sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Barrados no baile




Toda Olimpíada é a mesma coisa. Eu, que adoro esportes, me sinto naquela situação do cara que é convidado para uma festança que não conhece ninguém. Fica ali, com aquela cara de paisagem, aquele sorrisinho amarelo de quem quer se enturmar, mas diversão que é bom só para os outros. E o pior é que com o passar das horas o pessoal vai se embriagando de medalhas, curtindo adoidado as vitórias, e o desgraçado do garçom nunca passa perto do cantinho em que eu fui colocado. Música animada, a galera balançando o esqueleto, e eu ali maldizendo aquele maldito calo que o sapato novo comprado com a maior verba "nunca antes na história desse país" fez no meu joanete. Parece que toda vez que eu estico o braço para pegar um canapé algum chinês mais rápido, ágil e forte pega primeiro. Quando não é um chinês é o Michael Phelps. O Michael Phelps só pode ser uma provocação.... sozinho o cara já pegou mais mulher, birita e salgadinhos do que eu nas últimas três festas que fui. E olha que para essa eu caprichei nos preparativos. Terno alugado na rua Formosa, pisante invocado - aquele mesmo do calo - gel no cabelo, perfume e tudo mais. Não poupei recursos para abalar no soçaite, mas como diria o outro, neca de pitibiriba. E para acabar com as minhas esperanças, começou o atletismo. Uma avalanche de quenianos e etíopes nas provas de fundo, e americanos e jamaicanos nas de velocidade. E alguns chineses. Assim não dá! Ainda bem que a próxima festa vai ser na minha casa! Vou barbarizar, hehe... claro, chinês não entra. Nem o Michael Phelps.

3 comentários:

Neto Cordeiro disse...

Inspiradíssimo!!
Não gosto tanto de Olimpíadas, nem tenho muito tempo para ver,pela rotina maluca de ir e voltar para Macaé todos os dias, mas não deixa de ser frustrante a falta de medalhas. A verdade é que nem é surpreedente, mas sempre criamos expectativas melhores.
Grande abraço!

Gustavo Rangel disse...

kkkkk boa Kezen, mas o bom e velho judô vai honrando e salvando a pátria até o momento!
abs

walnize carvalho disse...

Excelente crônica! `E como dizem quando querem elogiar:internacional!rs
Abraço fraterno,