ou os poderosos de outros esportes, me fascinou há cerca de 15 anos. Isso sem falar que a emissora sempre gostou de misturar esportes com cultura e cidadania. Iniciativas como a "Caravana do Esporte", demonstram bem isso.
Já usei muito aqui no blog, reportagens e visões de jornalistas do canal. Em março de 2009, tive a chance de me sentir parte da equipe ao receber alguns membros da sucursal carioca em nossa cidade. (Lembre aquiaqui) Já escrevi para o canal e falei sobre a bagunça que foi a entrada de um jogo entre Americano e Botafogo em 2012, e tive a mensagem lida pelo Mestre José Trajano (aqui). Fora a quantidade de kits que ganhei da ESPN ao longo deste tempo.
Por este motivo, fico muito à vontade para falar com muita tristeza das mudanças que vem acontecendo no canal desde a saída de Trajano do comando da ESPN há cerca de 2 anos e meio. Neste período, profissionais gabaritados como Flávio Gomes (que se envolveu numa confusão pelo twitter), Patricia Lopes, Rodrigo Bueno e Fábio Azevedo saíram, a reposição não foi à altura, a interatividade com o assinante (chamado de fã de esporte), uma marca do canal, foi caindo vertiginosamente. E agora no começo de 2014, o Sr. João Palomino, novo manda chuva da emissora, indicado inclusive por Trajano (que deve estar muito arrependido) acabou com o "Pontapé Inicial", programa matinal que misturava esportes, música, cinema e cultura em geral. Não satisfeito, ontem acabou também com a participação carioca no tradicional " Linha de Passe", oficializando desta forma o que o amigo blogueiro Chistiano Abreu Barbosa em seu "Ponto de Vista", denominou aqui de forma muito apropriada, de "paulistinização" do canal. Nada contra São Paulo e os paulistanos, mas considero uma tremenda "bola fora" desta nova direção que só faz besteira em cima de besteira, desrespeitando e jogando no lixo tudo que foi construído por José Trajano, desde 1995.
Chego a temer, inclusive, pela sua presença no canal, o que aí sim, seria, na minha opinião, a morte da ESPN Brasil. 
E eu não vou ao velório.
Espero que alguma coisa mude, mas pelo que observo, a tendência é só piorar. Não à toa, o canal só perde terreno.
Que pena...

Atualização às 14:54: Pelo twitter, o diretor de jornalismo da ESPN Brasil, João Palomino, me esclareceu que continuará havendo a participação carioca no Linha de Passe, mas que tudo será no mesmo estúdio (em São Paulo). É o formato antigo do programa. Pelo que entendi, será feito um revezamento. Disse ainda que Bate Bola 1, que substituiu o Pontapé Inicial, segue o conceito do antigo programa. Rebati dizendo que não concordava, já que no Pontapé havia um espaço todo especial para a música e o cinema, mas Palomino se calou. E por último, respondendo a uma dúvida minha se Mestre José Trajano continua nos quadros da "nova" ESPN, Palomino respondeu:" Da nova, da velha, da de sempre". Infelizmente, tenho minhas dúvidas. 

10 comentários:

Juarez Santos disse...

Ola Pessoas de Bem..Descobri esse Blog por indicação do Grande amigo Gervásio Cordeiro Neto..Já desejo sucesso...Tal qual o Gervásio sou ESPN Brasil Maniaco...e tal qual triste e decepcionado com os rumos da nau... Perder o Pontpé Inicial foi uma facada no coração dos Fans do Esporte e essa morte agora dos "cariocas"no Linha foi a gota da agua...muito triste mesmo, gervasio falou tudo....!!

Anônimo disse...

Por que caiu? Caiu por quê?

Acompanho a ESPN há muito tempo. A saída de José Trajano do comando do canal realmente foi o início da queda, pois ele dava o teor ideológico-jornalístico ao canal.

Por isso, alguns fatos merecem a nossa atenção:

a)Júlio Gomes – irmão de Flávio Gomes – quando foi demitido comentou: “Houve uma fritura ao longo dos meses que resultou na minha saída. E não foi uma fritura profissional, mas pessoal”. Júlio Gomes era editor-chefe do portal ESPN.com.br

b)Flávio Gomes e Arnaldo Ribeiro se desentenderam com torcida e cúpula do Grêmio. O incidente rendeu uma nota de repúdio do clube e um pedido de desculpas da direção do canal de TV por assinatura, além da demissão de Flávio e o afastamento de Arnaldo.
Observem o que Arnaldo Ribeiro escreveu: “Monitorem ligacoes de Fabio Koff e cia para comissao de arbitragem e CBF nos ultimos dias.”
As “medidas internas” anunciada por Palomino, no caso, significaram a demissão de Flávio Gomes do canal, comunicada internamente nesta segunda. Arnaldo, por sua vez, foi temporariamente afastado de participações nos programas da emissora.
A postura do Arnaldo(excelente jornalista) foi muito mais “chocantes” do que a Flávio Gomes, porém somente este perdeu o emprego(está na Fox Sports).

c)A Kitty Balieiro, gerente de projetos especiais da ESPN, também foi demitida por Palomino.

d)Não há mais a participação carioca no ”Linha de Passe”
(Fernando Calazans, Márcio Guedes).

Todos os demitidos por João Palomino são ligados à Trajano(TODOS SEM EXCEÇÃO).

E agora o fim do Pontapé Inicial, programa do Zé Trajano.

“Para quem sabe ler, um pingo é letra”

Gervásio Cordeiro NETO disse...

Infelizmente concordo com o amigo acima, mesmo que Palomino tenha dito que a participação carioca continuará. Quanto a Trajano, tive a informação ontem à tarde que ele está afastado para cuidar de alguns problemas de saúde e retorna em março.
A coincidência é que ele sempre aparece com problemas de saúde depois de situações "esquisitas".
ESpero de verdade que ele volte. Caso contrário, perdem um autêntico fã de esporte e maníaco pelo canal.

Gervásio Cordeiro NETO disse...

Até hoje é difícil engolir sua substituição no comando da ESPN Brasil. Sem Trajano não dá!

Alexandre Rodrigues Alves disse...

No ano passado, mais precisamente em Novembro, escrevi esse texto falando sobre a situação da ESPN Brasil: http://bolaparada.altervista.org/2013/11/o-momento-mais-do-mesmo-da-espn/

Tentando resumir o que acho: Estão investindo muito no "bom humor" numa descontração meio forçada, estilo TV aberta, estão muito soltos nesse sentido. Acho que antes havia uma liberdade de opinião, mas não existia essa vontade de popularização que estão fazendo hoje em dia. Aquelas "Visões" do Mendel Bydlowsky (nem sei como se escreve, só sei que ele é mala) não tem a MENOR graça. Muito espaço para o Alê Oliveira (fica só no futsal que está bom) entre outras coisas, além da presença sempre irônica e inconveniente do William Tavares; que cara chato, gosta de falar mais do que os outros. Aí alguém pode falar do Canalha, que também às vezes fala demais, mas o cara é inteligente e tem um bom humor muito mais natural.

Do que você falou discordo totalmente sobre a "falta" da bancada do RJ no Linha de Passe; primeiro sempre achei desnecessário aquela coisa de link, travava o debate muitas vezes, era algo bem inconveniente. Segundo, o Fernando Calazans pode escreve bem, ser um sujeito legal, mas é EXTREMAMENTE desatualizado para comentar na TV. O Márcio Guedes ainda passa, mas teria de ir para SP comentar, ou então que levassem a mesa para o RJ. O Juca Kfouri cada vez mais manda no programa, sempre com ironias sobre os times dos participantes, é quase um Chico Lang no programa. Para mim poderiam renovar a mesa, com PVC, Mauro, Calçade, Bertozzi e Rafael Oliveira, essa a melhor aquisição do canal nos útlimos tempos. O Arnaldo poderia entrar no lugar de algum deles de vez em quando.

No caso do Flavio Gomes, o grande erro foi da emissora, que tirou o programa LIMITE do ar e colocou um bom jornalista de automobilismo com uma figura folclórica falando de futebol; como ele sempre foi muito mau educado, inclusive no ar, o que aconteceu com ele no twitter não foi surpresa. Vamos ver se na FOX vão colocá-lo na função certa, que é falando de corridas, sem deixar ele falar de futebol. Só não me animo com algumas contratações por lá, pois levaram um CORINTHIANO para fazer papel de CORINTHIANO no canal, o tal de Mano do programa de rádio Energia 97. Podem esperar que não deve vir grande coisa dai.

Voltando à ESPN, penso que poderiam voltar a segmentar mais o canal com mais programas de vôlei, basquete, e não se ater apenas ao futebol e ao futebol americano. Acho que o canal ainda pode se recuperar, mas precisa realmente rever alguns conceitos.

Parabéns pelo blog, um abraço! Espero escrever mais vezes e visite quando quiser o blog Bola Parada: http://bolaparada.altervista.org

Alexandre Rodrigues Alves disse...

No ano passado, mais precisamente em Novembro, escrevi esse texto falando sobre a situação da ESPN Brasil: http://bolaparada.altervista.org/2013/11/o-momento-mais-do-mesmo-da-espn/

Tentando resumir o que acho: Estão investindo muito no "bom humor" numa descontração meio forçada, estilo TV aberta, estão muito soltos nesse sentido. Acho que antes havia uma liberdade de opinião, mas não existia essa vontade de popularização que estão fazendo hoje em dia. Aquelas "Visões" do Mendel Bydlowsky (nem sei como se escreve, só sei que ele é mala) não tem a MENOR graça. Muito espaço para o Alê Oliveira (fica só no futsal que está bom) entre outras coisas, além da presença sempre irônica e inconveniente do William Tavares; que cara chato, gosta de falar mais do que os outros. Aí alguém pode falar do Canalha, que também às vezes fala demais, mas o cara é inteligente e tem um bom humor muito mais natural.

Do que você falou discordo totalmente sobre a "falta" da bancada do RJ no Linha de Passe; primeiro sempre achei desnecessário aquela coisa de link, travava o debate muitas vezes, era algo bem inconveniente. Segundo, o Fernando Calazans pode escreve bem, ser um sujeito legal, mas é EXTREMAMENTE desatualizado para comentar na TV. O Márcio Guedes ainda passa, mas teria de ir para SP comentar, ou então que levassem a mesa para o RJ. O Juca Kfouri cada vez mais manda no programa, sempre com ironias sobre os times dos participantes, é quase um Chico Lang no programa. Para mim poderiam renovar a mesa, com PVC, Mauro, Calçade, Bertozzi e Rafael Oliveira, essa a melhor aquisição do canal nos útlimos tempos. O Arnaldo poderia entrar no lugar de algum deles de vez em quando.

No caso do Flavio Gomes, o grande erro foi da emissora, que tirou o programa LIMITE do ar e colocou um bom jornalista de automobilismo com uma figura folclórica falando de futebol; como ele sempre foi muito mau educado, inclusive no ar, o que aconteceu com ele no twitter não foi surpresa. Vamos ver se na FOX vão colocá-lo na função certa, que é falando de corridas, sem deixar ele falar de futebol. Só não me animo com algumas contratações por lá, pois levaram um CORINTHIANO para fazer papel de CORINTHIANO no canal, o tal de Mano do programa de rádio Energia 97. Podem esperar que não deve vir grande coisa dai.

Voltando à ESPN, penso que poderiam voltar a segmentar mais o canal com mais programas de vôlei, basquete, e não se ater apenas ao futebol e ao futebol americano. Acho que o canal ainda pode se recuperar, mas precisa realmente rever alguns conceitos.

Parabéns pelo blog, um abraço! Espero escrever mais vezes e visite quando quiser o blog Bola Parada: http://bolaparada.altervista.org

Alexandre Rodrigues Alves disse...

Chegaram ao cúmulo de analisar o Alvaro Pereira, novo reforço do São Paulo, como jogador no VIDEOGAME. As gracinhas do Vagner Patti, que antes era limitadas ao Sportscenter, agora estão no BB também...Tá bem forçada essa situação.

Anna Gabriella Mendonça Semêdo disse...

Estava fazendo algumas pesquisas e me deparei com blog,adorei!!!!

Fazendo uma analise atual, a decadencia da ESPN podera ocorrer na proxima temporada, com a perda dos direitos de transmissao da Champions League e a saida do PVC, nao sei como ficara o Canal.
Concordo, a diversificacao, transmiti ndo outras modalidades poderia alavancar a audiencia, principalmente, se investisse na transmissao da superliga de volei e a Formula 1, bem como os estaduais menos concorridos, assim como fomentar as Copas, como a do Nordeste e a Verde.

Renan Sousa disse...

A postagem é de janeiro de 2014 e estou lendo em junho de 2015. É impressionante como a decadência nesse período foi acentuada.

Nesse meio tempo saíram do ar diversos jornalistas conceituadíssimos, como:

- Celso Unzelte
- Marcelo Duarte
- Lucio de Castro
- Marcio Guedes
- Fernando Calazans
- e nada mais, nada menos que: Paulo Vinícius Coelho

Puxando pela memória, saíram da grade do canal os tradicionais programas:

- Loucos por futebol
- Aventuras (e todos os outros programas de esportes radiciais)
- Limite
- Ponta pé inicial (Já citado)

Além disso a ESPN perdeu o direito de transmissão da bundes liga e da UEFA CHAMPIONS LEAGUE.

A programação do atual canal limita-se a 3 edições de bate bola e sportcenter. Além de diversas edições do linha de passe durante a semana (segunda e sexta fixas, e nos demais dias dependendo das competições que estejam em andamento), o que descaracteriza totalmente na minha opinião.

Como fã do esporte assíduo e ex-fantasma do ponta pé inicial já há uns 8 anos, estou insatisfeito com o que o canal apresenta atualmente.

Tiago Pimentel disse...

Comentarios perfeitos a cima!
Sou telespectador assiduo da ESPN brasil, e a cada dia me decepciona mais com a emissora.
Nao bastasse as ausencias de Marcio Guedes, Calazans e Lucio de castro, para completar a "bandificação" eles colocaram no Bate Bola dois pessimos e desnecessarios apresentadores (Marcela Rafael e Bruno Vicari).
É lamentavel!