sábado, 24 de novembro de 2012

Uma festa para o nosso interior

Walnize Carvalho


  Em festa a nossa terra, o nosso quintal. Estamos em plena Bienal do Livro.
Lembro-me do poeta Mario Quintana quando escreveu: “CARTAZ PARA UMA FEIRA DO LIVRO: Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem”.Oportuna reflexão... Sempre acreditei que a ARTE (assim como diz a letra de Caetano Veloso em “Desde que o samba é samba”) tem “o grande poder transformador”.
Somente ela revestida em música, pintura, dança, teatro... e - principalmente – em literatura consegue dar nova forma e sentido à vida.
  Bem se sabe que ela não atua como efeito bumerangue (bate e volta aos que escrevem e lêem), mas que corre como flecha ligeira em busca de corações desprotegidos.
Daí a importância de que a literatura tenha sempre um “palco” para se apresentar e de “platéia” que possa interagir com ela.
   Que a LITERATURA faça piquete nas portas dos bancos; se infiltre em filas intermináveis de espera.
Seja sorvida entre bebidinhas e conversinhas nos points da cidade.
Torne leitura em antessalas de consultórios médicos, odontológicos e de profissionais liberais substituindo, talvez, revistas de moda e de fofocas de artistas.
Que saia em passeatas pelas ruas sendo panfletada entre vendedores, comerciantes, consumidores, anônimos e curiosos.
 Bata ponto nas rodas de café e seja assunto interessante entre grandes negócios feitos nas manhãs do Boulevard.
 Brinque em outras praças; visite presídios, orfanatos, templos e asilos.
Que seja estampada em outdoors nas nossas esquinas.
Sem utopia. Dia virá em que “a arte de compor trabalhos artísticos em prosa e verso” – a literatura – será servida como prato principal aos que são famintos de transformação.
  E, voltando à Bienal... promete ser sucesso.
A vasta programação,entre  muitos "encontros" prioriza lançamentos de livros de autores locais, como também de nomes nacionais.
  Uma semana inteira em torno da cultura, cujo personagem principal da festa é o livro.
Preparemo-nos, pois, para esta transformação.
O instante é agora: a BIENAL DO LIVRO nos espera.

Nenhum comentário: