quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Quem consegue tirar férias do Twitter e do Facebook?


Matéria interessante do jornal "O Globo" de hoje:







RIO - Na véspera de uma viagem, Eva Chen, diretora de beleza da revista "Teen Vogue" enviou um tweet: "Estou oficialmente de férias!".Nos cinco dias seguintes, enquanto dirigia pelo Estado do Arizona, no sudoeste dos Estados Unidos, ela publicou mais de 120 "tweets", fez check-in umas 15 vezes no Foursquare e postou mais de 30 fotos no Instagram.
"Quero compartilhar a viagem com eles", diz Chen sobre sua interatividade nas redes sociais e que, ao ver o Grand Canyon pela primeira vez, não resistiu e tirou imediatamento uma foto para compartilhar com seus mais de 32.600 seguidores no Twitter.
Nesta era de pessoas hiperconectada, as redes sociais não dão folga, nem mesmo nas férias. Ao contrário dos blogs, onde uma mensagem pode ser publicada alertando aos leitores que o blogueiro vai se ausentar, a conversa continua fluindo no Twitter, no Facebook e no Instagram, mostra artigo publicado no site do The Wall Street Journal Americas.
Se você deixa de contribuir, sai da discussão. Na melhor das hipóteses, seus seguidores vão enviar mensagens para você no Twitter perguntando sobre seu paradeiro. Na pior das hipóteses, não vão nem perceber que você sumiu.
Grandes marcas empresariais normalmente contam com uma equipe de funcionários para manter sempre ativa a presença social: quando alguém sai de férias, outros preenchem a lacuna.
Mas, diz o artigo, os personagens mais atraentes das redes sociais, sejam eles uma marca, uma pequena empresa ou uma pessoa dentro de uma organização maior, normalmente são resultado do trabalho de um indivíduo, com uma personalidade e voz únicas. Seus seguidores não aceitam substitutos. E os poderosos da comunidade Twitter não querem perder tração ao deixar de falar com a base de seguidores na qual investiram tempo e esforço para construir.
"Não acho que seja uma invasão das minhas férias", diz Aliza Licht, diretora sênior de comunicações globais para Donna Karan Co., que reúne mais de 413.600 seguidores na conta do Twitter @DKNY. Ela também lê e responde e-mails de trabalho durante as férias.
"Não me sinto bem ficando afastada, não combina com minha personalidade", diz ela, cujo marido e filhos "aceitam" sua hiperconectividade social, diz ela. “Às vezes, meu marido sugere tweets”, diz.
Aliza, que tem representado a grife por quase 14 anos, posta tweets de lugares atraentes, como o hotel Four Seasons, em Paris, ou de lugares que ela considera mais "rústicos", como Atlantic Beach, uma praia no Estado de Nova York, onde ela é membro de um clube de verão.
Em todas as viagens que faz, Aliza leva peças Donna Karan e DKNY e publica tweets enquanto faz as malas com fotos de cada conjunto, incluindo os diversos pares de sapato e bolsas para cada noite, produzidas como uma página de uma revista de moda. E seus seguidores apreciam o esforço.
"Todo mundo pode ir à praia, mas nem todos podem ir à praia como Aliza", diz Claire Biggs, escritora freelance de Nova York e uma das seguidoras fiéis da diretora da Donna Karan no Twitter.
O mesmo acontece com a chefe de Aliza.
"Seu enorme senso de diversão e autenticidade refletem na nossa marca e nos dão uma presença social irresistível", diz Patti Cohen, diretora executiva de marketing global e comunicações da Donna Karan.
Melanie Notkin, fundadora da SavvyAuntie.com Inc., empresa e site que se concentram nas mulheres com sobrinhos, sente a responsabilidade de se engajar com seus seguidores nas redes sociais. As pessoas que tomam tempo para compartilhar uma foto ou uma história merecem uma resposta. "Não posso ignorá-los", diz Notkin de seus mais de 19.800 seguidores no Twitter.
Como proprietária de uma pequena empresa, Notkin diz que ela nunca tira férias longas. Mas mesmo em um fim de semana na praia, ela adverte às pessoas ao seu redor sobre sua necessidade de ficar checando o telefone.
Nem todos os tweets de Notkin são ligados à experiência de ser tia; coletivamente eles pintam um retrato da vida de uma mulher solteira em Manhattan.
"Muitas pessoas que me seguem gostam dos aspectos pessoais da minha vida", diz Notkin.
Mas há um momento em que ela deixa o smartphone de lado: "Eu não bebo e envio tweets", diz ela.
Andrew Zimmern, criador e apresentador do Travel Channel "Comidas Exóticas", diz que o Twitter é a sua fonte de notícias. Ele diz que publica até 50 tweets por dia enquanto trabalha, mas com menos frequência durante as férias.
"É um prazer pessoal", diz ele sobre sua conta no Twitter, que tem mais de 410.800 seguidores.
Uma viagem de trabalho para Abu Dhabi ensinou a Jamie Beck, uma fotógrafa de moda e blogueira, que vale a pena esperar para postar fotos no Instagram no período diurno para sua base de seguidores. Dessa forma, mais pessoas vão vê-los.
Em uma viagem recente ao redor do mundo para a lua-de-mel, que incluia um safári na África do Sul, uma noite em Sydney, uma escapada para a ilha de Fiji e uma excursão do vinhos no vale de Napa, na Califórnia, ela guardou os posts para compartilhá-los mais tarde.
Na Game Reserve Londolozi, ela usou uma câmera profissional para registrar o acasalamento de leões e o iPhone para fazer algumas fotos para compartilhar nas redes sociais.Naquela noite, ela publicou suas fotos profissionais favoritas no Instagram, onde tem mais de 50 mil seguidores. A imagem foi "curtida" por mais de 4.000 pessoas no Instagram.
"Tinha que compartilhar", diz Beck. Quando você não está por perto, é legal quando as pessoas" ainda podem acompanhar o que você está criando".
Peter Sagal, apresentador de "Wait Wait… Don't Tell Me!", um popular programa humorístico de rádio nos EUA, diz que o Twitter é parte de sua personalidade pública, e que seus tweets para mais de 60.300 seguidores exigem que ele seja bastante engraçado ou interessante.
"Minha família já tem queixas suficientes de que minha mente está sempre em outro lugar", diz ele. "Se tenho algo divertido para dizer em 140 caracteres, eu tento dizer isso a eles."

Nenhum comentário: