terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Gol da Alemanha! PVC sai da ESPN e vai para a Fox Sports




Reativo o blog depois de um tempo para expressar minha opinião, minha tristeza e acima de tudo, minha preocupação sobre uma notícia divulgada no fim da noite de ontem e que vai ser muito divulgada entre assinantes dos canais esportivos nos próximos dias: O jornalista Paulo Vinicius Coelho, o PVC vai trocar a ESPN Brasil pelo Fox Sports a partir de janeiro de 2015.
Os que me conhecem um pouco mais sabem de minha predileção pela ESPN. Durante muitos anos classifiquei-me inclusive como um ESPN maníaco. Ocorre que desde a saída de José Trajano do comando do canal, há cerca de 2 anos, o que se observa é que a ESPN perde a cada dia um pouco de sua história. História que foi construída com independência, credibilidade, uma programação que saía da mesmice de outros canais esportivos. O fim de programas como “Pontapé Inicial”, “Histórias do Esporte” e “Loucos por Futebol” só confirmam tudo isso. A overdose de “Bate Bola” e “SportCenter” na programação mostra uma insegurança acima do comum. Reportagens e opiniões são repetidas ao longo do dia nos mais diversos horários e situações. Mas a cultura, a música, as histórias antigas, enfim, a memória do futebol e do esporte brasileiro em si, foram esquecidas, quase que jogadas no lixo na gestão do Sr. João Palomino e sua trupe no comando do canal. Há pouco mais de um mês, outro duro golpe: a perda dos direitos de transmissão da UEFA Champions League, a “menina dos olhos” da ESPN.
PVC deve ter se cansado disso tudo. Na emissora há quase 15 anos, viu o que todos nós, fãs de esportes, estamos vendo a cada dia: a decadência daquele que já foi ,disparado, o melhor canal de esportes do país. E hoje caminha para ser apenas mais um.
Não deixarei de assistir a ESPN Brasil. Não enquanto estiverem por lá, craques como Mestre José Trajano, Dudu Monsanto (outro injustiçado a meu ver), Juca Kfouri, Mauro César Pereira, Paulo Andrade, Antero Grecco, João Carlos Albuquerque e Paulo Soares. Mas sem dúvidas nenhuma, a saída de PVC é uma perda e tanto.
O último a sair que apague a luz.

8 comentários:

Rodolfo Bueno disse...

"Mestre José Trajano" Meu Deus do Céu, você só pode estar de brincadeira.
Está saindo para receber bem mais, óbvio, ESPN não paga nada perto dos grandes canais.

Anônimo disse...

Assino embaixo.

Anônimo disse...

Excelente análise!

Anônimo disse...

Belo texto. Realmente essa saida mostrou como a ESPN esta caindo. Amo os canais ESPN A saida do RR ja foi dificil de aceitar, a do PVC entao... Veremos como vai ser o desenrolar nos proximos meses

Luiz Ribeiro disse...

Também sou telespectador da ESPN a anos. Também percebi nos últimos tempos um clima ruim no ar. As discussões entre o Mauro Cesar Pereira e o PVC atingiram uma aspereza que incomoda o telespectador. Aliás, sempre gostei do ranzinzismo e inconformismo do MCP, mas ultimamente ele parece extremamente incomodado com algo, e o seu mau humor está extrapolando. Ele está muito desagradável. Também não gostei nem um pouco da alteração do modelo do BB2 (1 da tarde). O João Carlos Albuquerque é mestre em descontrair e, ao mesmo tempo, provocar discussões entre os participantes. Agora a dupla substituta tenta criar um clima de descontração artificial. Perdi a vontade de assistir. Também sinto falta do Calazans, do Marcio Guedes e do Lúcio de Castro. O pior é que não temos opções. A FOX está melhorando seu quadro, mas ainda tem hora que a gente assiste e parece estar assistindo o Band Sports. amos ver para o futuro.

Anônimo disse...


A EXPLICAÇÃO:

http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/a-reuniao-que-tirou-pvc-da-espn-felipao-e-parreira-queriam-se-salvar-ter-o-apoio-para-a-pessima-selecao-na-copa-de-2014-tudo-que-conseguiram-foi-levar-paulo-vinicius-coelho-para-a-fox-sports-10122014/

Anônimo disse...

Depois da Copa, os programas “Loucos por Futebol” (com Paulo Vinicius Coelho, Marcelo Duarte e Celso Unzelte) e “Histórias do Esporte”, um dos mais premiados da casa, saíram da grade.

Consta que PVC ficou chateado por não ter participado da reunião em que a equipe do “Loucos” foi comunicada do fim do programa, que estava na grade desde 2002.

Nesta nova fase, com bem menos programas, já houve dias em que a ESPN Brasil apresentou até quatro edições do “Bate Bola”.

E situações em que o fim de um “Bate Bola” foi sucedido por outro “Bate Bola”. No final de agosto, um dos apresentadores do programa, Rodrigo Rodrigues, trocou a emissora pela Gazeta, em São Paulo.

Também em agosto, numa reunião com a equipe, Palomino apresentou dados e expôs o projeto de aumentar ainda a mais o número de horas ao vivo da ESPN.

O diretor de jornalismo(Palomino) prometeu que as reportagens especiais do “Histórias do Esporte” seriam encaixadas nos jornalísticos da grade.

Foi nesta reunião que Trajano se manifestou publicamente, observando que o caminho seguido pela ESPN sinalizava que a emissora estava “perdendo a alma”. O constrangimento foi geral.


A satisfação de German Hartenstein, diretor-geral da ESPN, com o trabalho de Palomino é evidente. Em novembro agora, ele foi promovido ao cargo de vice-presidente de Jornalismo e Produção.

É dentro deste quadro que deve ser entendida a saída de Paulo Vinicius Coelho da ESPN. Ele já tinha recebido outras propostas para deixar a emissora, em outros momentos, mas não quis.

Vlarwoom Fla disse...

Faço suas, minhas palavras amigão. Exceto pelo comentário sobre o Trajano, esse não suporto! Morreu e esqueceram de enterrar. Sou ESPN maníaco e vou sentir muito a falta do PVC e suas estatísticas e recordações "on line".